quarta-feira, 19 de junho de 2013

E quando....

Leio os posts saudosistas sobre os professores que tiveram na primária, penso que a minha professora também era fantástica eu gostava mesmo dela, assim como das que tive a história, ciências ou economia.
E sorrio ao lembrar-me de como a professora Alice quase me matou, ao deixar-me cair de pescoço no chão, quando eu fazia o 3º flic à retaguarda. Lembro o professor Nuno, que dava aulas de português às 8 da manhã, directamente vindo do Bairro Alto, ainda com os olhos encarnados da erva. E rio à gargalhada quando penso no professor António que nos dizia que Gil Bixente era um desavergonhado, enquanto tentava mirar as mamas às raparigas.
Sim, essas declarações emocionais a puxar ao sentimento não me dizem nada.

38 comentários:

  1. a mim já me fizeste rir com este post e agora lembro que também tive profs uns fixes outros mais cromos : D

    ResponderEliminar
  2. Pelas minhas contas, foram 3 os professores que ainda a fazem dar umas valentes gargalhadas? Ou os do primeiro parágrafo também se incluem?
    Sorte a sua, já viu? Se não tivesse feito a alusão a Gil Vicente e aos 3 professores das disciplinas básicas (à exceção da Economia, naturalmente), dar-lhe-ia toda a razão: com tão pouca escolaridade é natural ter tido 100% de professores incompetentes.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo, além de não saber interpretar um texto, também não sabe fazer contas. Parece que os meus professores eram bem mais competentes que os seus. Ou que eu sou mais inteligente. Ou, em calhando, ambas as duas.

      Eliminar
    2. Terminou a matar: ambas as duas, ficou-lhe bem!
      Não me fale em interpretar textos!
      Já chega de ironia por hoje.

      Eliminar
    3. Prof Alice, Prof Nuno e prof António não são 3?
      Tenho, mesmo, que regressar à primária.

      Eliminar
    4. Só 1 faz gargalhar
      Ambas as 2 foi propositado, parece-me fácil de perceber.

      Eliminar
    5. Para além do seu "porque", que já aqui corrigi, em tempos, a Pipoca escreve bem.
      Só um a faz gargalhar?
      Eu passaria horas a contar peripécias dos meus professores, a gargalhar, ora em tom de gozo, ora com saudades.
      Até de mim, como professora, me rio.
      Veja só que, na semana passada, dizia a um aluno "O que me irrita é andares comigo há 4 anos, teres jeito e não fazeres nada! Se te fizesse uma oral, brilhavas!"
      Consegue ouvir as gargalhadas de uma turma inteira?
      Maldita língua, esta!:)
      É claro que me saí bem com a resposta às mesmas, mas se fosse em outros tempos metia-me debaixo da mesa, com vergonha.lol
      Parece-me, ao ler o post atual, que, afinal, teve muita sorte.:)

      Eliminar
    6. Ah ah ah ah ah essa é brilhante.
      No texto que escrevi só um fazia gargalhar. A maior parte fazem-me sorrir com carinho.
      Tive excelentes professores, alguns muito importantes que me transmitiram ensinamentos para a vida.
      Acho que só tive 1 ou 2 francamente mauzinhos.
      Tenho o maior respeito e admiração pela classe, eu seria incapaz de exercer tal profissão.

      Eliminar
    7. Lembrei-me de uma boa: Tive um professor que corava até a dar Gil Vicente. Um dia está a falar da origem das palavras portuguesas e a explicar que muitas derivaram do latim clássico e outras do latim vulgar,falado pelo povo. E explica que olho e óculo têm a mesma origem, mas ramificações diferentes. Dada a explicação pergunta: "e como é que do oculum chegamos ao olho?" Gargalhada geral e ruidosa!!!

      Eliminar
  3. Quem não sorri os velhos professores, mesmo que uns mais competentes dos que os outros? Até eu os sorrio e sou prof. (e fiz greve, mas isso não vem ao caso, porque já li ali abaixo muita coisa que me desagradou!)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Só me desagradou o dia escolhido, que fique bem claro.

      Eliminar
  4. Eu também tive cada cromo. E aqueles que tinham tiques nervosos? E bengalas de expressão? eheh. Mas havia aqueles que eram espectaculares, mesmo que a matéria fosse uma seca, conseguiam transformar aquilo em algo interessante, participativo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A maioria dos que tive eram excelentes. Tinha uma professora fantástica, a cálculo financeiro que era no Norte, passava a vida a dizer cê linha (c'), a propósito de alguam equação de cálculo combinatório mas dizia cilinha, rapidamente ficou conhecida como a professora Cilinha, por vezes enganávamos-nos e chamávamos-lhe isso mesmo. Ah ah ah ah

      Eliminar
  5. Ah! Para que foi falar disso? Despertou em mim nostálgicas e sentimentais recordações, profundos e nunca ultrapassáveis sentimentos pela minha indevével professora, belíssima e encantadora senhora de 28 anos por quem me apaixonei assolapadamente aos meus nove anos, quando era seu aluno.
    O mais difícil de aturar, o que a desesperava de morte e o que ela mais acarinhava.
    Que Deus à guarde sempre bela e generosa no Céu, assim como eu guardarei sempre um bocadinho dela no meu coração.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O peixinho morre sempre pela boca e pelos vistos os corvos também." Que Deus à guarde"???? Ahahah muito bem!

      Eliminar
    2. Ainda se fosse: Que Deus à tenha.....agora que Deus à guarde. Desceu do salto é o que eu lhe digo. Anos e anos a formar uma imagem destas e depois.....
      ( estou a brincar não se enerve que isto são so blogues) ahah so não tem acento.....lol

      Eliminar
    3. Ó anónimo. Então não tem?! Um só sem acento fica muito so...zinho. :)
      São só blogues, assim fosse por todos compreendido.
      B F S.

      Eliminar
  6. E eu lembro-me da minha professora da primária, cujo nome nem recordo, mas que era má como as cobras. Separava os alunos por mesas: a dos doutores, a dos assim-assim, e a dos burros. Sim, eram estes os nomes das mesas. Graçádeus sempre estive na mesa dos doutores, mas aquilo era humilhante e até eu, com os meus 6 e 7 anos, percebia isso.

    Depois, um dia, um colega meu matou uma rã à patada. Qual foi a solução dela? "Agora vamos todos dar patadas ao Bruno, para ver se ele gosta". E pôs quase toda a turma a dar patadas no rapaz. Eu e a minha irmã horrorizadas, a olhar.

    Ah, que saudades... os professores são todos óptimos, não haja dúvidas. Infelizmente, não o são. Acredito que a maioria o seja, mas não são todos bons.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Na classe dos professoras, tal como em todas as outras, há bons e maus profissionais.

      Eliminar
    2. Ainda há pouco tempo ouvi queixas acerca de uma que fazia isso. Só não dava era patadas aos miúdos, tirava-lhes o lanche da manhã, como incentivo a não falarem...

      Eliminar
    3. Não acredito S! Eu pensava que só a minha querida Prof. Mª Albertina separava os alunos por "categoria - os mto bons, os bons, os assim-assim, os menos bons e os piores (não lhes chamava burros mas ia dar ao mesmo). Eu adorava a minha professora primária e aprendi muito com ela, mas aquela técnica era de facto mais do mais anti-pedagógico que há. Felizmente, os professores de hoje já não são assim.

      Eliminar
    4. Anónimo, isso eu bem sei. Infelizmente, nem todos podemos dizer que só tivemos bons professores... :/ Mas tive maioritariamente bons professores, é o que importa.

      Eliminar
    5. Ana M., a minha era terrível... não tinha noção do má que ela era naquela altura. Uma bruta.

      Eliminar
  7. Tipooooooo... Os melodramas da Polo?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu gosto muito dela, só não concordo é com todas as opiniões. Este caso específico tem pouco a ver com emoções ligadas a memórias antigas (na minha opinião, claro)

      Eliminar
  8. A D. Isaura já era velhota dormia muito e tinha pouca paciência. Os 2 anos que estive com ela, para além de ler, escrever e a tabuada de trás para a frente, não aprendi muito mais... Aprendi músicas tipi viral para a altura, aquelas que se entoavam de braço esticado. Os 2 anos seguintes com a Professora Fernanda foram magistrais. Acabei a 4a classe com uma preparação que não vejo agora a muitos sextanistas. A preparatória foi um susto, mas foram dois anos de excelente preparação para a alienação do Liiceu, onde me enquadrei surpreendentemente bem, fazendo amigas em ambos os lados : populares e marronas. Estudei que nem uma desalmada para poder dispensar os exames do 5o ano com pelo menos média de 15... Entretanto chegou Abril e a rebaldaria que todos conhecemos.... Tenho saudades daquelas tardes de Primavera quando levávamos a merenda e o ponto de Cruz para o Jardim Botânico e estava ameno e cheirava a flores, e......

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se eu fosse pessoa de prantar smiles, agora sairia um.

      Eliminar
  9. O meu professor primário fumava cachimbo dentro da sala, fechada claro. Nas quintas faltava e ía à caça! Tive um que dizia várias vezes na mesma aula: e pronto , é sistematicamente a mesma coisa!( tipo ambas as duas). Outro deixava os testes dentro do carro e em 30 ( sim éramos 30), 6 ou 7 eram entregues ilegíveis nas páginas que apanhavam sol dias e dias espalhados no carro! O sol comia a côr.... Ainda outra abria e fechava as portas com o pé, não escrevia no quadro e pegava no livro de ponto com cara de nojo! Ficava aqui a noite toda.ahah já escrevia um livro eu!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É deveras singular.
      Sabe distinguir a redundância do (ambas as duas) e coloca acentuação a "ia" e a "cor."

      Eliminar
    2. O Mocho é que era, lol

      Eliminar
    3. Caro corvo,bem sei que já aqui disseram que escreve bem, mas isso não o torna num menino prodígio sabia? Menos corvo, menos. Escrevo no telemóvel e por vezes as palavras não são escritas correctamente. Acontece a muita gente sabia? Mais alguma coisa da minha pessoa?

      Eliminar
    4. Menino?!...Hum! Seria um pouco difícil. Prodígio...bem; acho que também não. Ainda não consegui arranjar solução para o fatídico minuto 92.
      Masi alguma coisa...sim! Um excelente fim-de-semana.

      Eliminar
    5. Para si também Corvo.

      Eliminar
  10. Oh Pipoca, já podias ter dito há mais tempo que bateste com a cabeça em piquena... Em calhando isso explicaria muita coisa... Muahahahahahahahahahaha!! (Não te zangues comigo hã... brincadeirinha carinhosa :) )

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ah ah ah ah ah ah ah Aquilo foi sério, a desgraçada disse que me ajudava no 3º (os 2 primeiros eu fazia sozinha), falhou-me um dos pulsos e caí de cabeça. Apanhei medo à coisa e nem uma aranha para trás conseguia fazer depois da queda. Os meus professores de ginástica à séria apanharam uma fúria, tiveram de me mandar para a piscina treinar mergulhos de cabeça invertidos até o meu subconsciente perceber que o corpo ainda sabia fazer a porcaria dos flics. À conta disso proibiram-me de fazer aquela ginasticazinha de brincadeira, como lhe chamavam.

      Eliminar
  11. Txiii agora também me lembrei de umas quantas histórias semelhantes!!!

    ResponderEliminar

Os comentários são da exclusiva responsabilidade dos comentadores.
A autora do blog eliminará qualquer comentário que ofenda terceiros, a pedido dos mesmos.