sexta-feira, 12 de julho de 2013

Estado da nação

Vejo nas noticias que um bando de imbecis invadiu a AR, os membros do partido comunista, sempre a falar de democracia e a acusar os outros de ditadores, deverão ser eles próprios as pessoas mais anti-democráticas que existem, parem de falar pelos Portugueses caramba! Vocês não são mais que uns míseros 8% dos Portugueses, o governo foi democraticamente eleito e não se demite por causa de meia dúzia de arruaceiros, nem sei o que mais me entristece, se ver as figuras imbecis e desrespeitadoras desses energúmenos, se constatar que os jornalistas estão mais preocupados em pedir explicações a quem teve de gritar para se fazer ouvir, essa sim com toda a legitimidade para se fazer ouvir, só por ter usado uma citação de Simone de Beauvoir, ao que parece proferida a propósito da invasão alemã. E em verdade vos digo que, se tiver de escolher ditadores, inclino-me bastante mais para indicar os que querem destituir um governo democraticamente eleito, porque consideram não haver condições para governar, os que não hesitam em invadir um órgão de soberania onde estão reunidos os representantes do povo, os que não hesitam em amedrontar, em fechar pontes ou auto-estradas. Os nazis eram ditadores, os comunistas só não são porque pura e simplesmente não podem. É caso para dizer e esta, hein?

49 comentários:

  1. Tem muito para aprender sobre democracia!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Por acaso não tenho. A menos que democracia, para si, seja todos fazerem o que uns poucos querem (esteja ou não o caro Anónimo inserido nesses "uns poucos")

      Eliminar
    2. Constituição da República Portuguesa
      Artigo 9.º
      Tarefas fundamentais do Estado

      Não sei o que quer dizer com esses "poucos". Nunca em Portugal se assistiu a tanta contestação. Felizmente! E por alguma coisa será, não lhe parece? E não é por acaso que se chama "casa do povo".

      Eliminar
    3. O governo foi eleito por 4 anos, não sei se sabe. E de acordo com a lei não é ao povo que cabe dizer agora já não quero. É ao PR. Que por acaso acabou de reconhecer legitimidade ao governo.
      E é a casa do povo porque é aí que trabalham os representantes do povo. Não é para o povo ir fazer arruaça. Não é assim tão complicado de entender.

      Eliminar
    4. Para algumas pessoas: casa do povo = nossa casa.
      Nesse sentido, quando passar por lá, sou capaz de andar nua ou até quem sabe, aproveito e vou pinar para o hemiciclo, que é coisa que tb faço em casa.

      Eliminar
  2. Ora, ora... Depois desta trapalhada toda, o homem médio, que vê, o seu dever/direito de voto, representado no "governo" actual, assiste, nas galerias aos debates e,a sua postura deve ser a de, aos sussurros dizer : "ora bolas, isto está mal, mas ainda pode ficar, pior que maçada..."

    Manifestações? C´ORROR! Cambada de selvagens.

    Contudo, quando, alguns, senhores deputados falam uns por cima dos outros, mentem descaradamente, são confrontados com factos e assobiam para o lado, isso sim, é democracia. Isso sim é legitimidade de exercício.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. As manifestações têm de ser autorizadas e o seu lugar não é dentro da AR. Era o que mais faltava, intimidar os deputados. É contra a lei. É anti-democrático. Portanto, quem entra na AR tem de a respeitar, por muito que isso lhe custe.
      E as manifestações deveriam ser pacíficas e não intimidatórias.

      Eliminar
    2. A senhora Assunção é que se sentiu ameaçada. Nunca ouviu dizer que quem não deve, não teme?

      Eliminar
    3. Esse comentário é digno de Oscar. Portanto é legitimo ameaçar e intimidar. Está muito bem.

      Eliminar
  3. 100% de acordo. Não há pachorra para essa malta do PCP.

    ResponderEliminar
  4. Comunistas e fascistas são todos a mesma coisa. Acho piada aos que se afirmam comunistas e sabem menos de Marx que eu. E se antes do 25 de Abril de '74 achavam que faziam muita falta, olhassem para o regime instalado na União Soviética da altura e nas atrocidades cometidas sobre os presos políticos. E ainda hoje olho para os chamados comunistas e fico a pensar: isto é tudo muito engraçado, mas existe vida para além das festas do Avante.

    ResponderEliminar
  5. Todos os partidos com acento na Assembleia têm direito a pronunciar-se e manifestar fora ou dentro dela.

    O que se passou ontem foi uma enorme falta de respeito pela Presidente (se fossem um homem em vez de uma mulher fariam o mesmo ???)e pela Assembleia em si mesma e pelo que ela representa.

    Eu no lugar da presidente teria dito "VÃO TODOS À BARDAMERDA

    ResponderEliminar
  6. Comunistas erraram. Deviam ter levantado o rabo da cadeira assim que a senhora histérica entrou em loop. Porque foram eleitos por tiranos como ps que irromperam as galerias. Por alguma razão há galerias e abertas so publico. Nao concordo com as manifestaçoes que interrompem os trabslhos mas nem eles trabalham assim tanto, nem é razao para o vaipe genuino da senhora presidenta. Goste-se ou não, ela é representante de um sistema democratico. Quer ser autoritario, monte um castelo da playmobil em casa

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mônica, lamento mas as galerias da AR não são o local para manifestações.
      A reacção de A Esteves não é nada ao pé da falta de respeito pelo órgão de soberania. Se os deputados trabalham muito ou pouco são outros 5 tostões que também não justificam o que se passou.

      Eliminar
    2. Pipoca, acho que ainda ninguém estabeleceu que há sítios onde se pode e onde não se pode manifestar agrado ou desagrado. Se vamos por aí, então também podemos falar dos aplausos na casa de Deus.

      Eliminar
    3. Isso não é bem assim, qualquer manifestação tem de ser autorizada por lei. É este o enquadramento legal da coisa.
      Além de que a nossa liberdade acaba quando pisamos os valia de outrem. Se for fazer barulho para um hospital ou biblioteca mandam-na sair, com toda a legitimidade porque está a perturbar is demais utentes. A AR ainda não é um circo, por vezes pode parecer, mas não é.

      Eliminar
    4. Quando pisamos os calos de outrem. Raios partam isto.

      Eliminar
    5. Então condeno também veementemente esses que na casa de Deus aplaudiram os senhores da política

      Se fossemos todos como a estimada pipoca certamente o 25 de Abril nunca teria acontecido.

      Eliminar
    6. Acha mesmo que aplaudir alguém, não interrompendo qualquer tipo de cerimonia ou trabalho, e cometer um acto ilegal é a mesma coisa? Sério?

      Eliminar
    7. O princípio é o mesmo, pipoca, é só isso que estou a tentar dizer, são em ambos os casos demonstrações de agrado e desagrado ocorridas em locais e momentos não expectáveis.

      Eliminar
    8. Percebo o ponto mas não concordo. Se num caso houve aplausos, não interrompendo qualquer cerimonia, não intimidando ninguém ou violando qualquer regra (há aplausos nas Igrejas no fim de um casamento ou baptizado, por ex,). Noutro caso houve uma clara violação das normas que regem o acesso às galerias, houve interrupção de trabalhos, perturbação da ordem e intimidação. Parecem-coisas muito diferentes, já que uma não causa danos e outra é contra a lei.

      Eliminar
    9. Tudo certo, P+P (e só não concordo com o Anonimo porque o que se passa na igreja passa-me ao lado, é a minha costela agnostica), mas se a) a manifestaçao está errada; b) o exagero histérico da reacção da Presidente da AR é um sinal claro do que aquela senhora é na sua essencia (e já o demonstrou no passado); c) a partir do meomento em que há acesso às galerias correm-se estes riscos que não tinham violencia inerente: apenas ruido; d) até acedo que se revejam, se necessario, regras de acesso, vetar o mesmo é que não, lamento. Não sei se conhece uma serie de TV que é How I've Met Tour Mother: nela há uma teoria do Crazy Eyes (mulheres que se percebe que são loucas pelos crazy eyes)... é assim que percepciono a AE

      Eliminar
    10. Mônica mas já existem regras. De acesso e comportamento. As pessoas têm de jantar-se em silencio ou serão expulsas. E já vi que quem liderou aquio, foi o Mário Nogueira da fenprof. Ao que sei as manifestações têm de ser autorizadas. Tão simples quanto isso.

      Eliminar
    11. Ah ah ah ah raios partam a escrita inteligente do Tm. Eu queria escrever manter-se.

      Eliminar
  7. Vim aqui parar por mero acaso porque vou saltitando de blog em blog. Mas pelos posts que li apetece me dizer cresce e aparece. Tens muito a aprender...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Por acaso tenho, sim senhora, tenho a estranha convicção de que ao longo de toda a vida vamos aprendendo coisas.
      Aprendo muito com as pessoas, com umas aquilo que sim, que me faz sentido, com outras o que definitivamente não quero ser. É o seu caso, definitivamente não gostaria de ser o tipo de pessoa que, não dando qualquer justificação e não acrescentado qualquer tipo de valor, vem a blog alheio tentar ofender
      E, a propósito de aprender, escreve-se "apetece-me"

      Eliminar
  8. Nem sempre concordo consigo, poucas vezes acho "piada" ao teor dos seus post sobre o que outras bloggers ( será assim que se diz??)pensam(?), escrevem e publicam.No caso deste post, só tenho que lhe dizer que concordo em absoluto.

    ResponderEliminar
  9. Não podia estar mais de acordo...
    A "oposição" é como no sketch dos GF...

    http://www.youtube.com/watch?v=DmNKm9oU-Kk

    Nem nada, nem melhor. Não estou contente com o rumo que as coisas levaram, eu que votei nesta coligação. Mas soluções, hã?? Como ?? Ah, pois, não sabe, mas sabia antes, não era ??? Sabia tudo... Esta esquerda está louca, pour Toutatis...

    ResponderEliminar
  10. Quem escreve o que lhe apetece tem de ter capacidade de discernimento para ler o que gosta e o que não gosta...A menina é sensível...

    ResponderEliminar
  11. Não sou sensível, até gosto de discussões saudáveis. Mas uma coisa é dizerem-me que não concordam e apresentaram argumentos. Outra, é virem dizer que não percebo nada disto ou chamarem-me parva e pronto. Acho isso simplesmente estúpido, próprio de quem não tem argumentos e sinal de fraca inteligência.

    ResponderEliminar
  12. Este tipo de generalizações são de quem apenas assiste e pouco sabe sobre a realidade.
    Não elegi esta gentalha de direita e como sou das poucas pessoas que ainda tem emprego, não pude ir à assembleia gritar também. Também não sou comunista.
    Este governo teimoso que só sabe mentir e a quem vários entendidos na matéria já explicaram que com austeridade não vamos lá (até um bebé percebe isto) continua a destruir o país, aprova leis "às escondidas" por serem inconstitucionais e parece que se diverte com a fome e a miséria.
    E vem-me falar de democracia?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Venho claro que venho. O governo foi democraticamente eleito. Quem é contra tem todo o direito de protestar, nos locais adequados. Não é o caso das galerias da AR, lamento.
      E as leis não são aprovadas às escondidas, são aprovadas em AR, promulgadas pelo PR e publicadas em diário da república.

      Eliminar
    2. O governo foi eleito baseado numa campanha de promessas falsas e com a vida das pessoas não se brinca.
      Quando as leis são aprovadas e as suas propostas não foram discutidas pelos parceiros sociais e pelos sindicatos, são inconstitucionais.

      Eliminar
    3. Minha querida Vera, esta não é a primeira e infelizmente não será a ultima vez que um governo diz uma coisa e faz outra. Parte da razão é porque, até chegar ao poder, não conhece a exacta dimensão dos números. O que diz é infantil e não tira a legitimidade ao governo. As propostas de lei são discutidas em AR, claro que os parceiros sociais deveriam estar em envolvidos. Mas nada na lei diz que o têm e ser. É tudo uma questão legal. Analise a coisa friamente e verá que tenho razão.
      O que faz uma lei inconstitucional é não respeitar a constituição portuguesa, não tem nada a ver com a discussão ou ausência da mesma com os parceiros sociais.
      (Eu não concordo com muito do que o governo fez, mas há que ver as coisas como elas são, é uma questão de se ser racional)

      Eliminar
    4. Cara Pipoca, leia melhor a constituição ou então pesquise um bocadinho sobre as acções judiciais contra o estado, precisamente por se recusarem a debater com os parceiros sociais e os sindicatos as leis que aprovam.
      Infantil... diga isso aos colegas do jardim de infância da minha filha que chegam à escola com fome, diga isso a quem perdeu tudo na vida por causa de uma dívida que não contraiu...
      Nem precisa de se dar ao trabalho de me responder... tenho pena, pensava-a mais inteligente e mais humana.

      Eliminar
    5. Vera era bom não misturar coisas. Essa gente que invadiu a AR cometeu um acto ilegal. Eu não sou por Maquiavel, não acho que os fins justifiquem os meios. Por muita razão que tivessem, que também não a têm, perdem-na quando cometem um acto ilegal.
      E há-de explicar-me onde é que na constituição diz que as leis têm de ser debatidas com os parceiros sociais. As leis são discutidas em AR. Ê esse o funcionamento do órgão de soberania. Não misture emoções com leis, não tem nada a ver.
      Mais, os senhores que invadiram a AR, cometendo um acto ilegal, são sindicalistas de profissão, são os responsáveis pelos piquetes de greve. Quer maior violação de democracia que impedir alguém de ir trabalhar e obrigá-la a fazer greve à força?

      Eliminar
  13. Os nazis torturaram e mataram milhares de pessoas a referencia da mulher de cabelo esquisito com reforma choruda é um desrespeito pela história e pela Europa. A mim a tipa nunca me enganou, mas enganou muita gente. É uma ordinária como os restantes PSD's.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se vamos por aí, os comunistas também torturaram e mataram milhares de pessoas.

      Eliminar
    2. A cabelo tapa orelhas fez uma referencia nazi de onde vem a sua obsessão comunista? Tb acha que comiam criancinhas ao pequeno almoço? De que mortes e tortura fala? Eu falo de milhares de pessoas mortas em câmaras de gás e outras milhares em campos de concentração.

      Eliminar
    3. Estude um bocadinho de história russa ou chinesa e depois fale comigo.

      Eliminar
    4. Estudo a europeia e já me chega para tanto nazi.

      Eliminar
  14. Qual o DL onde está escrito que é proibido o Povo manifestar-se nas galerias da AR?

    ResponderEliminar
  15. "Regulamento de Acesso, Circulação e Permanência nas Instalações da Assembleia da República Despacho n.º 1/93, de 19 de Março
    ...com as alterações introduzidas pelo Despacho n.º 124/VII, de 13 de Fevereiro...pelo Aviso de 12 de Novembro de 2012:
    Artigo 7.º
    Circulação e permanência do público no Palácio de S. Bento:
    O público que assiste às sessões plenárias só tem acesso às galerias a esse fim destinadas.
    Artigo 14.º
    4 - Ao destacamento da Polícia de Segurança Pública compete:
    a) Controlar o acesso às instalações, inspeccionando as pessoas e as bagagens nos termos das leis em vigor e do presente Regulamento;
    c) Cumprir as instruções e determinações do Presidente da Assembleia da República destinadas a manter a ordem e a disciplina nas galerias abertas ao público"

    Nas instruções do cartão de acesso do público às galerias, ponto 1, é referido que o público deve manter-se em silêncio sem se manifestar. No ponto 5 é referido que quem não acatar estas orientações, será expulso.

    Daqui se conclui, que as pessoas que se manifestaram nas galerias, sabiam que iam ser expulsas pelas forças de segurança.

    Realmente não se percebe porque é que as pessoas se manifestam e estão revoltadas...está tudo a "correr" lindamente no nosso País: quase não existe desemprego; os ordenados/pensões estão a ser mensalmente aumentados; os escalões do IRS foram ajustados por forma a favorecer quem trabalha; acesso aos serviços públicos gratuitamente; para não falar em BPN, BANIF, PP´s e tantas outras coisas...

    O seu post começa de forma extraordinária: "Vejo nas noticias que um bando de imbecis invadiu a AR, os membros do partido comunista..."

    Vá à noite, dar sopa a quem nada tem e dorme na rua. Mas deve ser por que lhes apetece, claro!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Por acaso eu até trabalho com a comunidade vida e paz. Acredite que não são esses que se manifestam.
      Mas eu limitei-me a condenar um acto ilegal. Feito por sindicalistas já agora. E contra factos não há argumentos, obrigada pela transcrição do artigo.

      Eliminar
    2. Os sindicalistas também são do povo e têm direito a manifestar se como qq pessoa.

      Eliminar

Os comentários são da exclusiva responsabilidade dos comentadores.
A autora do blog eliminará qualquer comentário que ofenda terceiros, a pedido dos mesmos.