quarta-feira, 31 de julho de 2013

Uma aventura na Blogolândia

"Sugeri ao Josefino, já que estávamos ali pelas imediações da mansão da segunda ex-beligerante, se não seria de toda a conveniência fazermos-lhe uma visita a fim de tomarmos conhecimento dos factos em viva voz prestados sem a eterna dúvida do disse que disse alheio, mas o Bemvindo, muito ajuizadamente, fez-me ver a impossibilidade de tão racional sugestão, aventando que, provavelmente, não seriamos recebidos com pompa e circunstância dado o singelo facto de o dia só ter 24 horas, manifestamente insuficiente para suprir os imensuráveis afazeres da prendada senhora.
Estávamos nisto quando deu entrada pelas traseiras da mansão um camião proveniente do Continente, que sem grandes conversas e menos hesitações, os oito funcionários da Empresa deram em descarregar 187 grades de vinho Rosé, que com denodado afã se davam pressa em enfiá-las para dentro da habitação.
Perante a minha natural perplexidade, o Josefino explicou-me que a coisa não tinha nada de insólito, tão-pouco era merecedora de admiração e muito pelo contrário. Era a fonte de inspiração da senhora, fiável, segura e credível da sua máxima confiança, a fim de poder terminar com todo o brilhantismo a empreitada dos 3782271 caracteres do seu Best-seller que iria revolucionar o mundo da literatura, intitulado; (estava, ou melhor; estivera no segredo das musas mas, despudoradamente, uma agente infiltrada, por meio de artimanhas só dela conhecidas, tinha-se imiscuído no sistema e com requintes de malvadez tinha espalhado ao mundo o título da Obra-Prima e agora já galgara fronteiras. “ O senhor Corvo sabe o que quero dizer, não é? Isto para vlipendiarem uma pessoa são todos umas vedetas”. Que bem vistas as coisas nem era assim muito mau pois dava-lhe publicidade prematura, mas, enfim; sabe-se como são os escritores, não gostam de ser ver defraudados do efeito surpresa, mas já estava já estava e agora só restava avançar).... Mas, de que falava ele, afinal?
– Do título, – lembrei-lhe.
– Ah, pois! Do título, é isso! – Assentou o Josefino. – “O Parir Da Princesa a Ganir Mais Do Que Uma Cadela”
Concordei com o Josefino. Que sim, de facto! A medo lá fui aventando se as 187 grades de Rosé seriam suficiente estímulo à inspiração necessária para levar a cabo tanta grandiosidade, mas ele tranquilizou-me asseverando que sim, eram! Não era por aí que o gato lá ia.
– Normalmente dezoito grades são suficientes, mas isso é quando se trata e literatura menor e sem Estilo, vá lá; mas aqui é diferente e o caro Corvo há-de concordar que a empreitada é de monta.
Entretanto a minha atenção já navegava por outras paragens, se bem que que nunca dali tivéssemos arredado pé, sobre o que começara; primeiro por um ajuntamento de meia dúzia de personalidades e que num ápice passara a uma multidão desenfreada e nervosa, em que os de trás atropelavam os da frente na tentativa de ocuparem os lugares primeiros, e aquilo buliu com a minha curiosidade, que logo o Josefino, poço inesgotável de conhecimentos, se apressou a clarificar dizendo que aquilo era mais uma iniciativa da prendada senhora e que se tratava de uma passeata em tipo meio acelerado, que ele desconfiava que não passava mesmo de um défilé avec souplesse, mas que não difundisse a coisa porque era assunto altamente secreto, havendo até, gente mais cautelosa, que avançava como sendo segredo de Estado.
– É presidida pelo senhor Assentadinho, portanto não só é coisa secreta como altamente prestigiante para os felizes contemplados por convite personalizado. Ainda está numa fase embrionária, mas como o senhor Corvo pode constatar por si mesmo, o Portugal selectivo aderiu em peso."

(Continua)
Graciosidade  do estimado Corvo

7 comentários:

  1. a sério, OCorvo, ainda não parei de rir. isto é magnifico. Um défilé avec souplesse é qualquer coisa

    ResponderEliminar
  2. ahahahahahahahahahahahah!!!
    Nem dormi à espera disto mas infelizmente só pude vir comentar agora.
    Hilariante, ihihihih!!!
    Adorei o título e vou ser a primeira a comprá-lo mal ele esteja á venda ;)

    Sheila Carina.

    ResponderEliminar
  3. Muito bom. Eu até já imagino o filme!

    ResponderEliminar
  4. Tenho as minha dúvidas sobre as 187 grades... Acho pouco para aquela esponja...

    ResponderEliminar
  5. Os seus 7 Anónimos são terríveis : se um diz mata o outro diz esfola . Não há Branca de Neve que resista, nem em versão pacote de farinha !!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Por acaso as coisas até têm estado calminhas e as línguas controladas, praticamente não uso o lápis encarnado.

      Eliminar
  6. Muito bom! :DDD O que me ri com isto! E que bela escrita, oh sr corvo!... :)

    ResponderEliminar

Os comentários são da exclusiva responsabilidade dos comentadores.
A autora do blog eliminará qualquer comentário que ofenda terceiros, a pedido dos mesmos.