sexta-feira, 2 de agosto de 2013

Disso de dar ou não de mamar

Não lhes deem de mamar não, e vão ver se os vossos companheiros (agora é assim que se diz não é?) não vos plantam um belo par de chifres na testa...

62 comentários:

  1. Sendo também um assunto tão pessoal, não percebo que não venham gritar aos quatro ventos que se limpam da frente para trás e não de trás para a frente.

    ResponderEliminar
  2. Eu diria.Não mamem não,e vão ver...

    ResponderEliminar
  3. Eu diria.Não mamem não,e vão ver...

    ResponderEliminar
  4. Eu diria.Não mamem não,e vão ver...

    ResponderEliminar
  5. http://www.npr.org/blogs/13.7/2010/11/13/131293765/breast-feeding-taking-turns-and-primitive-conversation

    ResponderEliminar
  6. Eu nem sabia que tendo silicone se podia dar de mamar (ainda que por uma semana). Sou tao medicina-excluida.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. isso é assunto tabu... tal como post´s pagos no blog
      mas na tv pode-se falar

      Eliminar
  7. Eu, realmente, sou uma atrasada. Não dar de mamar, mas tirar o leite e dá-lo no biberão, enfim, mas medicamentar-se para secar o leite para não ter, de facto, nenhum trabalho, isto é normal?
    Só sabia de uma razão, lúcida, válida, para isto: ter uma doença infetocontagiosa. Mas a maluqueira pega-se assim?
    Pobre criança.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu por acaso não partilho dessa opinião. Uma criança prematura, que tem de ganhar peso, ainda não tem os reflexos de sucção desenvolvidos e tem mais dificuldade em ser amamentado. E convenhamos que dar mama e biberon será o pior dos 2 mundos.
      É uma decisão que não critico.

      Eliminar
    2. Ora caro anónimo das 13:09, não seja assim. Eu também não amamentei e bem triste fiquei... Aparentemente tinha pouco leite e a criança era preguiçosa e pequenina (tinha mesmo de ganhar peso rapidamente). Para lhe dar algum leite do meu a única solução foi mesmo tira-lo de bomba e dar-lho no biberão.

      (E já agora caro mirone, toda a gente sabe que de trás para a frente é uma grandessíssima porcaria... :DDDD)

      Eliminar
    3. Cara Pipoca mais Picante,

      Parece-me que o problema não seria esse, uma vez que a criatura esteve dois dias a mamar na mama da mãe. E o reflexo de sucção começa a desenvolver-se ainda no útero. E, antes de parir, já havia dito que não queria amamentar, portanto...
      Ah, e sugar na mama ou no biberão precisa do mesmo reflexo. Pode é ser outra pessoas, pacientemente, a dar-lhe o leitinho...

      De longe o pior dos 2 mundos! Isto será o mais fácil, até porque tem uma duração muito curta. Se não abrimos mão desta pouca ausência de conforto e de trabalho por uns míseros meses, o que será no futuro?

      A opção nada tem a ver com o bebé; tudo a ver com a mãe. Sejamos, pelo menos, honestos nisso.

      Custa? Custa.
      Dá trabalho? Dá.
      Cada um escolhe as suas prioridades, mas não mandem areia para os olhos dos outros. Não inventem desculpas.

      Somos um poço de vaidades, mas que isso não nos tire muito tempo, nem nada daquilo que gostamos. Ou seja, gosto de dizer o quão lindo o filho(a) é, mas quero continuar a beber e comer do que gosto; não obstante estarmos sempre prontos a fazer dietas mirabolantes com grandes sacrifícios.

      Eliminar
    4. Anónimo das 18h21,

      "Ah, e sugar na mama ou no biberão precisa do mesmo reflexo."

      "A opção nada tem a ver com o bebé; tudo a ver com a mãe. Sejamos, pelo menos, honestos nisso."

      Olhe, pelo menos, não seja nem tontinho nem desonesto ao falar do que não sabe, não?

      Eliminar
    5. Que giro. A NM é a provedora deste blog, da maneira como tem que responder aos comentários dos outros...

      Eliminar
    6. Pelo menos não sou mais um dos quem vêm para aqui cagar sentenças "anonimamente" sem que nada se lhe possa imputar...

      Eliminar
    7. Anónimo das 18.21h
      A succão da mama envolve um maior esforço para o bebé que a sucção do biberon. Daí que os bebés mais pequenos ou preguiçosos tenham mais dificuldades em ser amamentados.
      Alia a isto que, caso se tenha pouco leite, a amamentação não é rápida, pode demorar 20, 30 minutos.
      Depois há também a dificuldade de perceber quanto é que efectivamente o bebé comeu. No biberon está marcado, no peito é adivinhar.
      Finalmente, desculpe que lhe diga mas dar mama e biberon é mesmo o pior dos 2 mundos. Tem que se andar com a tralha toda a trás, esterilizações e afins e ainda se tem o desconforto e a "prisão" de se dar de mamar.

      Eliminar
    8. Exatamente PMP. Aliás, nalguns casos, até pode ser perigoso insistir com a amamentação (precisamente por não se garantir que estejam a ser bem alimentados). Eu tinha pouco leite e o catraio simplesmente só queria dormir, não se esforçava para mamar. Foi terrível porque ele era pequenino e não podia perder peso. Teve que começar logo com leite artificial (em muitos biberões o leite simplesmente "pinga", eles não têm de fazer esforço nenhum). A partir daí é uma bola de neve e aquilo seca num instante.
      Cada vez que alimentava o miúdo fora de casa, havia sempre alguém que me olhava de esguelha e eu (ainda com as hormonas doidas) tinha de contar baixinho até dez para não me passar da marmita...
      Por isso é que lido mal com fundamentalismos... Ai e tal as mulheres não querem é estragar o corpo... Nem sempre é isso e muitas vezes as "egoístas" das mulheres não têm escolha, ok?

      Eliminar
    9. Mulher felizarda! Já a minha mãezinha, Deus a abençõe eternamente, foi talvez a mãe mais desgraçada que este cruel mundo já viu.
      1,54 m por quarenta e oito quilos e depois de botar este corvo ao mundo pesando 5,300 Kgs, foi dar-lhe de mamar dos dois seios noite e dia, até que, um ano e dois meses depois e com a infeliz nos 32 quilos, o João Semana lá do Brejo lhe colocou a alternativa. Ou começava a dar a broa ao famigerado sugador ou acabava na boca dele.

      Eliminar
    10. I beg your pardon?? 5,3 kgs? :DDD
      Estimado corvo, conhece aquela história do patinho que se achava feio mas que afinal era um cisne? Não será o caro amigo uma avestruz?? Desculpe dizer-lhe isto tão cruamente, mas eu se fosse a si averiguava isso...

      Eliminar
    11. Verídico.
      E de parto natural que naquele tempo não se conhecia outro.
      Mas também é verdade que depois disso nunca mais a delicada senhora foi a mesma.
      Por outro lado; foi-lhe vantajoso porque os outros três que teve a seguir nem deu por eles a tê-los.
      E de avestruz nunca ninguém me comparou não. Os pretos da minha terra chamavam-me mais leão da anhara, mas a minha indelével mulher dizia que eu tinha mais de cordeiro que de felídio.
      cumprimentos e uma boa semana.

      Eliminar
  8. Se desse de mamar ainda poderia não ter tempo para estar sempre a actualizar os blogues. E o "companheiro" teria mais dificuldade em provar que isto de se ter um filho recém nascido em casa é muito fácil, tinha que escrever textos ainda maiores sobre a acualidade política e desportiva.

    ResponderEliminar
  9. Deixem as pessoas em paz!!!!Isto que aqui vai, nada mais é que a velha história do Velho, o rapaz e o burro.Irra!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se nós os deixarmos em paz a vida deles deixa de fazer sentido e ninguém quer que tal coisa aconteça.

      Eliminar
    2. Isso não é comigo, não? É que eu nem teço comentários pró ou contra a amamentação.
      Mas em verdade lhe digo que se as pessoas quisessem ser deixadas em paz não viriam partilhar decisões pessoais e privadas com o resto do mundo.

      Eliminar
    3. Eu amamentei e não recomendo a ninguém. Eu tb não fui amamentada e sou saudável.

      No entanto concordo que se deve amamentar nos primeiros 15 dias, porque é nesses dias que a mãe tem colostro, a única substância que interessa que o bébé absorva. Leiam sobre colostro, em wikipédia.

      Eliminar
  10. As palavras que nunca te direi: chifres. São cornos!

    ResponderEliminar
  11. Ahahahahahah!! Mas então o que vem a ser isto sôdona PMP??!! Estou a ver que além do gosto pelas piadas secas também se pela por uma boa brejeirice aqui como a minha pessoa...

    Mas isto nem é bem Tolstoi... É mais "Assentadinho meets Garcia Marquez" em "Desamor em tempos de cólica".

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É autor que não me entra no goto, aquilo dos 50 anos para trás e para a frente, sei que é politicamente incorrecto dizer isso mas não gosto.
      E quanto ao Lev, o pobre daria voltas na tumba se lesse uma coisa destas, do mais tradicional religioso possível!
      Mas não era a isto que me referia, decidi não escrever o tal post.

      Eliminar
    2. Ooohhhh!! Pensei que fosse este post... Então?! Que se passou? Foi cagufo, não foi?? :D

      (Usar técnicas de persuasão da escola primária aos 30 deve ter algum significado... Conheces algum psicólogo que me possa ajudar com isto? :DDDD)

      Eliminar
    3. Ah ah ah ah Ah ah
      Eu pouco acredito em psicólogos, embora goste de psicologia.
      Vou de férias, não me apetece mexer em vespeiros.

      Eliminar
    4. Pois fizeste então muito bem!! Mas mas... Não me digas que lá o sítio só tem aquela piscineca da treta... Pffff... Tou a ver que isto de brincar aos pobrezinhos virou mesmo moda! :)

      Bom descanso.

      Eliminar
    5. É a crise, toca a todos, bem que preferiria ir para a Comporta mas não chego lá. Um mísero tanque, para o que estava fadada....

      Eliminar
    6. Ahahahahahahahahahahahahahah!

      Eliminar
  12. As questões pessoais da vida familiar e neste caso de decisões tão intimas não devem ser passíveis de critica. Pois as circunstancias e o momento afectam a decisão, bem como as opiniões dos envolvidos. Mas ha algo de perverso em expor detalhes tão ... Pessoais (tive q ir indagar confesso). Quem nasceu para reality show, nunca vivera no bom senso

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mónica a questão é mesmo essa. São decisões pessoais e que não têm nada de ser expostas à opinião pública. Mas a partir do momento em que o são, é mais que natural que cada pessoa exponha os seus pontos de vista e diga se concorda ou não. E diga-se de passagem que, no caso da mais Doce, percebo e compreendo perfeitamente a decisão.

      Eliminar
    2. Não sei P+P.... a mais Doce quem aquela forma de tentar dar a volta às questões e revirá-las a seu favor. Olhe que nem tudo o que ela diz corresponde inteiramente à verdade...

      Eliminar
  13. O tema da amamentação esta para os blogs como o Big Brother está para a TVI: gera audiência.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois deve ser isso, sim. Ele há coisas que me fazem comichão e isto de expor a vida está no top 5

      Eliminar
  14. Ui, que safada a Spicy Pipoca...

    ResponderEliminar
  15. Pela sua resposta à Mónica, fica perfeitamente claro que fala da PN e não da MD. Sabe alguma coisa de Mámen que nós não saibamos e que queira partilhar connosco?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O que fica claro por vezes até é escuro. Não falo de ninguém em especifico, o post não passa de um trocadilho fácil.
      Propositadamente abstenho-me de dizer o que penso sobre quem dá ou deixa de dar mama.
      Acho que são assuntos pessoais e privados que não deverão sair da esfera familiar, i.é pai, mãe e quando muito pediatra. A única coisa que critico é vir a público gritar decisões privadas e depois virem queixar-se que as pessoas se metem na vida alheia e que dão opiniões que ninguém pediu. Quem abre a porta não se deve admirar que lhe entrem casa dentro.
      Espero ter elucidado.

      Eliminar
    2. Não é por ver alguém atirar-se a um poço que eu vou a correr fazer o mesmo. Se a choca assim tanto ver essa exposição publica de assuntos privados, penso que o mais sensato seria passar para o outro passeio. Quem lê esses blogues, fá-lo porque adora ver as vidas que os outros expõem.
      Se essas portas abertas deveriam estar fechadas, a Santinha mostrava a sua superioridade moral passando ao lado, não entrando casa dentro. Assim, está a ser, não igual, mas pior que elas/eles.

      Eliminar
    3. Acho que está errado, Anónimo. Se há alguém que pode levar com os "chifres" não seria o Mámen, mas sim a PN. E digo isto, porque é da esfera pública, ela mesmo já disse que o fez e, se percebi bem, até o disse com orgulho.
      O Mámen é um santo!

      Eliminar
    4. Anónima das 17.39h
      Está muito enganada, eu não entro casa a dentro visto que não dou a minha opinião sobre o que deveriam as recém mamãs fazer. Ao invés, fico do lado de fora a rir.
      E com isso dou a todas as donas Joaquinas a oportunidade de mostrarem a sua superioridade moral.

      Eliminar
    5. Claro que entra, só que o faz dessa forma dissimulada, a que chama "ironia", para parecer mais fina, para poder dizer que não entra e que só fica do lado de fora a rir. Mas vai dar tudo ao mesmo, tem a mesma subtileza das outras que espreitam descaradamente e/ou entram com estrondo.
      E a sua única defesa para quem discorda do seu ponto de vista é arremessar com o mesmo argumento contra quem o disse. Mais provas precisasse-mos e temos este mesmo comentário, onde me tenta fazer passar por Joaquina, como se isso alterasse um ponto que fosse do que eu lhe disse e, sobretudo, do arremesso de tacanhez ao anónimo aqui baixo.
      Veja lá que está a faltar-lhe argumentos...

      Eliminar
    6. Caríssima Anónima a senhora é livre de não gostar do que eu escrevo, assim como eu sou livre de o escrever e não seguir quaisquer das suas recomendações. A democracia por vezes tem destas coisas.
      Ainda assim, alguma coisa a traz cá com assiduidade, não é verdade? Nem que seja o prazer da crítica. Ora pense lá nisso....

      Eliminar
    7. Pois, confirma-se. Não sabe argumentar a não ser arremessando de volta. Acontece...
      E quanto á minha assiduidade, ela é igual á sua democracia: quem tem um blogue sujeita-se a estas coisas...
      Mas note que o faço no seu próprio interesse, quiçá com algum sacrficio da minha parte: pois não é a menina que passa a vida a badalar que só começou isto por causa dessa coisa das visualizações?
      Pois... Não precisa de me agradecer.

      Eliminar
    8. (o foco não é eu gostar ou deixar de gostar dos seus escritos. O foco é até que ponto eles são consistentes ou "mais do mesmo" - porque gajas da Amadora de falinhas subtis há praí muitas)

      Eliminar
    9. Vai desculpar-me mas o que diz não faz o menor sentido. E agora,com a sua licença vou dar um mergulho, que ninguém me paga para isto. Passar bem.
      (Caramba, a única coisa que eu arremesso de volta é o disco voador.... E já lá vão uns anitos)

      Eliminar
    10. Com a sua costumeira acutilância, estava à espera de mais. A menina costuma dar mais luta.
      Vou conceder que seja de estar em modo férias.

      Eliminar
  16. Uma tema sério tratado como uma ordinarice. Não me surpreende o baixo nível.

    ResponderEliminar
  17. Da maneira que o Arrumadinho chegou a dizer noutros tempos que se a mulher está em casa a tratar do baby ,não tem que ser o marido a vir do trabalho e a fazer seja o que for, vai ser bonito qd lhe calhar dar o biberão à criança...

    ResponderEliminar
  18. Cara Pipoca, isto já vem tarde mas é só para dizer que, se eu própria me agastei com tanta parvoíce de alguns anónimos, enfim, imagino o seu revirar de olhos. Atenção que eu nada tenho contra o anonimato, como se pode constatar. Sou até uma fervorosa combatente contra esse preconceito criado sobre os anónimos.

    ResponderEliminar
  19. ooopsss, fugiu-lhe o pé para o chinelo. Isto de manter uma personagem não é fácil! Há sempre um momento em que a verdade vem ao de cima.

    ResponderEliminar

Os comentários são da exclusiva responsabilidade dos comentadores.
A autora do blog eliminará qualquer comentário que ofenda terceiros, a pedido dos mesmos.