segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

Disso da publicidade que afinal sempre é publicidade

Estive para aqui a pensar e em verdade vos digo que 500€ por post é pouco quando se tem de dizer que os cremes funcionam mesmo ou que o Alli é uma coisa em grande, afinal nós gostamos de dormir descansados, ensinaram-nos que mentir é coisa feia, deve ser por isso que admitimos que afinal já fazemos publicidade, que recebemos dinheiro para falar de coisas que não nos interessam, é a nossa profissão não é verdade? Receber umas coisas em casa, ir ao blog falar delas, que sim, que funcionam mesmo, agradecer aos senhores que as enviaram e venha o próximo. Nada contra, as pessoas têm de fazer pela vida, isto não está fácil, só não entendo porque não aparecerá a palavra "publipost" assim em letras miudinhas, deveria ser obrigatório, ou não? Só assim para informar os mais distraídos.

18 comentários:

  1. Concordo inteiramente.

    Por vezes lembram-me os cães às voltas antes de se aliviarem. Tanta coisa, tanta volta só para fazerem publicidade a determinado produto.

    ResponderEliminar
  2. Exacto. Se são pagos, têm de o mencionar, ou é publicidade não assinalada. E atenção, pagamento em géneros também é pagamento.

    ResponderEliminar
  3. Sim. Se é publicidade, por lei, tem de ser sinalizado.Mas as "pessoas" andam muito ocupadas a ler. Não lhes sobra tempo para mais nada.

    ResponderEliminar
  4. A blogosfera portuguesa ainda está na fase da lactancia no que a esse aspecto diz respeito. Não esperes grandes alterações para breve.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Isto deveria ser intervencionado, é uma pouca vergonha.

      Eliminar
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  6. Em terra de cego quem tem olho é Rei.
    Pois eu quando tiver os seguidores que ela tem (8256) vou fazer o mesmo,é que a vida está difícil e prevê-se que pior.

    ResponderEliminar
  7. cuidado, que se a descobrem cara PMP ainda se arrisca a ter que ligar ao rushdie a perguntar como viver assim no esconde-esconde durante uns tempos. é que fraldas e o eixo bica-odivelas gostam pouco destas criticas ao status quo perfeitamente legitimo, transparente, de que ninguém tem nada a ver com isso e de que são vitimas da inveja porque são bem sucedidas e boas escritoras (???!!!) e cai dai incitam os seus deliciados fãs ao cyberbullying. pruridos de assinalar a publicidade? de ter a carteira jornalistica? não é nada comparado com o melhor estilo troliteiro da coisa quando lhe tocam nos calos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ora... O meu pai é policia, venham elas (tu e mais quantos, também seria apropriado)

      Eliminar
    2. Olhe, respect! Se o paizinho é policia, boa sorte. Mas treine a corrida que isto são moças que apesar do luxo da classe média das expos e afins descobriram o filão da corrida (a nike paga posts) e não há quem as pare (até vir outra moda!)

      Eliminar
  8. Mas não é só uma questão de honestidade, a própria lei determina que toda a publicidade deve ser explícita.

    ResponderEliminar
  9. Eu quero é saber onde é que me inscrevo!
    Depois boto lá publipost e já está!
    :DD

    ResponderEliminar
  10. Concordo! É que uma coisa é dizer que um produto é bom porque o experimentaram, outra é porque são pagas para o dizer.
    A verdade é que este tipo de publicidade funciona porque os pequenos póneis e afins, acreditam que são verdadeiros conselhos de amiga, e não publicidade...No dia em que estiver assinaldo como publicidade, deixa de ter interesse para os publicitários, e lá se vai o negócio...Digo eu.

    ResponderEliminar
  11. Já há um tempo que a Maria Guedes tomou essa decisão, polémicas à parte, concordo. Parece-me honesto. Quando vemos anúncios na TV sabemos que pagaram para se fazerem ver, e sabemos que pagaram à Júlia Pinheiro para dizer que o Activia é bom, e barato.

    ResponderEliminar

  12. Lamento contraditá-las, mas não tem nada a mencionar, nem tão-pouco é obrigada a fazê-lo.
    Nada prova que é publicidade e se quem publicita um produto como bom porque o experimentou, as pessoas só têm de acreditar ou não.
    O que se subentende não são certezas fidedignas e não passam de conjecturas. E essas, cada um interpreta-as como lhes der mais jeito.
    Por acaso, ocorre-me um pensamento dos muitos que, por vezes, me ocorrem inopinadamente.
    Todos mentem neste mundo. Começamos a mentir três horas depois do nascimento quando descobrimos que com a chantagem do choro nos dão a maminha, e depois é sempre um ver se te avias até ao ocaso da nossa existência.

    ResponderEliminar

Os comentários são da exclusiva responsabilidade dos comentadores.
A autora do blog eliminará qualquer comentário que ofenda terceiros, a pedido dos mesmos.