quarta-feira, 3 de julho de 2013

Sim, é mais do mesmo

Enquanto o povo dá urros de alegria, as hienas aguçam os dentes e lambem os beiços, pensam  "é agora, é agora", a mim só me passa pela cabeça que estes 2 anos de sacrifício de pouco serviram, éramos bons Portugueses, tornámos-nos oficialmente Gregos, os juros da divida pública já subiram, foi isso que a birra das comadres causou, como é que gente que tem o destino do país nas mãos não se consegue entender, pelo amor da Santa? Fico na dúvida se os acho irresponsáveis, mimados ou simplesmente reles. Provavelmente serão tudo isso...
E depois ainda há os outros, os que acham que este governo está acabado, que se deveria demitir, esperam que os rosinhas venham alegremente dar RSI, subsidio de desemprego, que baixe os impostos, enfim... Só me apraz perguntar com que dinheiro o farão, quando a troika fizer como eles e assobiar para o lado. Tristeza, senhores, tristeza!

17 comentários:

  1. Completamente verdade... Um tristeza mesmo!

    ResponderEliminar
  2. Muito mau mesmo, concordo com tudo o que disseste. Estragou-se o trabalho de dois anos. Apetece-me dizer: e agora?

    ResponderEliminar


  3. Rodrigão* perdeu a tusa
    Não há mal que lhe não surja.

    Rodrigão que o pensamento
    Subiu ao mais alto lugar
    perde a tusa antes de chegar
    Ganha a raiva do sofrimento
    Não tem euro para o momento
    nem tusa que lhe dê alento
    Mira-se de camisa suja
    Não há mal que lhe não surja

    Quis trepar a u~a alta Dama
    Mas achou-se depenado
    e vendo-se de pilim escamoteado
    Grita e brama num vozeirão
    Ah! não fica assim, não fica não!
    Não vai com cêntimo vai à mão
    Excomungados, malditos d'alma turva
    Não há mal que lhe não surja.

    Rodrigão perdeu a tusa
    não há mal que lhe não surja.

    (*) Povão...



    ResponderEliminar
  4. A credibilidade conseguida nestes dois anos esvaiu-se em dois dias. Assisto também a muitas iluminadas que tanto criticaram, que tanto se manifestaram a criticarem, agora, as atitudes de quem tenta segurar (e não largar) pelas pontas o seu País. Mas olhe, o melhor é estupidificar e dizer, venham eles que o 'seguro' paga..... Santa ignorância...

    ResponderEliminar
  5. A coisa está feita para uma próxima coligação ps/pp. O povo tem memória curta. Pensa que o ps é que é, agora sem Sócrates.
    Já pensaram antes que agora é que era, com o psd de Passos Coelho. O pessoal acha que basta mudar a cor política, não pensa sequer em mudar de actitude.

    ResponderEliminar
  6. Eu não consigo perceber isto! Este governo! Estes homens e mulheres que governam o nosso país. Mas pensam o quê, nos interesses de quem? Acordam de consciência tranquila? Eu não culpo o povo, até eu senti qualquer coisa que se pode assemelhar a um sorriso quando ouvi a notícia da demissão do Paulo Portas. É claro que isto terá consequências negativas para o NOSSO país, mas, please, já estava farta de ouvir tantas falsidades e mentiras da boca do Passos Coelho. Ah, e sou uma das infelizes que acreditou que ele faria a diferença! Enfim, só um desabafo de uma humilde leitora. São opiniões!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pensam nos seus próprios interesses. Portas não quer queimar a sua imagem pública, coisa que acontecerá se se mantiver no poder por mais 2 anos. E o país que se lixe!

      Eliminar
  7. Até me arrepio ao ver a alegria das pessoas.
    É não perceber nada do que se está e vai passar.
    É mau. É muito mau!

    ResponderEliminar
  8. F*****-se!! Estou tão enojada/enjoada com isto tudo... Não fora o sentimento de lealdade que (infelizmente) me está tão incrustado e era desta que abandonava o barco e me punha ao fresco.... Só me apetece mandá-los para o c*ar*a*l*h*o* mais velho...pá.... Cambada de alcoviteiras....Primas donna de pacotilha...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estou revoltada. Cambada de fedelhos. O Portas nunca mas nunca mais na vida terá um voto meu. O politiquismo tem limites e o egoísmo também.
      Haveriam de ser responsabilizados pelos danos trazidos a Portugal, da esquerda à direita.

      Eliminar
    2. Deveriam, mas não são.
      Da Esquerda à Direita, pela frente ou por trás para o caso tanto faz.
      Gaspar e Portas já fizeram a Bolsa perder mais de 3 mil milhões de euros em menos de 24 horas. Vender é a palavra de ordem.

      Risco de Portugal dispara. Juro a 10 anos segue nos 7,4% mas esta manhã já bateu nos 8,23%.
      Iminência de colapso do Governo, iminência de segundo resgate. Os investidores mantêm uma forte aversão ao risco no que diz respeito aos activos portugueses e reflexo disso é a evolução desta manhã dos juros da dívida pública nacional: a ‘yield' implícita nos títulos a 10 anos, a referência nos mercados, chegou a bater os 8,23%, mas seguia a negociar nos 7,489%, o nível mais elevado desde Dezembro. Bastou uma manhã de crise política para anular a tendência de descidas na taxa de juro verificada nos últimos sete meses.

      "Portugal, sob pressão económica grave de uma falta de crescimento, com um sector público inchado e mais de uma década sem crescimento, provavelmente verá a queda do seu governo dentro das próximas 48 horas", escreve Steen Jakobsen, economista chefe do Saxo Bank, numa nota intitulada "Portugal - o Cisne Negro deste Verão".

      Os juros associados à divida nacional subiam em todos os prazos. E nos prazos mais curtos, entre dois e cinco anos, disparam mais de 100 pontos base. A cinco anos os juros batem máximos de Novembro do ano passado, negociando nos 6,546%, depois de ter estado acima dos 7%.

      (Noticia DE esta manhã)

      Eliminar
    3. É uma vergonha!! Somos uma vergonha!! É uma tristeza... Não percebo..
      Mas é que não percebo mesmo como, mas como, pode alguém estar satisfeito com isto, dois anos volvidos de esforços incríveis... Onde é que as pessoas pensarão que se poderá ir buscar o dinheiro??
      Cada vez estou mais convicta que temos o que merecemos... Somos um povo pequenino, não de tamanho, de mentalidade mesmo!... Como pode alguém achar isto benéfico para o pais. Outro exemplo que me ultrapassa completamente: como, mas como, pode a televisão pública pagar ao maior culpado de estarmos no buraco em que estamos para ir botar umas postas de pescada e como pode o povo assistir e aplaudir... Não percebo!! Ultrapassa-me!

      Mas sim, tudo a mesma cambada... Da esquerda à direita... E sim, também de mim, o Portas não volta a ver um voto.

      Eliminar
    4. O Sócrates está lá de borla. Parece que não recebe um tostão. Recebe o tempo de antena, que já não é pouco.
      Irra para isto tudo.

      Eliminar
  9. O Seguro assusta-me. O Passos Coelho parece aluado do mundo e da realidade. Não sei mais o que dizer nem o que pensar. Nenhum político me parece sério e forte o suficiente para comandar o país (embora simpatize com alguns políticos, mas isso são outros quinhentos).

    ResponderEliminar
  10. Eu preconizo uma medida, e agora não estou a brincar, séria e honesta sobretudo para os jovens deste país, e ainda mais a levar em linha de conta para toda a juventude que constituiu família, que é a seguinte:
    Não há bem que sempre dure e não há mal que não acabe, e a situação crítica do nosso país, e do mundo em geral mas particularmente agravada connosco e na Grécia, e portanto, no nosso caso mais uns quatro a cinco anos; nos restantes países nem tanto mas connosco e com os gregos sim, será esse tempo; os jovens casais deveriam suprimir muita coisa, todas as supérfluas e economizar em tudo que puderem. Isto porque, hoje estão empregados e amanhã talvez não estejam e aguardarem com calma e paciência que melhores dias virão.
    Nunca, mas nunca mesmo gastem mais do que ganham, ainda que a tentação seja muita e pensem no mês seguinte suprimir algo para pagarem o que agora compraram. Nunca façam isso e sobretudo, nunca, mas nunca mesmo contraiam dívidas.
    Podem dizer que a vida não é só trabalho, mas infelizmente e nos tempos que correm é sim! É só trabalho e muita sorte para quem o tem.
    Dentro de quatro cinco anos, seis, vá lá, a coisa corre normalmente e não devem ser assim tão velhos que não possam aproveitar a vida, e até, estou confiante, ainda com bonita figura para matarem as cabecinhas se devem usar o fio dental ou o bikini.
    Meninos e meninas do meu país; mandem às urtigas a publicidade, um verniz é igual a outro verniz, um batom é igual a outro batom, um creme é igual a outro creme. Quereis saber o que nos colocou a todos nesta situação calamitosa? Foi isso precisamente.
    E um Dastia Duster é um bom carro sim! Acreditem porque sei.
    Se me ouvirem serão felizes, agora e sempre porque lembrem-se sempre. Quando o dinheiro acaba o amor salta pela janela.
    As minhas filhas, casadas e mães, licenciadas e educadas, lutam com os mesmo problemas que a todos vos fustiga e são felizes.
    Só que, penso que fazem o sushi em casa, mas parece-me que nem isso porque não são grandes apreciadoras. Em contrapartida, vai comprar um carro de uma conceituada marca alemã e paga-o a pronto.
    Menina, admira-se o vendedor - Vai pagar carro a pronto?!
    Vou! Você dá-me o carro e eu dou-lhe o dinheiro... Ou pensa que eu vou pagar três vezes o valor duma lata que mal saia daqui começa logo a desvalorizar.
    Quem lhe ensinou isso, menina?
    Foi o meu pai!
    Mas agora tenho a certeza. Nunca foi comer sushi a um conceituado restaurante da especialidade.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Durante muito tempo tive uma taxa de poupança muito significativa do meu ordenado. Taxa essa que agora me dá um grande sossego perante o futuro incerto. A chatice é se saímos do euro, que aquilo desvaloriza que é coisa séria.

      Eliminar
    2. Não saímos, Pipoca. Nem nós, nem a Grécia, nem a Itália, nem a Espanha nem ninguém.
      Seria um reconhecimento ao mundo de que o projecto europeu era uma utopia sem fundamento, logo, a perda de credibilidade económica para o mundo inteiro.
      Pode, sem receio, continuar a poupar que vai bem-encaminhada.

      Eliminar

Os comentários são da exclusiva responsabilidade dos comentadores.
A autora do blog eliminará qualquer comentário que ofenda terceiros, a pedido dos mesmos.