terça-feira, 7 de maio de 2013

Post para perder uma meia dúzia de seguidores

Se eu mandasse no mundo, o que eu mudaria mesmo não eram as unhas de gel ou as alças de soutiens transparentes, tampouco perderia muito tempo com aquelas botas ortopédicas que parecem andas e cujo nome se me esquece, não... no dia eu que eu mandar no mundo eu acabo mesmo é com aquele tipo de pais que acham que às crianças, apenas por serem crianças, tudo é permitido.

23 comentários:

  1. A falta de educação não se admite a ninguém, independentemente da idade.

    ResponderEliminar
  2. Só mereces algum crédito o dia que fores mãe. Até lá fecha a boquinha e não digas asneiras que só te fica mal.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Sr. Anónimo. Ninguém ama mais a minha descendência do que eu. Mas não lhes permito tudo: não lhe permito falta de educação, não lhes permito que incomodem os outros só porque lhes apetece e muito menos lhes permito a cobardia de se esconderem no anonimato para defenderem as suas ideias ou os seus pontos de vista. Cumprimentos e os meus votos para que evolua e se torne num ser humano.

      Eliminar
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Eliminar
    3. Este comentário foi removido pelo autor.

      Eliminar
    4. Uauá responder... Mas a verdade é que a Lulu já disse tudo.

      Eliminar
    5. Ora bem, Pipoca para PresidentA e Lulu para Vice-PresidentA!
      Tenho dito :)
      Quando são as eleições????

      Eliminar
  3. Eu também!
    E eu sou mãe de dois!
    Não permito.
    É muito simples.

    ResponderEliminar
  4. Parece que concordamos Pipoca, se há coisa que me irrita são as crianças sem modos, sem valores e sem educação. Porque depois é quase inevitável tornarem-se adultos seguindo as mesmas "orientações".

    ResponderEliminar
  5. Ia perguntar se haveria alguém que não concordasse com isto, mas depois vi ali o comentário das 09:31 e já meto a viola ao saco... (É mesmo verdade que há de tudo neste supermercado de Deus!) Sim, senhor(a) das 09:31 eu sou mãe, não se enerve já. Nem que não fosse, qualquer pessoa que tem de levar com os fedelhos mal educados desta vida (nem que seja por estarem aos berros na mesa ao lado - com os adultos a não fazerem nada para contrariar aquele comportamento, tem direito de opinar).

    ResponderEliminar
  6. Eu até ia dizer qualquer coisinha...mas a Lulu disse tudo...
    Mainada!

    ResponderEliminar
  7. Olhe, clap clap.

    Isso é sinal de pais que não perceberam que amor de pai não é, não pode ser salvo conduto para total regabofe. Depois as belas crianças mal educadas, crescem e são adolescentes ainda mais insuportáveis e sem respeito pelos outros e desembocam em adultos desnorteados. Uma criança precisa de limites e orientação, faz parte do processo de educação e de ... ser pai/mãe, acho eu. Pelo menos foi assim que me ensinaram: não gritar, portar-me bem à mesa, respeitar os mais velhos, não fazer birras, esperar que me dissessem que me podia levantar, horas para dormir, horas para brincar. Aprender a lidar com o "não" e não discutir. Não bater a um pai (no sábado, no IKEA, um miúdo de 5 anos mordia e pontapeava violentamente as pernas do pai porque este não lhe dava coca cola; e o pai nem uma única reacção, nada, deixou-o estar aos gritos naquele belo espectáculo).

    Enfim... Não obstante, eu acabava com as unhas de gel, com as alças de soutien transparente, com as Pandoras e com os Eletta vilamoura. decretava até uma mega fogueira para queimar até à ultima Pandorinha da face da terra.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tenho uma Pandora, não queime a minha, please.

      Eliminar
  8. Pois eu penso que, em termos gerais, já que se vai passar mais tempo na idade adulta que na da infância, esta seja de preparação. E se não será tudo permitido na idade adulta (qd se paga com o próprio corpo os erros cometidos) porque é que haveria de ser permitida na infância?...

    ResponderEliminar
  9. Eu também tenho dois filhos pequeninos, e até sou apelidada de castradora, porque procuro que eles sejam como eu era e fui educada, sem precisar de grandes avisos... A questão nos dias de hoje não é tão inata, mas eu não desisto! Só não concordo com um comentário feito ao post, sobre o anonimato, aqui somos todos anónimos, não é por assinarmos Nini, ou Nené que não somos anónimos... E eu sou anónima também, com uma opinião, Deus me livre andar com a cara, corpo e nome pela net fora, a dizer onde vou, o que como, o que visto e demais sem interesse para ninguém a não ser para mim!!!

    ResponderEliminar
  10. Criança é uma definição que vai até que idade (35?)

    ResponderEliminar
  11. Eu tenho uma filha, e concordo com a Pipoca. Tenho exemplos muito próximos, na minha família, logo, não tenho de ir às dos outros, de crianças a quem se lhes deixa fazer tudo. E digo-lhe: é muito, muito mau.

    ResponderEliminar
  12. Concordo. Muitas vezes, o problema não está nas crianças, mas sim nos pais. Às vezes era preciso andar um bocadinho para trás no tempo e educá-los a eles, para que depois não estragassem os catraios.

    ResponderEliminar

Os comentários são da exclusiva responsabilidade dos comentadores.
A autora do blog eliminará qualquer comentário que ofenda terceiros, a pedido dos mesmos.