segunda-feira, 22 de julho de 2013

Gracinha

Gracinha minha querida, eu bem sei que a menina ainda é uma jovem, a vida toda pela frente, a juventude tem destas coisas, a mania de que sabem tudo e ensinam todos, são avessos a críticas, pior... os jovens acham que só eles podem criticar. Isto de ir gozando e ter público a dizer que temos graça é giro, de repente até somos alguém, tanta gente que nos ouve, não é verdade? Tanta dona Joaquina que nos diz amén, pois não é? Mas a menina haveria de aprender que aquele que ri, por vezes também vai à berlinda... não é grave minha querida, dá uma gargalhada e segue em frente, que a vida continua, por Deus, nunca imaginei que tivesse tão pouco fair play. Mas sabe meu amor? Fica-lhe mal pôr-se em biquinhos dos pés, afinal a menina tem o quê? metro e meio? Isso de andar a atirar com o canudo à cara das pessoas, não é bonito, afinal qualquer um consegue tirar um desses cursinhos, dizer às pessoas aquilo que elas podem ou não dizer ainda é mais feio, chamar nomes às pessoas, então, é extraordinariamente rude, e já não é a primeira vez que o faz pois não? A menina tenha tino, eu bem sei que gosta de dizer que não tem, mas as coisas afinal são como são, de repente transformamos os nossos escritos, o que era já não é bem como era, as graças dão origem a textos sentidos ou a cartas de puxar a lágrima fácil, já se vai a eventos de marcas, lá se tira uma fotografia à criança a brincar com a marca para pôr no blog, vai-se a ver e daqui a nada também quer organizar workshops e lançar livros. Já estivemos mais longe, pois já? 
Sabe minha querida, a menina tem uma certa graça que tem, mas deixe-se lá disso dos nomes, isso de querer projectar nos outros as nossas infelizes denominações até chega a ser trágico, não se apoquente que o mundo tem lugar para todos, até mesmo para as Lilianas e Rutes desta vida, além do mais a menina tem uma série de seguidoras chamadas Carinas e Vanessas, lá está, os semelhantes tendem a aglomerar-se, podem ficar abespinhadas e não há necessidade.
E acima de tudo não se esqueça que um psicólogo nunca chegará a psiquiatra e quem quem faz o pino de cabeça, por mais esforçado e suado que seja esse pino, por mais mérito que tenha, será sempre eclipsado pela outra, a it girl, aquela que faz rondada seguida de triplo flic à retaguarda e mortal. Ah! E em calhando, Alcabideche nunca será Birre, mesmo estando ali ao lado, mesmo pertencendo ao concelho de Cascais. Get over it.

91 comentários:

  1. Nunca foi um blogue que gostasse particularmente. Nunca me interessou, houve sempre qualquer coisa que não me parecia estar muito bem, tentativas de parecer muita coisa ao mesmo tempo.

    O que é certo é que se tem vindo a revelar, como a P+P tem vindo a notar também.

    ResponderEliminar
  2. Uma resposta há altura. Só me apetece gritar lá para Alcabideche: TOMA.... vai buscar!!!!!!!

    ResponderEliminar
  3. A blogosfera anda muito enervada e eu não gosto de confusões.

    Oh pra mim a sair de fininho.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. S* quem não se sente não é filho de boa gente.
      Aquela senhora, a quem eu até acho graça por vezes, não é dona do pedaço. Foi extraordinariamente rude e deturpou uma série se coisas, dando a entender que este blog não passa de um conjunto de textos plagiados. Só porque se acha intocável, focou muito irritada com uma simples boca , que mão passava disso mesmo. Às tantas toquei num ponto sensível e tem planos pata o blog.

      Eliminar
    2. :/ Toda a gente sente. Eu continuo a achar que a Picante não é um blogue maldoso, caso contrário não andava por cá nem a tinha na lista de blogues.

      Já li várias coisas sobre mim. Uns comentários eram irónicos e críticos, alguns eram engraçados. Esses comentários não levo a mal, porque toda a gente tem direito à sua opinião e eu sei reconhecer que o meu blogue tem muita coisa gira para se gozar... Mas a maldade é imperdoável. Não li nunca maldade aqui no blogue e espero que assim continue.

      Eliminar
  4. Afinal deu a mão à palmatória. A Gracinha nunca teve graça e faz parte da tal geração que, confrontada com alguma coisa que desagrada, não só é mal educada como acha que tudo pode à conta do título. Até acho a Gracinha perigosa, se quer saber, com aquela mania de ser boa pessoa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Juro que não acreditei no que li. Fiquei completamente estupidificada com aquela reacção.

      Eliminar
    2. Quem e a Gracinha???

      Eliminar
  5. Será que por esse País fora, Cascais incluído, não haverá uma Joaquina, Cátia,Sheila ou Vanessa inteligente e com bom gosto???? mania de implicarem e rotularem as pessoas por causa do nome e do local onde vivem, pá :)))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A D. Joaquina é personagem assídua aqui do blog, uma senhora extraordinariamente bem educada, uma autêntica fada do lar. Eu gosto muito dela.

      Eliminar
  6. Agora só por causa disto, e de não ter tido descanso o fim-de-semana inteiro, vou criar um blog intitulado EU É QUE SOU A PIPOCA MAIS...
    Aceita coisas em troca de publicidade, especialmente fins-de-semana em hotéis em frente à praia e cenas de SPA. Massagens e assim. Nada de workshops, que eu já sei tudo, culinária então nem pensar. E aviso já que me estou nas tintas se o nome mete pipoca ao barulho e que na verdade não tenha nenhuma orientação editorial. Cada um sabe de si. Ah, em calhando pode ser colectivo que eu adoro partilhar.
    Any one?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se os senhores da Veuve e da Porsche aderirem às ofertas I'm in!

      Eliminar
    2. Boa!!! Já estou daqui a ver: umas rendidas, outras raivosas, enfim. O clix à bulha com a sapo e eu que até gramo o WordPress, é coisa para dar que falar. Tudo a descabelar-se à conta do EU É QUE SOU A PIPOCA MAIS...
      Muito importante : só publicidade, sem orientação editorial.

      Eliminar
  7. É mais 'get over yourself'. O que mais há naquele blog é auto-promoção e bajulação.

    ResponderEliminar
  8. não sei de quem fala, mas há por aí muitas, em calhando (lol), esta história seria a cara delas! ahahahah
    Quem nasceu para lagartixa, nunca chega a jacaré!

    Bem haja
    Pat

    ResponderEliminar
  9. bem eu já tinha dito
    hoje revela-se o nome
    amanha vai-se a um evento e dá-se a cara
    depois de amanha criança.

    também lhe acho piada mas as vezes outras vai ao lado
    e cada vez mais, se juram a pé juntos que não fazem isto e aquilo, mas lá estão elas a contradizer

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tinha sim senhora, algures lá para trás, que eu lembro-me.

      Eliminar
    2. Confirmo... No post dos laçarotes e tal e coisa

      Eliminar
  10. Para variar, não percebo nada, mas já me apercebi que a maior parte dos seus comentadores, Pipoquita, são anónimos e quando nós precisamos do anonimato para dizermos o que pensamos, algo de muito podre vai pelo reino da Noruega.
    Era só isto.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ai, Filipa... Dinamarca. Dinamarca.

      Eliminar
    2. Ah ah ah ela está muito grávida, diz que faz parte a desmemoria" ahah ah
      Terá razão Filipa, eu sempre tive muitos anónimos a comentar. Mas este post é mesmo só quase.

      Eliminar
    3. Olha q'isto, han? Então mas agora não posso alterar as coisas é logo culpa da minha memória e não sei quê? Por acaso até estão certos, mas pronto.

      Eliminar
    4. Ó Filipa, e que sabemos nós da menina, para além de que diz ser Filipa? Pronto, e que está grávida, gosta de concertos, é obrigada a ver o Bigui-Broda e gosta de escrever asneiras. Isso faz de si menos anónima? A menina tem um blogue anónimo, comenta em anónimo e é tão anónima como eu e a Picante.
      Áquelas que revelam o nome e mostram a cara e os filhos, critica-se furiosamente a exposição desenfreada e, aparentemente, criminosa, por certos comentários que tenho visto por aqui. Afinal, em que ficamos?

      Eliminar
    5. Anónimo (olha a casualidade), sabe o que eu quero que se saiba o que, aqui para nós, já é muito.
      No meu caso, e blogoesfericamente falando, existe um nome o que por si só, deita a sua teoria por terra, e quando quero dizer o que seja acerca de alguém, faço-o sem me "esquecer" dele porque efectivamente assino o que digo, mesmo que isso me traga chatices.
      Não se amofinem que eu ando cá para fazer muitos amigos e amigas, jantaradas e outras cenas.
      Só referi o anonimato e que não era bonito porque gosto de chamar os bois pelos nomes.
      Salvo seja, claro.

      Eliminar
    6. Filipa, não consegue reconhecer a sua condição de 'anónimo'. Que pena...

      Eliminar
  11. Andava morta para se meter com ela, aproveitou a deixa da margarina e agora está muito surpreendida com a resposta. Que grande sonsa que a menina me saiu...Olhe, e goste ou não, ouviu meia dúzia de verdades, que é uma copiona e imitadora. E não é?!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Copiona e imitadora são termos que já não ouvia desde que tinha 6 anos.
      Obrigada pelas recordações

      Eliminar
    2. Eu adorei a resposta, a outra, não esta, que me passa ao lado, acho que para fazer este tipo de blog não havia necessidade de lhe chamar pipoca mais picante e ir no início disto para o arrumadinho e afins deixar comentários.

      Eliminar
    3. Oh Anónima, há uma diferença grande entre brincar e tentativa de achincalhar. Não andava nada doida para me meter com ela, oportunidades não me faltam. Acontece que devo ter tocado num ponto sensível, sem que bem soubesse o quão sensível ele é. O futuro o dirá.
      Já o disse e repito que gostava muito do estilo nonsense do blog, embora não goste das cartas à filha ou aos avós. Acho que ela escreve mesmo muito bem mas fico com a sensação de que é um "olhem para mim que sou tão sensível" . Uma homenagem ou um desabafo é uma coisa, passar a vida nisso é outra. Não gosto desta mudança de estilo muito oportuna.

      Eliminar
    4. (E apesar de não gostar nunca brinquei com isso, são temas demasiado sensíveis)

      Eliminar
    5. Anónima das 14.12 não haveria necessidade, acontece que poupa muito tempo, coisa que não tenho, e facilita bastante a vida. As pessoas ficam curiosas por causa da porcaria do nome. Muitas não voltam porque rapidamente se apercebem que isto não é um ataque à Mais Doce. Outras porque não gostam.
      O Pipoco fez exactamente o mesmo. Não me lembro de ninguém o ter acusado de plágio ou raivinha ou o que quer que seja.
      Quando criei isto fi-lo com um objectivo, ver se conseguia ter 1000 visitas diárias, assumindo desde logo que né faltava criatividade e tempo. O objectivo pressupunha ter visitas. Tão simples quanto isto.

      Eliminar
    6. se copia o pipoco como foi dito.
      não entendo porque nunca vou lá.
      Sério fui no inicio, daquela coisa que ia durar um ano... fui ao engano umas duas vezes

      Eliminar
    7. O anónimo tem toda a razão. Andava morta para se meter com ela, sim! Ouviu o que não queria, sim! Mereceu cada palavrinha, sim!
      E é ressabiada, sim, pois é?
      Por toda esta novela se comprova que se pode tirar as Sheilas Carinas da Amadora, impossivel será tirar a Amadora das Sheilas Carinas.

      Eliminar
    8. Que engraçado.... Está a citar-me, já reparou?

      Eliminar
  12. Parece-me que estás a dar muita importância a quem não merece.
    A Gracinha não passa de uma bronca. É completamente f***** da mioleira, não é de confiança e vive à volta do seu umbigo (sim, não se deixem enganar com o que vêem por aí).

    caRga nisso!

    ResponderEliminar
  13. Gosto de ler blogs. São o meu guilty pleasure - uma espécie de big brother a que se assiste pela internet com os auriculares nos ouvidos para não macular a imagem pessoal.
    Inevitavelmente, há uma pergunta que surge de tempos a tempos e que não consigo calar: o que é que leva uma pessoa a anonimamente tornar públicos os seus pensamentos mais íntimos, episódios da sua vida familiar, sexual, etc.? E depois, este facto que em si mesmo já me parece digno de análise, começa a ganhar contornos ainda mais misteriosos para mim: aos poucos o anonimato deixa de ser essencial. Começam a sentir a necessidade de revelar às mães, às primas, aos namoridos e aos melhores amigos coisas que normalmente ficam entre nós e nós mesmos - coisas como "eu já me masturbei frente a uma câmara ligada à internet". Neste ponto o mistério para mim já é tão denso que nem me atrevo a formular uma hipótese. Depois disto (que, como uma droga, começa a ser necessário aumentar as doses para ter moca) acena-se com o segundo nome. "Ah, é só o nome do meio, eles ficam na mesma, e eu sinto com maior facilidade que os seus aplausos são para mim". Ao fim de uns tempos, pumbas, já não chega o do meio. Tem de ser também o primeiro. Sim, que isto bate forte, e quando uma pessoa se agarra ao cavalo, andar a trote já não chega. Agora começaram as missivas endereçadas "exclusivamente" à filha que as deverá ler mais tarde - sem perceber que torná-las públicas antes de as entregar à filha é o mesmo que entregar-lhe um dia mais tarde cartas escritas em papel amarrotado e sebento porque correram as mãos de meio mundo antes de chegarem ao destinatário final. Isto é pura masturbação intelectual. Ela escreve bem? Sim, muito bem. Mas uma coisa é a forma, outra é o conteúdo. E depois, como psicóloga que ela é deve saber isto, ainda existe o conteúdo latente e o conteúdo manifesto. E o que se lê naquele blog é, do princípio ao fim: olhem para mim. olhem para mim. olhem para mim. aplaudam-me. façam tudo mas não me ignorem, porque eu sinto que quando ninguém está a olhar para mim, eu não existo. É quase triste - mas apenas quase, porque graças a mim e aos outros coscuvilheiros como eu, qualquer dia ela está de férias nas Maldivas patrocinada pela Chicco, enquanto eu continuo atrás do meu écrã à espera que o blogger vá libertando às mijinhas os posts que ela agendou.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tenho a mesma opinião

      Eliminar
    2. A exposição pessoal perante estranhos sempre me fez uma confusão imensa nas cada um lá saberá da sua vida.

      Eliminar
    3. É isso! Acaba por ser uma compulsividade. Nada mais.

      Eliminar
    4. Não podia escrever melhor, e já agora, os anónimos, como eu, são tão anónimos como a Pipoca mais Picante e as Filipas, Patrícias e afins... Certo??? Graças a Deus...

      Eliminar
    5. Não é bem assim. Eu tive de criar uma conta pata a mais Picante. Posso ser responsabilizada pelo que escrevo, mesmo judicialmente. Já uma pessoa que comenta como Anónimo, não pode de modo nenhum ser identificada.
      Fora isso sim, ninguém sabe quem sou ou onde moro.

      Eliminar
    6. Mais uma coisa, todas mas todas têm uma enorme necessidade de se expor e de se tornarem idolatradas. Mesmo aquelas que criticam e se acham muito simples e despachadas morrem de esperança de passar a ter visibilidade e give aways (:DDDDDDDD) a coisa mais cómica do mundo. Os blogs são os egos inflamados e a tola percepção que somos especiais, os maiores... E somos, mas para nós, para os nossos pais, etc.... Já escrevi várias vezes que é um fenómeno sociológico surpreendente. As homenagens que publicam, as cartas que escrevem... Dou por mim a pensar , daqui a meia dúzia de anos os meus filhos irão questionar-me porque são os únicos que não têm as suas memórias estampadas na internet, ou porque não têm sessões fotográficas infindáveis atrás do contentor, no meio do campo, no meio do lago, com pai e mãe a olharem para infinito... Sinceramente, que pobreza, que tristeza, estas pessoas projectam as suas carências nos filhos. desdizem-se em contínuo. Expõem-se como se não houvesse amanhã!!!

      Eliminar
  14. Apesar de nunca ter lido muito o blog em questão, sempre achei que havia ali uma grande vaidade e uma vontade de se por num pedestal.

    Ultimamente com posts de puxar a lágrima, em 33 anos fiz 4876 coisas, esta festa da "filha", as marcas e os fds passados a convites das mesmas deixou-me mesmo com a certeza que ela quer fazer parte do grupo dos meninos conhecidos.

    ResponderEliminar
  15. Chegou ao ponto de copiar e postar 1 excerto da sra das fraldas... O nariz já deve estar bastabte castanho, não?

    ResponderEliminar
  16. Ei!! Que nem o paredão de Carcavelos dava para coçar tanto cotovelo anónimo que para aqui anda...
    Sinceramente, leio as duas, gosto das duas, fazem-me rir, cada uma no seu estilo, e não percebo o porquê desta confusão toda... Vou atribuir ao calor e à silly season!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amanhã será outro dia e ninguém se lembra disto. São só blogs, tranquila.

      Eliminar
  17. Picante, se continua com esta gracinha acho que ainda vai fazer estalar o verniz de vez! (concordo que a resposta ao post da margarina foi um bocado despropositada, talvez a Picante tenha mesmo deslindado os (brilhantes!) planos da autora - mas só quem andasse muito distraido é que não reparava, não é?!?)

    ResponderEliminar

  18. De perto ao chegar
    Em todo o lado vou vê-la
    Zangada a gritar.
    Que é que me revela
    Não sei mas vou saber
    Já nada estranho
    Já não sonho p'ra ver
    Acordado entranho.

    Que paixão me lança
    Que ambição não se explica
    É vento que passa
    É noite perdida?
    Não! É vida vivida!
    Realidade sonhada
    Claridade abrangida
    Que a inveja acordada
    Em vão me imita.

    Mas não te sintas sozinha
    Neste mar encrespado
    Num bote à deriva
    E repara para o lado

    Desde a mais simples vizinha
    de sarja vestida
    À mais sofisticada
    De seda trajada
    Todas perfilham
    A mesma ambição
    Todas almejam
    A Glorificação.
    São Cátias Vanessas
    E Sheilas Carinas
    Que por portas e travessas
    São todas bem chatinhas.

    E para todas, Grandes Diabinhas.


    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ora agora é que oCorvo disse tudo.
      São todas farinha do mesmo saco.
      LOL...

      Eliminar
  19. Ai carambas!
    Odeio quando a bloga fica neste estado e o pior é que me vi obrigada a contribuir para este "estado da nação" este fim de semana!
    É publico que adoro ler ambas, sigo-as e leio-as com muito agrado, confesso que às vezes ando ao papel com ambas sem saber do que falam; são diferentes mas têm pontos comuns. São pespinetas, inteligentes e tem opinião própria, sabem pensar por si mesmas e batem-se (leia-se "defendem") por aquilo em que acreditam. São ambas bondosas, e, acreditem, posso prová-lo uma vez que fui alvo da bondade de ambas e ambas o fizeram discretamente. O que foi dito, foi dito, cada uma disse de sua justiça, agora chega! Há espaço para ambas e eu gosto das duas! 'Bora masé todas jantar!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois...não! Nadinha! Não contribuiu nadinha para a dramática tragédia nacional que ventos maléficos por aqui dispersaram, e muito ao invés a sua contribuição, – se assim se lhe pode chamar, – foi toda no louvável intuito de apaziguamento amaciador do espoletar da coisa.
      De que discorreu a senhora? Hã?! De almofadas e almofadões, logo, de matéria e conteúdo altamente macio, suave e delicado, coisa que, obviamente não se coaduna com a selvática e impiedosa dureza dos temas em apreciação.
      Depois, mesmo que quisesse dar a volta ao prego e enfiá-lo em parede mais vulnerável; que é assim a modos de quem apalpa avaliando para ver no que é que isto dá, nem isso porque a sua doce preocupação ficou bem expressa na dramática prelecção sobre as carências de dormitação do insone rebentinho.
      Absolvida e pode, sem restringimentos ou quaisquer outras dúvidas hipoteticamente conjecturadas, sorrir e desfrutar da bela vida em Azul... Celeste.

      Eliminar
    2. Pedrinha, eu gosto muito do que lhe adivinho.
      Vou domar a tentação e não vou escrever os posts que teimam em dançar na minha cabeça. Não tinha nada contra a pessoa, isto era uma brincadeira, achei a reacção totalmente despropositada pela tentativa óbvia de achincalhamento, aliás, se for ao FB ainda é pior, que lá não se inibe de comentar. Acho triste mas a vida é muito maior que isto e ainda bem.

      Eliminar
    3. Aquele FB parece uma cena feia de mercado municipal, encabeçada pela vendedora de peixe mais experiente.

      Eliminar
  20. Só queria dizer que, tal como a Mais Picante, também tenho saudades daqueles tempos em que a mão esquerda não sabia o que dava a direita...
    Mas, lá está, eu sou uma daquelas amish que nem facebook têm!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É irrelevante.
      Deveras importante é que a esquerda saiba o que faz a direita a fim de poder continuar a empreitada quando a sua congénere se fatiga.

      Eliminar
  21. Deve ser a minha veia de "cusca" que tomou conta de mim. Só assim me compreendo para andar a ler estas novelas mexicanas. Ela pelo menos fala de si própria, do que sente, do que lhe acontece, etc. Tem "sumo". Quanto a si PP só pelo nome se capta a originalidade do blog...Aguardo ansiosamente pela sua resposta...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A resposta está dada em cima. O assunto encerra aqui, pela parte que me toca.
      E eu não falo de mim, do que me acontece ou do que sinto deliberadamente. A minha vida é particular e não sinto qualquer desejo de a espalhar pela web. Por mais simpáticos que sejam os comentadores.

      Eliminar
  22. Ando á nora, mesmo.... Deveria dizer ando á sogra, mas não, ando mesmo é á nora, completamente perdida nestes quatro dias de ausência em que parece que a Blogosfera explodiu e eu ainda não identifiquei a origem do C4....

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ah ah ah ah ah Maria.
      Amanhã já ninguém se lembrará. O post que fiz sobre a manteiga ser melhor que a margarina feriu as susceptibilidades da ursa que teve um chilique e me tomou por uma tal de sheila rute, vai daí que até dizer que este blog era um aglomerado de textos plagiados foi um saltinho. Eu gosto pouco de tentativas de achincalhamento e respondi quase na mesma moeda, já que tive a gentileza de não emitir opiniões sobre alguns dos conteúdos que publica que também as tenho.
      Há para aí mais qualquer coisa sobre pães que caiem com a margarina para cima e manteiga para baixo, mas já é pouco importante.

      Eliminar
    2. É verdade, também acho pouco importante. Mostra só a insolência e a petulância da Gracinha. Na verdade, a quem deixa cair o pão com a manteiga para baixo pouca diferença faz, terá certamente um saco cheio dele e outro pacote de manteiga à espera. Já quem come pão com margarina, se calhar faria muita diferença que caísse mal. É justo portanto.

      Eliminar
    3. "sobre pães que caiem com a margarina"
      "caiem"???? Erro crasso! "caem"

      Eliminar
    4. É verdade, o pão ainda não leva cal. O Tm corrigiu-me a palavra e eu não dei por isso. Estando em comentário não consigo emendar. Obrigada pela gentil correcção.

      Eliminar
  23. Eu podia dizer "I told you so", não podia? Mas deixe lá que isto são só blogs, e sao tudo pessoas de algo gabarito. A Sra. Das fraldas acabou de comentar em fórum publico que a princesa de Cambridge esteve arfar que nem uma cadela, assim mesmo, ou seja, em sessão de parto, eu que não sou mae, até se me arrepiaram os tais pelos dos braços que não tenho. Um mimo de boa educação.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quê???? Arfar que nem uma cadela? ah ah ah ah ah ah. Às tantas foi assim que se sentiu quando teve as crianças e projecta nos outros as próprias experiências.
      Pois a outra não me veio chamar Sheila Rute? Só pode ser trauma do nome com que foi agraciada.

      Mas no que toca ao assunto em questão, isto não muda a minha opinião. Achava piada ao estilo nonsense do blog e acho que escreve bem, o que não quer dizer goste de todos os conteúdos ou iniciativas da pessoa.

      Eliminar
    2. 2º a miss shitty na diaper a própria não arfou pq os sacaninhas em vez de saírem pela porta tiveram que lhes abrir a janela. UM HORROR

      Eliminar
  24. Ps. Duas pulseiras Pandora? Não ha alcabodeche enough my dear

    ResponderEliminar
  25. Ó queridas, parem de puxar pelos cabelos umas das outras que ainda ficam carecas, pelo amor da santa! Num galinheiro há lugar para todas esgravatarem à vontade, para porem ovinhos e tentarem cantar de galo. Vá, amorosas, acalmar, sim? E pensar em roupas e moda e fashion, que é onde as meninas se sentem bem a valer. Aqui o Titio Dolce é um amor e explica-vos tudinho no
    DOLCE & BICHANA!!! A correr espreitar, vá, seus doces.
    http://dolcebichana.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  26. mto cuidado com quem se mete com a gracinha. leva com a fabrica de azeite inteira. empregadas de cabelo preso em rede e chinelo na mao a ripostarem. mete muito medo, daí o anonimato. quem n se mete com ela sou eu. já estragou a vida a muita gente.

    ResponderEliminar
  27. Cara Pipoca, dou por encerrado o meu processo observatório, tendo sido apenas conclusivo quanto ao impacto causado na Gracinha. Pipoca, aceite, eu sei que pode ser duro, mas é a musa inspiradora da menina de Alcabideche que um dia sonhou ser de Birre. Desde que lhe escreveu pela segunda vez que ela não pára de publicar. Está imparável, mesmo. Não sei se lhe agradeça Pipoca, não sei.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vou enfiar a Gracinha na arrecadação durante uns tempos, melhor vou mandá-la à terra com a D. Joaquina a ver se passa.

      Eliminar
  28. Não há quem ajude a dona Mónica a ser mais feliz? Coitada... a mandar bocas a uma mãe de três que gostava de ter tido partos normais mas que nao pôde? Que miserável.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ora bem, cá a mim pareceu-me mais uma boca a uma mãe a propósito de outra boca que essa mãe mandou a uma terceira mãe. E sim, tem algo de miserabilista uma pessoa dizer que a Duquesa de Windsor está a arfar que nem uma cadela. É fino.

      Eliminar
    2. A sério? E se lhe disser que a expressão consta de um livro de Lobo Antunes? Já fica mais fino? Pobres de espírito.

      Eliminar
    3. Fica igualmente mal educado. Não me diga que acha que há um certo tipo de pessoas que podem dizer alarvidades sem que isso lhes fique mal?
      Aliás é como a expressão "pá" ou "catano". São finíssimas!

      Eliminar
    4. uma pena que não veja a troca de comentários para perceber como se pode ser injusta. a "senhora das fraldas" insurgiu-se no facebook contra duas pessoas que gozavam com a duquesa, por ela ter demorado muito tempo a ter o bebé, explicando-lhes que ao contrário das cesarianas, em que é tudo rápido, a senhora tinha estado ali uma valente, a arfar como uma cadela asmática, e que por isso essas coisas levam mais tempo que um rasgão feito por um médico. e depois vem a tal mónica deturpar tudo (na sua doença mental), dizendo que a senhora das fraldas desrespeitou a katezinha. não é doentio? eu acho...estas pessoas que pegam numa pessoa para a odiar e deturpar tudo devem ter vidas muito infelizes.

      Eliminar
    5. Anónimo das 11.13h o palavreado não é o mais bonito, verdade?

      Eliminar
    6. PMP, ao seu comentário das 10:27, respondo com um excerto de um post seu:

      "Eu podia ser uma Pipoca cor de rosa

      Mas teria de usar jargão com graça e em verdade vos digo que não é qualquer um que o poderá fazer."

      Eliminar
    7. Ah ah ah ah ah ah touché!
      (Vamos parar por aqui Ok? Na verdade não vi o comentário da SMS, o post não é sobre ela, e eu prefiro tecer ironias a respeito de conteúdos e aspectos exteriores do que a respeito de pessoas. Não acho a analogia bonita, que não acho, independentemente de quem a profira)

      Eliminar
  29. PP as suas brincadeiras tem aquele toque de inocência, de ingenuidade...O seu blog também daria uma excelente análise sociológica ou psicológica...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Be my guest. Mas se lhe for indiferente prefiro a sociológica.

      Eliminar
    2. Cara Pipoca; discordo completamente!
      Quer se trate de uma duquesa, condessa ou rainha; é sempre uma mulher igual a uma sopeira, com apenas o ter nascido num berço mais sofisticado, porque de resto engravidam como as outras e parem como todas, utilizam o quarto de banho como todas e usam os mesmos pensos de todas, ou parecidos.
      Arfa como uma cadela, se tiver de arfar ao parir, tanto uma rainha como uma plebeia.
      Particularmente não acho mal as expressões que condena, fazem parte do nosso léxico e quando aplicadas num contexto de humor são muito bem-vindas, mas já condeno veementemente a expressão do "estou cagando" "caguei" "caga para isso" porque acho que é deslustrante para qualquer personalidade, sobretudo quando vindas duma senhora porque são expressões rudes e de carroceiro.

      Eliminar
    3. Pobres carroceiros... Logicamente, não haverá mulheres carroceiras.

      O seu comentário é tendencioso.

      Eliminar
  30. aqui um àparte... a piquena diz que só engordou 4kg na gravidez??? ai ca ganda mentira!!!! ou então a criança nasceu e foi directa para a incubadora... pois só eu, engordei 20kg em cada gravidez :p (não é orgulho nenhum...)
    4 kg??? WTF???

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É perfeitamente possível. Basta que não inicie a gravidez magra e que tenha enjoos crónicos. Se deitar fora tudo o que come pouco engordará.

      Eliminar
    2. ahahahah!
      Nem assim... ou então será uma caso de estudo... Sai uma Case Study para o blogue do lado ófaxavor! Nem quando as crianças nascem com 1,5kg...
      (Eu sou anónima porque não tenho blogue nem nada dessas modernices, por isso acho que só posso comentar assim..)
      Em cima tb era eu
      lol
      Pat

      Eliminar
    3. Acredite que é possível. Tenho amigas que engordaram 3kg, 6kg.... Como tenho outras que engordaram 15, 20 e até 30.

      Eliminar
    4. a sério??? ai que me sinto tão mal :(
      pronto.. vou deixar a senhora em paz e acreditar que só engordou 4 míseros quilinhos... nesse caso... até te nho inveja :)
      Pat

      Eliminar

Os comentários são da exclusiva responsabilidade dos comentadores.
A autora do blog eliminará qualquer comentário que ofenda terceiros, a pedido dos mesmos.