terça-feira, 31 de dezembro de 2013

Este ano...

Fui jantar a Soldeu e voltei para ver morrer alguém próximo, abracei alguém indigno do meu abraço e consolei quem se apercebeu, tão cedo, do que é isto da perda. Voltei aonde já fui feliz e tornei a ouvir as cassetes que diziam Serra Nevada, agora em cêdê, e que tantas horas me acompanharam lá atrás. Guiei os mais pequenos por encarnadas difíceis e consegui dar indicações calmas quando um se aventurou por um fora de pista negro e teve de saltar, à minha frente, até atingir de novo a pista, ante o meu pânico mudo. Verifiquei que os mexillones ainda me sabiam ao mesmo e esquiei ao lado de grandes amigos, 15 anos depois,  mas agora todos rodeados de gente pequena. O cabrão do alemão tornou a falhar-me e troquei-o por um francês. 
2013 foi o ano em que a puta da austeridade me entrou portas adentro, o ano em que poderia ter ganho mais que em qualquer outro mas em que acabei por mal atingir o breakeven, o ano em que achei mais seguro cortar os Alpes em Dezembro, e que falta me fez, caramba!... É na montanha que me encontro, que faço balanços e planos, que renovo energias. 2013 foi o ano em que uma das minhas pessoas me decepcionou e descobri, na primeira pessoa, que as palavras podem doer muito mais que um murro no estômago, em que olhei alguém nos olhos e disse, calma e friamente, não te quero mais na minha vida, fechando definitivamente uma porta que teimava em manter entreaberta. Foi o ano em que me acomodei e a vida me deu um abanão, o ano em que me enrolei em posição fetal, tive vontade de voltar a ser criança e chorei, até as lágrimas se me esgotarem. Mas foi também o ano em que me levantei, em que engoli o orgulho e pedi ajuda, o ano em que tive a certeza de que tenho razão quando digo que tenho meia dúzia de grandes amigos, e que amigos, caramba! Foi o ano em que percebi que tinha de fazer grandes mudanças, a todos os níveis, em que fiz planos e refiz estratégias.
Foi o ano em que enganei alguém que admiro, vesti-me de Egas Moniz e fui perdoada, foi o ano em que uma "indulgência" foi um fantástico presente de Natal, o ano em que os abraços das minhas verdadeiras pessoas me fizeram muito mais feliz que o desatar de fitas de cetim em caixas bonitas, o ano em que troquei tardes de compras por horas a ver o mar, quando precisava de desanuviar, o ano em que afinal não fiz compras e não me importei porque não uso metade do que tenho nos armários.
2013 foi um ano de merda, possivelmente o ano mais difícil que já tive, mas dou Graças a Deus. Se o meu pior ano me permitiu tanta gargalhada, tanto abraço, tantos momentos realmente felizes, então as coisas não serão assim tão negras, é questão de tornar a ver o copo meio cheio e abrir as janelas, porque eu sou mesmo assim, uma optimista sempre à procura do melhor ângulo. Hoje, ao contrário de todos os anos, não tiro o vestido comprido do armário, não tenho o cabelo impecavelmente arranjado, escrevo-vos equipada para correr, porque é isso que vou fazer agora. E é a correr que vou agarrar 2014. Ou corro o risco de o tempo me fugir sem que me aperceba.
Bom ano!

segunda-feira, 30 de dezembro de 2013

Uns desnaturados, é o que sois

Uma mulher pensa que tem uns leitores como deve ser, afinal sempre lhe vão dizendo que escreve bem, que tem piada, que se fartam de rir, e réu béu béu, depois há aqueles que a detestam, que aqui vêm apenas para lhe dizer que ela não tem vida própria, que é uma ressabiada de uma invejosa e que ninguém lhe pega. O facto é que as coisas que lhe dizem a podem levar a crer que as pessoas sempre vão prestando alguma atenção às outras coisas que uma mulher vai escrevendo, uma mulher faz um post sobre reposts, logo de seguida a mesma mulher faz um repost e que acontece? Alguém a vem aqui desancar? Alguém lhe diz delicadamente que não se deve dizer "desta água não beberei"? Nada, nicles, rien de rien. Vós não prestais a mínima atenção ao que vos digo, essa é que é essa, e eu que estava a ter um ano tão feliz, estava tão cheia de mim própria e pufff, foi um ar que se lhe deu. Obrigadinha, sim? Haveis de ter muitos amigos, com esse feitio.
Apenas para que saibais, este Natal não fui à missa do Galo, a tempestade e o estado debilitado de um dos presentes afugentou-nos, as tias velhas não nos fizeram companhia e éramos apenas 15 à mesa. Ainda assim, os copos tiniam e brilhavam, demos uso ao serviço da avó, as gargalhadas dos adultos ecoaram com as das crianças. Foi um feliz Natal tal como estava escrito que deveria ser. E, doravante, teremos reposts anuais, lamento informar que o meu Natal é sempre igual.

(talvez para o ano fotografe o faqueiro, na loucura a mesa posta, talvez...)

domingo, 29 de dezembro de 2013

sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

Que estás a fazer Picante?

Mais um jantar de Natal e não, ainda não é o ultimo.


Cala-te ó dona Joaquina que a porra dos copos tinem e tilintam

Vislumbre de um Natal Picanteano

Poderia postar por aqui umas fotografias das prendinhas recebidas, nada da Zara, tudo em bom, claro está, mas isso faria de mim fashionista, poderia tirar fotografias às fatiotas das crianças, mas o Picante não é um baby blog, poderia dizer que comi como se não houvesse amanhã, mas eu nunca como assim, quando chega a altura de sentar à mesa já estou farta de comida, poderia dizer que ainda bem que acabou o Natal, mas seria mentira, eu adoro o Natal e, de coração vos digo, que tenho pena que passe tão rápido.
O Natal é uma mesa posta a preceito, faqueiro de prata a brilhar, copos de cristal que tilintam, o serviço da avó, travessas em christofle, há bacalhau com natas porque poucos gostam dele cozido, os doces são feitos em casa pelas filhas, tias e primas, a mesa das crianças na cozinha velha, que já não há lugares na da sala, os gritos dos mais novos ao desembrulhar dos presentes, uma imensa árvore a cheirar a floresta, cuja estrela chega ao tecto, o comer da última rabanada, enquanto se vestem as raposas e visons (sim, eu sei..) e se sai à pressa para ainda apanhar lugares sentados na missa do Galo, a ceia e as gargalhadas até de madrugada, para recomeçar tudo de novo no dia seguinte. Para mim o Natal é ter a família toda junta, à volta da mesa, enquanto os mais novos correm à nossa volta, até nos porem doidos, é ter o Bing Crosby a tocar em vinil, é a única altura do ano em que estamos todos juntos, não falta ninguém, especialmente quem já não está por cá.

quinta-feira, 26 de dezembro de 2013

The day after

E eis que começam a pupular, blogolandia fora, os posts que mostram kits de Natal, maquiagens de Natal com caras castanhas, vindas das Caraíbas, pescoços brancos, oriundos dos glaciares, a vossa querida Picante ainda imbuída do espírito Natalício, limita-se a sorrir, displicentemente. Quando começarem a mostrar os maravilhosos presentes recebidos estou bem desconfiada que terei de desligar a rede, ou  não mais conseguirei conter a diaba que há em mim.

quarta-feira, 25 de dezembro de 2013

3º Round

E ainda me consigo movimentar com razoável agilidade. Estou desconfiada que amanhã rebolo e lá terei de voltar às corridas no paredão. A precisar de voltar aos tempos em que a noite de 25 se tornava numa das noites mais divertidas do ano, depois dos festejos, lá nos juntávamos no Van Gogo ou na Kapital e dançávamos alucinadamente ao som da Mariah e do George.

segunda-feira, 23 de dezembro de 2013

Feliz Natal

Não sou amiga de ninguém, daqui dos blogs, poucas pessoas sabem que tenho um blog, onde vou debitando disparates e interagindo com desconhecidos, de nomes estranhos. Isto são só blogs mas a verdade é que nos habituamos aos que por cá passam, sentimos a falta dos que deixaram de vir, perguntamos-nos se estarão bem, que será feito deles, por vezes chegamos a sentir que conhecemos aqueles desconhecidos apenas a partir do que escrevem, que alguns poderiam, enfim, ser nossos amigos.
A todos os que têm a amabilidade de perder tempo a comentar os meus disparates, aos que por cá passam silenciosamente, desejo um Santo e feliz Natal, junto dos que vos são mais queridos, porque o Natal é isso mesmo, a comunhão com as nossas pessoas.
Bem hajam e muito obrigada por tornarem isto tão divertido.
 

sábado, 21 de dezembro de 2013

Cheiro de Natal

Cá em casa o Natal não é anunciado pela árvore, montada religiosamente no primeiro fim de semana de Dezembro, a menos que vá para os Alpes, está claro. Tampouco pelos presentes que vão sendo comprados muito antes das enchentes das lojas no fim de Dezembro. Cá em casa só é Natal quando os cheiros nos comunicam isso mesmo, por nos recordarem os aromas de tantos outros Natais, com os que já partiram, sem os que entretanto se nos juntaram. Cá em casa é Natal quando se faz a calda para as rabanadas e o cheiro a canela se estende a todos os recantos. Cá a casa, hoje chegou o Natal.

sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

Há quanto tempo não tinha dúvidas?

Isso dos reposts é para quê, exactamente? É que se for para não termos saudades dos posts antigos, desde já informo que não temos, que isto dos blogs não são exactamente os livros da nossa vida que lemos e relemos, até que fiquem velhinhos de tanto uso. Mas, ainda assim, no caso altamente improvável de suceder que uma vontade incontrolável de reler os vossos antigos posts se apodere de nós, eles estão disponíveis no histórico dos blogs, não há necessidade de os prantarem de novo. 
Ou será que não têm nada para escrever e não resistem a continuar a publicar? Não é isso, pois não? Não, não deve ser, toda a gente sabe que os blogs só existem pelo gozo de escrever.

quinta-feira, 19 de dezembro de 2013

Querido Pai Natal

Por favor faz com que apareça um furúnculo no traseiro de cada vez que uma das Rosinhas (e dos Rosinhos também) nos tentar impingir ideias de presentes de Natal. Nem é por nada, eu sei que elas têm de ganhar a vida, sei que entre tanta porcaria que tentam impingir devem estar a ganhar fortunas, mas é que já NINGUÉM AGUENTA! Por favor Pai Natal, temo que algo terrível aconteça na blogoesfera, já há pessoas escondidas dentro de cestos, a situação é grave, temo que as leitoras se ponham a comprar velas de 50€ e depois se vejam obrigadas a servi-las na consoada, em vez do bacalhau. Isto é um despautério, nunca se viu um blogo-Natal assim.
Ah! E por cada wish list é uma borbulha no nariz, se não for pedir demais.
Atentamente,
A tua querida Picante

Verdades Picantes #39

Mamãs blogoesféricas, por muito que vos custe acreditar, é de coração aberto que vos digo que as mulheres têm filhos desde os primórdios da humanidade, que já tinham filhos no tempo das invasões romanas, da reconquista cristã, da revolução industrial e até durante a 2ª grande guerra. Pode parecer-vos inacreditável mas no pós 25 de Abril continuou a acontecer essa coisa que é a maravilha da maternidade, nos anos 80 idem e com a mudança de século a situação manteve-se inalterável.
Ainda que mal vos pergunte, que raio vos passará pela cabeça para achar que ninguém agora é capaz de parir, vestir ou educar crianças sem os vossos conselhos de mães experientes de bebés de quê? 6 meses? 1 ano? Minhas queridas, não levareis a mal, mas lembram-se como se sentiam quando estavam grávidas e toda a gente vos dava palpites? Conseguem recordar? Pois é mais ou menos isso. 
Escusam de agradecer.

quarta-feira, 18 de dezembro de 2013

Back to 90's

Uma mulher, decide-se a ir comprar uns presentes, enfia-se num centro comercial e de repente tem a sensação de ter andado 20 anos para trás, não acredito que desde o Last Christmas, Do they know its Christmas e o All I want for Christmas is you, não tenha sido composta uma única música de Natal, a coisinha mais diferente que ouvi deve ter sido o Fairytale from NY dos saudosos Pogues.

Ah e tal és uma consumista ó Picante, com a mania que és fina

A verdade é que não vos sei dizer se a última vez que fui às compras, comprei roupa, sapatos ou carteiras, mais... a verdade é que não sei precisar quando fiz a última aquisição fútil, apenas vos posso assegurar que não foi em 2013, isto de comprar coisas de qualidade pode ter destas consequências, as coisas acabam por durar quase uma vida, em estando o armário composto não há necessidade de grandes substituições.

terça-feira, 17 de dezembro de 2013

Disso do serviço público

A semana passada deu-se o caso de uma mulher se cruzar com aquilo, do Natal dos hospitais, a verdade é que de repente uma mulher abriu a boca de espanto e pensou que a troika ainda tem muito por onde cortar.

O dia em que lançar um livro fashion

Será o dia em que deixará de me fazer confusão que as calças de ganga apresentem a espessura de leggings, que a oferta de meias para criança não contemple um único par de meias azul escuro, caramba é que nem sequer meias pelo joelho havia, esse dia ficará para sempre marcado como o dia em que até a Picante se rendeu ao fenómeno preço, e não, não me refiro necessariamente ao facto de eles serem tão baixos que tornem impossível a produção de peças de qualidade mínima, em condições de trabalho humanas.

segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

Afinal pode ser que isto dos blogs sirva para alguma coisa

Preciso de comprar umas mãozotas, de modo a fazer uma criança feliz. Por acaso alguém saberá onde se consegue adquirir tão distinto e raro material de ginástica?
Agradecida

Precisa-se, secretária de blog

Uma mulher anda cheia de trabalho, não costuma ser normal nesta época, mas a verdade é que mal tem tempo para responder a quem tem a amabilidade de por aqui passar, de quando em vez, no meio dos seus afazeres, lá lhe vem à cabeça um post, não o escreve por não ter tempo, pode ser que se lembre à noite, obviamente que não se lembra e acaba a falar da Primark quando queria falar de Nutella, no fundo a coisa acaba por ser de uma ironia deliciosa, ambas movem massas, nenhuma é de facto grande coisa.

sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

Coisas que me passam pela cabeça, vá-se lá saber porquê

Trouxe uma máscara de chocolate para a cara, estou na dúvida se a use ou não, em calhando perco um ou outro pedaço de carne, ainda corro o risco de ser enviada para Spinalonga, seria um aborrecimento.

Coisas que me passaram pela cabeça 4ª feira, vá-se lá saber porquê

Dizer que as lojas de roupa a metro têm roupa de qualidade é mais ou menos como dizer que a Raposeira é champagne. É amarelado, tem piquinhos, faz pop ao tirar a rolha e as semelhanças param por aí.

Estudo sociológico, daqueles em grande

Por razões que são cá da minha vida, há dois dias tive de passar uma manhã inteirinha naquela loja fantástica, repleta de coisas que apetece trazer, todas elas de altíssimo gabarito, chamada Primark. Agora que penso nisso, não sei se loja será a palavra apropriada, aquilo parece mais um hipermercado de roupa, mas o que eu queria mesmo dizer é que trago aqui material para centenas de posts, agora já sei como se sentem as organizadoras daquelas feirinhas de laços, folhos, toucas, túnicas e golas de petizes, em me apetecendo poderia fazer a coisa render e render e render, qual coelhinho da duracell, o único senão será que provavelmente não me irá apetecer.

quinta-feira, 12 de dezembro de 2013

Queridos comentadores

Queria só avisar-vos que, por mais que eu concorde ou me ria com alguns dos vossos comentários, não os posso publicar, não seria uma coisa bonita de se ver.
Ide em paz e que o Senhor vos acompanhe.

É Natal, é Natal

Sugestões de prendas para a crianças (baratinhas, afinal estamos em crise, se se portarem bem para o ano faremos um up grade à coisa).



Este ano é que vai ser um fartote, a desembrulhar presentes, há caixas para todos os gostos!

quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

terça-feira, 10 de dezembro de 2013

Post sem qualquer ironia (ok só com um bocadinho... vá)

Alguém me explica a razão de ser daquele portal das mães que acham que são queridas? São algumas 30 bloggers, ao que percebi os posts não são originais e constam nos seus próprios blogs... afinal qual é a ideia? Aquilo é um best of? Um top 55 do Fido? O quê é que há lá de novo que não haja nos respectivos baby blogs? Alguém que me elucide quanto ao posicionamento e ao factor discriminador da concorrência que aqui a vossa Picante deve ter apanhado um banho de loirice aguda e não atinge o brand key vision, só estou mesmo a conseguir imaginar o reason why.

segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

Aos jornalistas com um beijinho

(ia escrever aos senhores do Record com um beijinho mas depois lembrei-me que na verdade isto é uma excelente metáfora dirigida à nossa ilustra e distinta classe de jornalistas)

E por cá, ainda no reino da esquizofrenia...

.... leio que a mãe de Sócrates deve qualquer coisa como 47 mil euros ao fisco, fruto da venda daquele apartamentozinho modesto, lá para os lados da Braamcamp. De acordo com aquele maravilhoso pasquim, denominado Correio da Manhã, a senhora não pagou a dívida vencida no final de Novembro. O advogado de sua senhoria já veio afirmar que a sua representada não deve nada ao fisco ou a quem quer que seja.
Não querendo entrar em pormenores insignificantes de como é que uma empregada de limpeza consegue amealhar o suficiente para pagar a um advogado que lhe trate da fiscalidade ou, pasme-se, para comprar um apartamento com uma mais-valia declarada de 130 mil euros, o artigo acaba com a menção de José Sócrates ameaçar regressar à política. E isto, parecendo que não, tem tudo a ver.

Ah! E o Sporting lidera o campeonato...

sexta-feira, 6 de dezembro de 2013

Que vês agora, Picante?

Ainda a propósito dos murais virtuais

As mensagem continuam, muitas têm fotografias, já me escangalhei a rir ao ver as do Eusébio e do Morgan Freeman, enfim são parecidos, também são de raça negra, não é verdade? Mas de repente dou com os olhos numa com o símbolo da paz, era formado por pessoas, pelo que as linhas não eram tão perceptíveis como o são graficamente, aquilo assemelhava-se extraordinariamente ao símbolo da Mercedes e, de repente, tudo fez sentido, é mesmo paz o que sinto ao entrar no automóvel alemão.

(em não se dando o caso de ser hora de ponta e eu estar na 2ª circular, está visto)

Aviso Picanteano II

Se escreverem as vossas mensagens em "Ingalês", lamento informar que o resultado é o mesmo. Continuam a não chegar ao céu.

Sempre vossa.

Aviso Picanteano

Custa-me ser a portadora de tão tristes notícias mas lamento informar que aquela coisa lá do Zuckerberg ainda não tem ligação ao céu, os vossos rip's não chegam a Mandela (ou Madiba ou lá que raio é que agora deram em chamar ao homem, pergunto-me se vocês agora também deram em sul-africanos?).

quinta-feira, 5 de dezembro de 2013

E entretanto, no reino da esquizofrenia...

... diz que o partido comunista Português vai apresentar uma proposta de lei para repor os feriados do Corpo de Deus e do dia de todos os Santos. Alguém me explica, por favor? Like a five year old?

quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

Finalmente entendo...

...o porquê da existência dos mercados, mercaditos e markets de crianças que populam por aí. Pessoias, eles não existem para inundar Portugal de laços e folhos e toucas, eles não existem para dar oportunidade às artesãs Portuguesas, eles não existem para que as suas organizadoras possam elas próprias comprar laços e folhos e sapatos, não! nada disso! A razão da sua existência, pessoas, é fornecer material para os respectivos blogs nos 3 ou 4 meses seguintes, até estou tentada a ir eu própria aos próprios mercados, mercaditos e markets, sempre deixo de seguir uns três ou quatro blogs.

terça-feira, 3 de dezembro de 2013

E quando uma pessoa frequenta workshops...

Uma pessoa tem de se deslocar a um workshop, palavra bem mais em voga que formação, uma pessoa tem um coffee break com desconhecidos, uma pessoa tem de almoçar e fazer conversa com esses mesmos desconhecidos, e de repente uma pessoa dá por si a desejar que as crises políticas não aconteçam em países como Ucrânia, onde os nomes das personagens são completamente "impronunciáveis", caramba uma pessoa só se lembra que o presidente era pedreiro ou electricista, ou lá o que é, que um dos da oposição era campeão de boxe, só sabe que os nomes acabam todos em "itch", uma pessoa quer fazer bonito e pensa que não deveria ter desistido do curso de russo ao fim de 6 meses.

segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

De como se prova que a Mais Picante nunca será alguém nisto dos blogs

Há talvez uns 5 ou 6 anos, eu fiz Um Picante, Friends & Stuff. Muito ingenuamente não doámos uma percentagem da venda à Ajuda de Mãe. Doámos tudo. Coisa pouca, cerca de 9700€. Sou mesmo palerma caramba, como é que hei-de enriquecer se não tenho sentido de negócio?

quinta-feira, 28 de novembro de 2013

Pessoaaaaaaaass

Descobri o novo must-have da estação, esqueçam os laços, esqueças os folhos, os padrões tigresses e zebróides, tudo isso está blogo-out. O novo must-have, o item sem o qual ninguém é alguém são uns ténis a fazer matchy-matchy com a árvore de Natal. Apressem-se pessoas, está praticamente esgotado, é a loucuraaaaaa!

quarta-feira, 27 de novembro de 2013

Se a Picante fosse arrumadinha

Teria sistematicamente de fazer um leve 2 pague 1, seria um post para desenvolver o tema e outro para explicar o que tinha querido dizer, seria uma maçada, acabar-se-ia isto, de fazer os posts ao Domingo, de uma assentada, uma coisa será uma mulher fazer sair sete ou oito posts, outra coisa é ter de os esmiuçar de fio a pavio, ainda por cima ficaria sem saber se o problema seria meu, por não me fazer entender, se seria dos leitores por serem incapazes de compreender, uma verdadeira maçada.

terça-feira, 26 de novembro de 2013

Porque os blogs também servem para isto

Este fim de semana há uma venda de Natal solidária, no Palácio da Foz, aos Restauradores. Diz que há comida, diversão, rifas, cantorias e, em calhando, poderão aproveitar e fazer algumas das compras de Natal. A entrada é baratinha, crianças e estudantes não pagam. Vale a pena nem que seja apenas para conhecer o Palácio da Foz, o qual está fechado ao público e é magnífico.
Podem saber mais aqui.



Entre pontes e rios

Eu, que por razões cá da minha vida, até conheço bem o Alberto e sei que ele é um gestor como há poucos, capaz de atingir objectivos verdadeiramente impossíveis, de extrair o melhor das pessoas, capaz de mudar radicalmente empresas e torná-las maiores, fico para aqui boquiaberta, não com as graçolas que o Alberto diz, mas com a arrogância de pretenderem dar lições ao Alberto. É que até consigo imaginar o Alberto com o seu ar número 33, a engrossar a voz enquanto diz qualquer coisa como "O senhor tem a insolência de considerar? Cresça, apareça e no entretanto faça-me o favor de não me zumbir aos ouvidos" E depois, de despachar o desbocado, o Alberto haveria de se virar para mim e de me perguntar, a rir, se o tinha assustado o suficiente, se deveria ter sido ainda mais duro. 
Alberto, a despachar insolentes ainda estes andavam de testículo para testículo.

segunda-feira, 25 de novembro de 2013

Disso dos concertos

Assisto pela têvê àquilo lá da aula magna e fico a pensar se aquela gente adepta do "Robespierranismo" é mesmo doida, se por acaso saberão o significado da palavra democracia e se, quando falam em nome do povo, lhes passará pela feia e demente cabecinha que foi esse mesmo povo que elegeu o governo, com maioria absoluta, aliás. À paulada deveriam eles ser corridos. Trancados na Bastilha também não seria mal pensado. Achava que incitar à violência pública era crime, mas decerto que é noutro país qualquer.

sexta-feira, 22 de novembro de 2013

Diz-me como julgas

O post anterior lembrou-me que quando andei de blog em blog, a prantar comentários absolutamente inteligentes e mordazes, mas não em demasia, todos os bloggers os aprovaram, ainda troquei uns mails com dois ou três mais desconfiados, tiveram o cuidado de cá vir, leram os conteúdos e a coisa resolveu-se. Mas descobri que há dois policias da blogoesfera, duas saias da Neuza, ainda hoje não me publicam os comentários, um porque é uma gracinha, o outro porque gosta da gracinha. Estou aqui que não posso, só contratempos, a minha vida é isto.

Diz-me como comentas

Quando resolvi criar o blog da Picante e, numa aposta comigo mesma, tentar chegar às mil visitas diárias, fiz o que toda a gente faz... vai de ir a meia dúzia de hit blogs e deixar por lá um comentário. Isto de deixar comentários tem que se lhe diga, é como conhecer alguém pela primeira vez, as primeiras impressões são fundamentais, uma pessoa pode demorar anos até se livrar de uma má primeira impressão, mas dizia eu que há toda uma série de comentários possíveis, escolher que primeiro comentário fazer é um verdadeiro desafio, senão vejamos:
- há a tribo dos desesperados, normalmente dizem qualquer coisa como "adorei o teu blog, vai visitar o meu e nós seguimos-nos um ao outro", fico sempre a pensar se esta gente se põe a andar em círculos, qual cão a tentar apanhar o rabo.
- há a tribo do "bom post!", desses não há muito a dizer, querem aparecer, não têm nada de interessante para dizer, estou em crer que os desta tribo nunca têm nada de interessante para dizer, Jesus, alguns deles conseguem passar toda uma vida sem nada de interessante para dizer, vai daí que se limitam a deixar estes comentários inteligentes "bom post!", reparem bem como se preocupam em enfatizar a expressão de aprovação, através da exclamação, por vezes variam e comentam com um "bem dito!" ou com um "concordo!", enfim são pessoas verdadeiramente cultas e engraçadas, têm sempre algo de valor a acrescentar.
- há a tribo nos sensíveis, esta tribo sente as coisas como se fosse com eles, acham por bem dizer-nos que já se sentiram assim, pensam que nós nos interessamos, também nos poderão informar que "isso é exactamente o que sinto", por vezes dizem-nos que não diriam melhor, caramba nós sabemos bem que eles não diriam melhor, afinal se dissessem o blog seria deles e não nosso.
- há a tribo do lol, da lolada e do lolinho, nem consigo dissertar acerca desta tribo, serão talvez uma versão "basic" dos que dizem "o que me ri com isto"
Obviamente que a vossa Picante nunca poderia pertencer a uma destas tribos, afinal teria de deixar um comentário que despertasse o interesse, de preferência que fizesse rir, as pessoas teriam de ir até ao blog, parecendo que não isso dá trabalho, tem de se ir ao user, um click, abrir o blog, outro click, ler dois ou três posts, metade não voltaria ao perceber que a Picante não era Azeda, enfim só preocupações, isto dos blogs fez-me descobrir todo um mundo novo de preocupações, já não me bastava ser do Sporting.

quinta-feira, 21 de novembro de 2013

Parece que

...há por aí uma nova polémica, não sei quê a propósito do dia do pijama, que aquilo é uma estupidez ou lá o que é, caramba ainda estávamos todos entretidos a cascar no Blatter e na Pepsi, a mim parece que não é só a Pepsi Sueca que está a precisar de guidance de marketing, afinal quem vive disto dos blogs não se pode dar ao luxo de irritar as suas donas Joaquinas, ainda se poderia dar o caso de elas deixarem de se incomodar com blogs como o meu, toda a gente sabe que eu vivo só para aborrecer as donas Joaquinas, e depois? Como era? Que faria eu da minha vida já de si tão vazia e sem interesse? Problemas, só problemas...

(Ir para a rua de biquini, em pleno Inverno, para tentar ganhar uma mala pirosa é o quê? Inteligente?)

Ronaldo is the best

Ah ah ah ah ah ah ah ah ah ah ah ah ah ah ah ah ah ah ah ah ah ah ah
Tão bom, senhores, tão bom!


Se a Picante fosse o Pipi sem Meias...

Isso das unhas é só falta de assunto ou é mesmo conhecimento prático? Perdoai a questão mas uma mulher até fica meio atarantada com tanta profundidade de saberes.

daqui

(falta o link, não falta? Pois...)

quarta-feira, 20 de novembro de 2013

Dizem-nos que está frio

Ir à Regaleira e dizer que esta tem uma vegetação muito verde e densa, está praticamente ao nível de ir a Roma e dizer que se viu muitas pedras. Mas na verdade só lá fomos pelas fotografias, certo?

Gracinha

Gracinha minha querida a menina tem de parar de dizer que as cebolas são (quase) iguais aos alhos, mas então a menina não queria ser uma chef? Reconhecida pelos pratos verdadeiramente sublimes que prepara? Minha Santinha, ambos têm de ser descascados e ambos dão paladar ao prato mas as semelhanças acabam aí, será possível que a menina não consiga ver as diferenças? Eu sei que a menina diz que precisa de óculos, até experimentou uns cheios de estilo e com imensa pinta, mas caramba, o que é demais é demais, olhe eu dou-lhe um exemplo mais preciso a ver se a menina entende, imagine que alguém punha um Nenuco no lugar do seu filho e a tentavam convencer que o Nenuco é que era, que dava muito menos trabalho, que nem era preciso mudar fraldas, acharia que era (quase) o mesmo? E depois ainda apareciam uma série de alminhas, pobres de Cristo, a dizer que sim, que o Nenuco até era bem mais giro que pequeno rebento, que o Nenuco é que era, apenas e somente porque o Nenuco elas poderiam ter mas pequeno rebento está-lhes inacessível. Entende? É (quase) a mesma coisa.

terça-feira, 19 de novembro de 2013

Queridos senhores da Pepsi


É só para dizer que a vossa bebida é uma grandessíssima merda, que vocês têm um marketing de merda, que quem passou por cima de vocês foi mesmo o melhor jogador do mundo e que, depois disto, se o grande CR7 não ganhar a bola de ouro, eu própria vou a Zurique dar umas estaladas ao Blatter. Ah! e só não vos digo que nunca mais bebo Pepsi porque sempre achei a Pepsi uma grande merda, eu sou pela Coca Cola, beber Pepsi seria (quase) como comprar um daqueles artigos de baixíssimo gabarito que certa blogger que percebe de estilo diz serem (quase) a mesma coisa que os artigos de luxo. A Coca Cola é o luxo, vocês são a Zara. Capice? 
E se quiserem guidance como não matar uma marca, já de si doente, é só falar comigo, eu percebo umas coisas de marcas, ao contrário de vocês, mas quem será a besta que desenvolve uma campanha destas?

Se por acaso...

...andares de blog em blog a depositar 562 não comentários, apenas para seres visto.
...usares pontos de exclamação como quem bebe água!... porque gostas tanto!... de dar ênfase!.. à coisa!
...desconheceres a beleza que pode ser uma vírgula, no meio de uma frase.
...arrotares posts à velocidade da luz sem que tenhas nada de útil a dizer, apenas porque estás doido(a) para ter mais visitas.
...fizeres publicidade encapotada, só assim, a tentar fazer-nos de tolos.
...tiveres opinião sobre tudo, apesar de saberes muito pouco de nada, pelo que passas a vida a debitar trivialidades.
...aspirares ser a próxima Mais Doce / Arrumadinho, rentabilizando o blog, sem que te apercebas que quer um, quer outro, são capazes de ser acutilantes, inteligentes e de, enfim... escrever?
...expuseres os teus filhos, porque... Ei! E não é que as pessoas adoram bebés fofinhos, tão cutxi-cutxi?
...passares a vida a tentar impingir-nos workshops da banha da cobra. Aprender a ser feliz? A sério?
...desesperares por escrever um livro e brindares-nos com textos harlequins na tentativa de chamar a atenção de alguma editora mais distraída.
...escreveres posts de elevado teor sexual apenas para no final dizeres que estás a falar de uma cadeira.
...acabares frequentemente as frases com smiles, qual miúdo de dez anos.

 Então pode muito bem ser que te chames Gracinha.

segunda-feira, 18 de novembro de 2013

Queridos senhores da Lactogal II

É só para avisar que não será credível se, de repente, a Mais Doce vier dizer que o Manolo também é intolerante à lactose e como tal bebe Mimosa.

Sempre vossa,
Mais Picante uma ex consumidora Matinal, doravante consumidora President

Queridos senhores da Lactogal

Um pequeno apontamento apenas para vos dizer que as pessoas aqui dos blogs não são completamente ocas de cabeça, quer dizer algumas são, a julgar pelas pérolas que escrevem, mas isso é outro assunto, dizia eu que os consumidores, apesar de terem muitos comportamentos que os marketeers consideram tolos, afinal as pessoas têm de achar das marcas exactamente aquilo que vocês definiram na brand vision, verdade? Quando tal não acontece somos nós que somos tolos e não percebemos o que nos dizem, não é assim? Mas lá me perdi eu outra vez, minha Nossa Senhora me acuda, ora vamos lá fazer um suponhamos, sim? Suponhamos então que nós, os dos blogs, temos um mínimo de inteligência, suponhamos que lemos um blog e ficamos a saber que pequena Mada é intolerante à lactose e como tal bebe um leite da Mimosa para pessoas com esse problema, leite esse que é fantástico, com um sabor igualzinho ao leite mesmo bom, daquele à séria. Suponhamos também, que nós acreditamos na conversa, o post estava mesmo bem feito, aquilo não parecia publicidade e que os senhores podem dar por bem empregue o dinheiro que gastaram. Suponhamos tudo isso. E suponhamos também que uns dias depois ficamos a saber que a irmã da Miss Mirtilos também sofre desse mal. E que também bebe esse leite e gosta muito. Ele há umas coincidências do demo, não é verdade? E agora suponhamos que as pessoas pensam Eh! Espera lá... mas afinal isto serão os queridos senhores da Lactogal a quererem enganar-nos? Poderá ser? A fazer publicidade sem que nós, consumidores estúpidos, o percebamos como tal? Nãaaaooooooo! Eles não fariam isso pois não? Não seriam eticamente incorrectos pois não? Seria impossível os queridos senhores da Lactogal tentarem enganar os consumidores, pois seria? Devo ser mesmo má rês, as coisas que me passam pela cabeça, sempre a desconfiar das pessoas, vou já rezar três Pai Nossos.

Sempre vossa,
Mais Picante, uma ex-consumidora de Matinal, doravante consumidora de President

sexta-feira, 15 de novembro de 2013

E por falar em preguiça

Eu não sei se a preguiça é uma arte, sei que escrever como a sô dona Izzie escreve, levando-me frequentemente às lágrimas, tem o seu quê de artístico, ela é engraçada que dói, tem um mate tão engraçado como ela, só tem o grande problema de lhe subirem coisas estranhas ao nariz, isso não se pega, não?
Seja bem-vinda Izzie, o seu blog é do mais divertido que existe, quem não conhece é ir até lá e rir, nem sabem o que perdem.

Eu poderia ser A Mais Preguiçosa

Mas juro que morro de medo, ainda a esquerda me subiria ao nariz, era toda uma vida de afirmações posta em causa, lá se ia toda a minha coerência, o mais provável seria os meus mais próximos acharem que tinha enlouquecido.
(além de que teria de trabalhar na função pública e toda a gente sabe que na função pública ninguém trabalha a sério...)

quinta-feira, 14 de novembro de 2013

Neuza, essa diva que é a entidade reguladora da blogolândia

Após prolongada conversa com a entidade reguladora da blogolândia, Neuza de seu nome, fiquem as duas meninas a saber que foram tomadas decisões importantíssimas, a vossa Picante pegará imediatamente na sua muito abandonada bicicleta e doravante apenas se deslocará de velocípede, tenho de ver se é alemã, lembrei-me agora desse pequeno grande detalhe, preparem-se pois para relatos de odisseias ao volante de uma bicicleta picanteana. A outra sugestão da Neuza foi que arrecadasse imediatamente um cão blogo-star, amanhã tratarei disso, só para que saibam, sim?

A minha primeira vez numa banheira

Acho que me despi. Entrei para a banheira. Passei-me por água. Ensaboei-me. Retirei o sabonete. Saí da banheira. Sequei-me com uma toalha. Vesti-me. Foi há muito tempo. Não me lembro bem. Sei que gosto de tomar banho. Algo que faço todos os dias. Considero que não gosto especialmente de banheiras. Talvez porque não perceba muito de banheiras. Servem para tomar banho. Porém considero o banho diário como algo indispensável à nossa higiene e bem estar.

quarta-feira, 13 de novembro de 2013

Estou para aqui...

... a pensar que há dois ou três blogs que deveriam ir parar ali, à lista da direita, mas o drama pessoas, o drama é que eu costumava fazer a coisa em dois passos, primeiro saia um post em que eu dizia que poderia ser uma pipoca "inserir adjectivo que tenha a ver com o blog em questão" e fazia uma graçola a respeito do mesmo, e só depois, passadas umas horas é que dava as boas vindas ao blog, E agora? Agora que já não sou Pipoca que raios vou eu fazer à rubrica? Uns maravilhosos posts de encher chouriços que se foram, isto para já não falar nas etiquetas pipoqueanas que para aqui abundam, poderia chamar-lhes picanteanas mas vai dar-me um trabalhão a mudar tudo, nem sei que volta dê a isto, Nossa Senhora dos Aflitos me acuda.

terça-feira, 12 de novembro de 2013

Mensagem aos senhores da Knot

Ai queriam um chapéu de chuva cheio de pinta, que fosse o novo must have da estação e que combinasse com aquelas capas que parecem as toalhas laváveis da Polux e que estão à venda naquela loja que também vende uns gorros mitra? 
Era só falar comigo.....

É (quase) a mesma coisa...



sexta-feira, 8 de novembro de 2013

E daí talvez não...

Parece-me que MRP disse coisas muito acertadas, os Portugueses são realmente pouco inteligentes, só isso poderá justificar o seu sucesso enquanto escritora.

Ainda na senda da defesa de MRP

Por que razão é que a senhora não terá o direito a dar a sua opinião sem ser apelidada de mulherquevendeocorpoparaganharavida? Ou será que só os indignados é que têm direito a exprimir opiniões?

Picante defende a MRP

A mim também me aborrecem as manifestações nas galerias da AR, nem é por nada, eu percebo que as pessoas estejam indignadas, acontece que são ilegais, o acesso às galerias tem de ser autorizado e o público tem de manter-se em silêncio.

quinta-feira, 7 de novembro de 2013

Toneladas de dúvidas

Então mas não eram os azeitonas que nos levavam a ver os aviões? Já não percebo nada disto, logo eu que achava que até percebia as coisas.
Leio, no DN, a entrevista que Sócrates deu a Daniel de Oliveira, no Alta Definição, o homem diz que não faz ideia porque as pessoas se irritam com ele, fico a pensar, cá para com os meus botões, que estava capaz de iniciar um movimento, uma coisa assim em bom, fazíamos todos um desenho e enviávamos ao Daniel, hum? Podia ser que chegasse ao estudante francês que, pobre homem, teve de pedir um empréstimo para financiar os estudos.

quarta-feira, 6 de novembro de 2013

Kilos de dúvidas

Informam-me que abriu uma nova Zippy no Vasco da Gama, eu estaria capaz de apostar um salário inteirinho dos meus, daqueles que a tanta reunião obrigam e tanto trabalho me dão a ganhar, e logo eu que nunca aposto a menos que tenha a vitória garantida, mas dizia eu que estaria capaz de apostar em como a Zippy do Vasco da Gama já tem vários anos. Dizem-me que aquilo da Zippy é sempre uma boa escolha, estaria capaz de concordar, é preciso uma pessoa escolher e escolher até encontrar lá uma peça de jeito, lá se vão safando uns ou outros básicos, é bem verdade que exige uma escolha atenta e cuidada, afinal estas mães queridas não deixam de dizer umas coisas acertadas.

Resmas de dúvidas

Isto dos blogs deixa-me cheia de dúvidas existenciais, de repente dou comigo a pensar como é que as nossas mães faziam para nos educar e resolver todas as situações inerentes à 1ª infância, como é que foi possível minha Nossa Senhora? Pois se na altura não havia mães queridas a explicarem-nos como é que se haveria de lidar com essa coisa tão complicada que é a problemática da birra, ninguém debitava trivialidades sobre como ensinar a criança a resolver conflitos, as receitas mi mi mi eram directamente retiradas do Pantagruel e não levavam mirtilos nem goji, ninguém, mas absolutamente ninguém, as doutrinava sobre a problemática dos laços must have ou das camisas cheias de pinta da estação. Pessoas, isto é muito grave e representa uma lacuna enorme da educação de toda uma geração. Mas será que nós andávamos todos mal vestidos? Comíamos porcarias? Crescemos a fazer birras e espernear? Estou confusa, alguém me acuda, minha Nossa Senhora das Dúvidas, agora de repente passou-me pela cabeça a parva possibilidade de estas mães queridas acabarem por dar três berros e ameaçarem uma valente palmada, caso os seus rebentos cheios de pinta e laços e folhos se recusem a comer os seus batidos de goji e red fruits. Que tolice a minha! É impossível, não é? Elas não fazem como nós e as nossas mães pois não? São uma classe iluminada e nascida para nos ajudar, pois são?
Dúvidas, só dúvidas, é isto a minha vida.

terça-feira, 5 de novembro de 2013

Paletes de dúvidas

Se eu usar animais nas calças é (quase) a mesma coisa, ou não?

Ainda das dúvidas

O burgundy é o novo cor de vinho só que cheio de pinta e must have da estação, não é?

Blog que é blog...

...tem de ter um header como deve ser, este demorou mais de um ano a aparecer e fica a dever-se à generosidade da querida Palmier que, sem me conhecer, é que nem dos eléctricos, só mesmo aqui dos blogs, não hesitou em oferecer-me aquilo que de mais precioso há, o seu tempo. Isto são só blogs, é verdade, mas por vezes acontece que são um bom bocado mais. Obrigada Palmier! Amei, está lindo de morrer e agora vou passar ao meu estilo habitual antes que alguém diga que abichanei.

(tive de fazer umas modificações, a descrição aparecia cortada na imagem)

Disso, das minhas dúvidas

Uma pessoa cheia de ideias é um idiota, não é?

segunda-feira, 4 de novembro de 2013

Nunca digas desta água não beberei

De todas as coisas da vida que me surpreendem, uma das que me mais poderia surpreender é um dia dizer que concordo integralmente com Daniel Oliveira. Hoje é o dia.

"Não vou aqui escrever uma palavra sobre o essencial do caso de Bárbara Guimarães e Manuel Maria Carrilho. O ex-ministro é acusado de um crime público e essa é a única coisa que não está no domínio da privacidade dos dois.........
Mas se não tem ele a decência de se calar, caberia a nós, a quem escreve nos jornais e fala nas televisões, a jornalistas e comentadores, não o ajudar na divulgação da infâmia. Não repetir uma única das acusações que faça a outras pessoas. Nem sequer para criticar o facto dele as ter feito. Não lhe dar voz neste indecoroso comportamento. Compreendo que o espírito voyeurista se divirta com tão degradante espetáculo. Mas ele só é público porque supostos jornalistas querem que o seja. Porque a comunicação social resolveu exibir o esgoto a céu aberto que esta espécie de homem lhe ofereceu. O problema não é apenas de Carrilho. O problema não é principalmente Carrilho. Homens perturbados e sem carácter sempre os houve. O problema é de quem cerca Bárbara Guimarães e os seus filhos, à porta da sua casa, para a questionar sobre o que apenas pode ser privado. É de quem divulga informação irrelevante para as nossas vidas, destruindo, através da repetição de acusações nojentas, a vida de pessoas. Pessoas de carne e osso.
Claro que o problema também é das figuras públicas que, quando casam, quando vão de férias, quando os filhos nascem, quando os namoros começam e acabam decidem abrir uma frincha da janela e dividir com a imprensa cor de rosa e com os fãs o que é e só pode ser intimo. Coisa que o casal Carrilho e Guimarães fez várias vezes. O que não impede que eu repita que o meu principal asco vai para quem se planta, com uma câmara, um microfone e uma máquina fotográfica à porta de alguém para, contra a sua vontade, chafurdar na sua intimidade. A exibição que as figuras públicas fazem da sua suposta felicidade não pode ser um salvo conduto para mergulharmos nos mais sórdidos recantos das suas vidas. Quem está de fora é que não tem desculpa. Os jornalistas que repetem cada vergonhosa "revelação" íntima que este senhor faz não estão perturbados. Não procuram vingança. É apenas a forma que têm de ganhar a vida. Porque a falta de ética é a sua profissão, são muito piores do que Carrilho."

O  artigo completo aqui. Leiam que vale a pena. Alguns dos membros que integram a classe dos jornalistas são um verdadeiro lixo em forma de gente.


sexta-feira, 1 de novembro de 2013

Disso, da vergonha alheia

E eis-nos chegados a um ponto onde não há limites para nada, nem dos pais, nem da Agata, nem dos produtores deste monte de esterco. Crianças a dançar uma música sobre sexo, cantada por uma pantera de 3ª categoria??

(desculpem, lá mas eu recuso-me a prantar aqui o vídeo original, levam a fotografia e já gozam)

Pensamentos Picantes #1


quinta-feira, 31 de outubro de 2013

Há uma linha

... que separa as pessoas que em situações de adversidade se enrolam sobre si, em posição fetal, choram e assim se deixam ficar, pensando que a culpa é da sociedade, que tiveram azar na vida, que não lhes deram o devido valor, que o mundo é mesmo injusto, das outras. As pessoas que, em enrolando-se em posição fetal e chorando tudo o que têm a chorar até que se lhes esgotem as lágrimas, se levantam, e tentam recomeçar a andar, inicialmente qual criança a aprender os primeiros passos, depois mais seguras, até recomeçar tudo de novo, reinventando-se caso seja necessário.
Eu, que nunca aposto e que não sei nada disto da vida, estaria capaz de apostar que os pais das primeiras pessoas sempre as desculparam em crianças, que a professora não prestava, que os amigos a desviavam, que não lhe davam uma segunda oportunidade, que tinha sido um mero percalço.

Perfect matches ou pares boho-slam-chic cheios de pinta #8

 Diz que é uma espécie de arte at Tate museum
Diz que pode ser verdadeira arte

sexta-feira, 25 de outubro de 2013

Querida Bijuca****

Venho por este meio informá-la de que recebi o seu mail, o qual mereceu a minha melhor atenção e até fui àquilo do facebook, espreitar a sua lojinha. Mas... como é que lhe hei-de dizer isto minha querida? A menina haveria de fazer melhor o seu trabalho de casa, antes de propor a alguém uma parceria que é, na verdade, um comensalismo. A tia Picante explica, sabe minha Santa? Numa parceria ambos os parceiros saem beneficiados, nessa parceria, que na verdade é um comensalismo, eu divulgo a sua loja e ganho o quê, para além do prazer de divulgar a sua loja? 
E depois, minha querida, a tia Picante não é assim lá grande fã de bijuteria, sempre gostou mais de joias verdadeiras, fazer o quê? A tia Picante acha que os anéis e brincos são mais bonitos se forem de brilhantes em vez de vidro... olhe, esquisitices. Ainda por cima tem um raio de um corpo tão fino como o gosto, veja lá a menina que a tia Picante não pode usar nada que não seja ouro, fica logo com as orelhas em ferida, uma maçada, é o que é!
Se a menina visita o blog da tia Picante deveria saber que seria impossível eu recomendar uma lojinha que venda echarpes e golas tigrezas e zebróides, mas a menina não viu o que prantei por aqui? Deus me acuda, acha que poderia recomendar às minhas leitoras aqueles lindos anéis em forma de beijo? Ou aqueles brincos de cerimónia que parecem saídos dos Chocapic? E as pulseiras, Virgem Santa? Poderia fazer um post inteiro sobre as pulseiras douradas "look at me I'm seven at market of thief". 
Ah! E já me esquecia, aqui a tia Picante não compra nadinha nas lojas do facebook, sabe? Aborrece-me isso da economia paralela rondar os 25%, parecendo que não isso faz com que eu e outros tansos tenhamos de pagar muito mais impostos, por mais excêntrico que lhe pareça, a tia Picante prefere pagar mais caro e ir a uma loja de verdade, daquelas que pagam IVA e segurança social e tudo e tudo. Não leva a mal, não minha querida? Mas parece que a nossa relação de comensalismo terá de ficar para uma outra oportunidade.

*Alterei o nome, também não desejo danos maiores à piquena, assim ficam todos na ignorância, vale? Cambada de cuscos!

Senhores da Veuve e da Estee Lauder, não se sintam intimidados, por quem sois, estejam à vontade para me enviar umas amostras, ou caixas, ou paletes.

quinta-feira, 24 de outubro de 2013

Há uma linha...

...que separa as pessoas que conseguem ser sarcásticas sem recorrer a ofensas directas, das outras, as que não têm inteligência suficiente para gozar o prato sem partir para o insulto fácil, ou para aqueles argumentos básicos da falta de vida própria, inveja ou frustração. E em verdade vos digo que essa linha não tem tons de cinzento, é uma linha que se vê a kms, há quem lhe chame inteligência, há quem lhe chame educação e, ainda, há quem lhe chame ambas as duas: inteligência e educação.

Poupem-me a correcção ao pleonasmo vicioso sim?

Gracinha

Gracinha minha querida, venha cá, temos de falar, em verdade lhe digo que não sei nada disso de as pessoas serem porcas e brejeiras, sei sim, que cada um leva a sua vida intima como melhor lhe aprouver, a menina até pode não concordar que as pessoas façam sexo pelo simples prazer do sexo, no feelings attached, tem toda a razão, é muito deselegante alardear a vida privada a uns e outros. Agora chamar-lhes pedaços de carne ou porcas? Minha querida, pessoas porcas há muitas mas não é derivado de sexo em demasia, é mesmo muita falta de água, sabonete e desodorizante. Tenha lá tento na língua, sim? Ainda por cima a dizer que acha haver mais mulheres com esse tipo de comportamento... Não vá dar-se o caso de alguém pensar que a menina é, no mínimo, preconceituosa.

quarta-feira, 23 de outubro de 2013

A benemérita

Talvez eu própria me dedique a ajudar os outros, afinal eu nasci para espalhar o bem, era uma coisa bonita de se ver, até já sei que título daria aos posts, "Consultório Picante" seria apropriado, já me estou a ver a solucionar problemas amorosos, azares profissionais, ensinaria as pessoas a exercer convenientemente a actividade parental, afastaria invejas e maus olhados, resolveria quezílias familiares, drogas e problemas de jogo então nem falar, e claro até os problemas de impotência eu trataria. Já estou a imaginar, Picante a benemérita....

terça-feira, 22 de outubro de 2013

Errata

Parece que o texto do post abaixo não é da autoria da Clara Ferreira Alves mas sim de alguém que assinou com o nome dela a fim de obter mais partilhas. Eu já o conhecia há que tempos mas a autoria passou-me completamente ao lado. A correcção está feita, as minhas desculpas.

(e agora vou aprovar e responder aos comentários, são mais que as mães)

A lucidez de Mário Soares ou não tem de quê Anónimo(a)

Mário Soares, num dos momentos de lucidez que ainda vai tendo, veio chamar a atenção do Governo, na última semana, para a voz da rua.
A lucidez, uma das suas maiores qualidades durante uma longa carreira politica.
A lucidez que lhe permitiu escapar à PIDE e passar um bom par de anos, num exílio dourado, em hotéis de luxo de Paris.
A lucidez que lhe permitiu conduzir da forma "brilhante" que se viu o processo de descolonização.
A lucidez que lhe permitiu conseguir que os Estados Unidos financiassem o PS durante os primeiros anos da Democracia.
A lucidez que o fez meter o socialismo na gaveta durante a sua experiência governativa.
A lucidez que lhe permitiu tratar da forma despudorada amigos como Jaime Serra, Salgado Zenha, Manuel Alegre e tantos outros.
A lucidez que lhe permitiu governar sem ler os "dossiers".
A lucidez que lhe permitiu não voltar a ser primeiro-ministro depois de tão fantástico desempenho no cargo.
A lucidez que lhe permitiu pôr-se a jeito para ser agredido na Marinha Grande e, dessa forma, vitimizar-se aos olhos da opinião pública e vencer as eleições presidenciais.
A lucidez que lhe permitiu, após a vitória nessas eleições, fundar um grupo empresarial, a Emaudio, com "testas de ferro" no comando e um conjunto de negócios obscuros que envolveram grandes magnatas internacionais.
A lucidez que lhe permitiu utilizar a Emaudio para financiar a sua segunda
campanha presidencial.
A lucidez que lhe permitiu nomear para Governador de Macau Carlos Melancia, um dos homens da Emaudio.
A lucidez que lhe permitiu passar incólume ao caso Emaudio e ao caso Aeroporto de Macau e, ao mesmo tempo, dar os primeiros passos para uma Fundação na sua fase pós-presidencial.
A lucidez que lhe permitiu ler o livro de Rui Mateus, "Contos Proibidos", que contava tudo sobre a Emaudio, e ter a sorte de esse mesmo livro, depois de esgotado, jamais voltar a ser publicado.
A lucidez que lhe permitiu passar incólume as "ligações perigosas" com Angola , ligações essas que quase lhe roubaram o filho no célebre acidente de avião na Jamba (avião esse carregado de diamantes, no dizer do Ministro da Comunicação Social de Angola).
A lucidez que lhe permitiu, durante a sua passagem por Belém, visitar 57 países ("record" absoluto para a Espanha - 24 vezes - e França - 21), num total equivalente a 22 voltas ao mundo (mais de 992 mil quilómetros).
A lucidez que lhe permitiu visitar as Seychelles , esse território de grande importância estratégica para Portugal.
A lucidez que lhe permitiu, no final destas viagens, levar para a Casa-Museu João Soares uma grande parte dos valiosos presentes oferecidos oficialmente ao Presidente da República Portuguesa.
A lucidez que lhe permitiu guardar esses presentes numa caixa-forte blindada daquela Casa, em vez de os guardar no Museu da Presidência da Republica.
A lucidez que lhe permite, ainda hoje, ter 24 horas por dia de vigilância paga pelo Estado nas suas casas de Nafarros, Vau e Campo Grande.
A lucidez que lhe permitiu, abandonada a Presidência da Republica, constituir a Fundação Mário Soares. Uma fundação de Direito privado, que, vivendo à custa de subsídios do Estado, tem apenas como única função visível: ser depósito de documentos valiosos de Mário Soares. Os mesmos que, se são valiosos, deviam estar na Torre do Tombo.
A lucidez que lhe permitiu construir o edifício-sede da Fundação violando o PDM de Lisboa, segundo um relatório do IGAT, que decretou a nulidade da licença de obras.
A lucidez que lhe permitiu conseguir que o processo das velhas construções que ali existiam e que se encontrava no Arquivo Municipal fosse requisitado pelo filho e que acabasse por desaparecer convenientemente num incêndio dos Paços do Concelho.
A lucidez que lhe permitiu receber do Estado, ao longo dos últimos anos, donativos e subsídios superiores a um milhão de contos.
A lucidez que lhe permitiu receber, entre os vários subsídios, um de quinhentos mil contos, do Governo Guterres, para a criação de um auditório, uma biblioteca e um arquivo num edifico cedido pela Câmara de Lisboa.
A lucidez que lhe permitiu receber, entre 1995 e 2005, uma subvenção anual da Câmara Municipal de Lisboa, na qual o seu filho era Vereador e Presidente.
A lucidez que lhe permitiu que o Estado lhe arrendasse e lhe pagasse um gabinete, a que tinha direito como ex-presidente da República, na... Fundação Mário Soares.
A lucidez que lhe permite que, ainda hoje, a Fundação Mário Soares receba quase 4 mil euros mensais da Câmara Municipal de Leiria.
A lucidez que lhe permitiu fazer obras no Colégio Moderno, propriedade da família, sem licença municipal, numa altura em que o Presidente era... João Soares (seu filho).
A lucidez que lhe permitiu silenciar, através de pressões sobre o director do "Público", José Manuel Fernandes, a investigação jornalística que José António Cerejo começara a publicar sobre o tema.
A lucidez que lhe permitiu candidatar-se a Presidente do Parlamento Europeu e chamar dona de casa, durante a campanha, à vencedora Nicole Fontaine.
A lucidez que lhe permitiu considerar José Sócrates "o pior do guterrismo" e ignorar hoje em dia tal frase como se nada fosse.
A lucidez que lhe permitiu passar por cima de um amigo, Manuel Alegre, para concorrer às eleições presidenciais uma última vez.
A lucidez que lhe permitiu, então, fazer mais um frete ao Partido Socialista.
A lucidez que lhe permitiu ler os artigos "O Polvo" de Joaquim Vieira na "Grande Reportagem", baseados no livro de Rui Mateus, e assistir, logo a seguir, ao despedimento do jornalista e ao fim da revista.
A lucidez que lhe permitiu passar incólume depois de apelar ao voto no filho, em pleno dia de eleições, nas últimas Autárquicas.
No final de uma vida de lucidez, o que resta a Mário Soares? Resta um punhado de momentos em que a lucidez vem e vai. Vem e vai. Vem e vai.
Vai... e não volta mais.

Texto tirado daqui 

Quem não sabe ensina

Derivado disso de hoje em dia os workshops serem moda, qualquer um agora deu em organizar workshops, ensinam as pessoas a gerir o seu próprio tempo, mostram-nos o tortuoso caminho na conquista da felicidade, revelam os segredos da motivação e auto-confiança, iluminam-nos sobre a problemática da gestão do orçamento familiar, caramba até dão consultas amorosas via net, qual revista Maria. Surpreendentemente, há público para estas coisas, os workshops até esgotam, mas nem é isso que mais me surpreende, o que deveras me deixa estupefacta é como é que estes novos formadores e conselheiros aprendem estas coisas todas, onde é que eles se irão inspirar para desenvolver tão úteis conteúdos, que cabeças e experiência de vida, Deus meu!

segunda-feira, 21 de outubro de 2013

Perfect matches ou pares boho-slam-chic cheios de pinta #7


Dúvidas, a minha vida é isto

De quando em vez uma mulher vai àquilo do facebook e realiza que os dos blogs andam para ali a desejar bom dia, perguntam se as pessoas já se levantaram, partilham o que comeram, informam-nos de que ainda estão a trabalhar, tudo informações muito úteis, sim senhora, nem sei como consigo sobreviver a isto de não ter facebook aqui do blog.

sexta-feira, 18 de outubro de 2013

Pessoas, Pessoooooooaaaaaaaass

Descobri! O novo must-have da estação! Esqueçam o estilo tigresse e leopardo, zebróide então nem falar! Apresento-vos os novos must-have, uma tendência completamente arrojada e inovadora. Tcharaaannn!











E para um matchy-matchy perfeito, o último grito, inspirado na saia da Neuza!














Digam lá pessoas! Não é lindo? Completamente hippie-chic? Delicioso? Até estou a pensar lançar uma nova rúbrica "Estilo, disse a Picante". Hum? Que me dizem?

(fotografias TODAS tiradas na net, eu nunca teria um candeeiro daqueles)

quinta-feira, 17 de outubro de 2013

Tende cautela, tende muita cautela

Esta situação das malas, a par com a outra situação de as pessoas se prestarem a aparecer seminuas, vestidas com um pacote de pipocas, num qualquer centro comercial, leva-me a pensar numa outra situação de se andar a dizer que uma coisa de qualidade, feia ou bonita, isso agora não interessa nada, é (quase) igual a uma coisa sem qualquer qualidade, que na verdade não passa de uma imitação rasca da primeira coisa, essa sim de qualidade. De repente dou comigo a pensar que a pessoa que diz que uma coisa sem qualidade é (quase) igual à coisa de qualidade poderá muito bem vir a dizer que as malas que a Benetton vende, ou que as malas que o Wang Zin ou o Chao Lin vendem, são (quase) iguais às malas Samsonite. Seria uma maçada não é verdade? Estaria capaz de apostar que os idiotas* do marketing lá da Samsonite não se lembraram deste pormenor quando acharam graça à ideia de ver umas quantas idiotas, seminuas, de pipocas na mão, a correr num Sábado de manhã para ganhar uma mala que parece uma mochila de criança, só que em feio.

*Não se ofendam, idiota é uma pessoa que tem muitas ideias. Se são ideias de valor isso já são outros 5 tostões.

quarta-feira, 16 de outubro de 2013

Perfect matches ou pares boho-slam-chic cheios de pinta #5

Estou para aqui cheia de dúvidas, já não sei o que faça à vida, vou viajar, à escola ou ao supermercado?



À atenção do partido comunista e respectivo sindicato

Alguém que avise os senhores da CGTP que a ponte não é assim tão emblemática, afinal, antes de lhe terem mudado o nome, chamava-se ponte Salazar, que foi quem a mandou construir. Agradecida.

Picante, a vidente

Os livros da Munro irão ascender aos tops, aquilo do Rodrigues dos Santos e do Sparks, em jeito de livro, será finalmente destronado. Outubro acabará bem.

terça-feira, 15 de outubro de 2013

Verdades Picantes #37

Os blogs são os novos tabloides. Mas porque raio é que insistem em ir aos jornais, on line, e transcrever os títulos das noticias, fazendo disso um post? Minhas Santas, se quisermos saber as notícias também nós, pobres leitores, sabemos ir directamente à fonte, a sério que agradecemos o vosso desejo em nos informar mas em verdade vos digo que não há necessidade.

segunda-feira, 14 de outubro de 2013

sexta-feira, 11 de outubro de 2013

Perfect matches ou pares boho-slam-chic cheios de pinta #4


Ó menina, deixe de puxar por mim, se faz o favor, cada tiro, cada melro, em verdade lhe digo que nunca vi roupa de criança tão feia, safam-se as modelos que daqui a uns anos lhe rogarão umas valentes pragas. E agora isso dos livros e do Marcelo... safa! Aquiete-se um bocadinho que isto não pode ser sempre sobre si, tarda nada tenho aí a ASAE da blogolândia à perna por não tratar todos os clientes com a mesma atenção. Tranquila, sim?
 (fotografias retiradas da net)

quinta-feira, 10 de outubro de 2013

O factor X e a casa dos gordos ou como a matemática é tudo na vida

Vinde a mim, boa gente, a Tia Picante deslinda-vos o segredo dessas coisas dos rankings, na verdade até é bastante simples, em tendo umas luzinhas de marketing sabereis que qualquer marca tem consumidores heavy, medium e light, ora pois que aqui nos blogs sucede o mesmo, os leitores heavy serão responsáveis por cerca de 85% das vossas visitas. Quer isto dizer que em escrevendo dois posts, os vossos leitores heavy vos visitarão duas vezes, em escrevendo três posts, tereis praticamente o triplo das visitas. E, em calhando, esta equação matemática será bem capaz de explicar a razão de haver quem escreva 5 ou 6 posts por dia. Ou então não e é apenas amor à escrita.

quarta-feira, 9 de outubro de 2013

Perfect matches ou pares boho-slam-chic cheios de pinta #3

 É correr, pessoas, é correr que quem corre sempre alcança.


















(fotografias retiradas da net)

Estou arrasada, nunca serei uma hit blogger

Uma mulher entusiasma-se com isso dos looks must have, ousa proferir a medo matchy-matchy, pensa que mais um pouco e chegará àquilo do boho-chic, constrói castelos no ar, permite-se sonhar mais alto... Caramba, já me estava a ver inaugurar uma rubrica sob a temática Spicy looks (perceberam o trocadilho? Genial, verdade?), eventualmente atingiria o zénite com o lançamento de "o Consultório Picante", via facebook, claro está, afinal blog que é blog confraterniza com os leitores, e vai daí que, qual Katrina, os meus sonhos e devaneios são totalmente devastados? Então uma mulher pensa looks leopardo e afinal o que está in é a zebra? Problemas, a minha vida é isto.

terça-feira, 8 de outubro de 2013

Palmieeeeeeerrrrr!!! Palmieeeeeeeeeeeeer!

Descobri! Custou, corri meia Lisboa, caramba cheguei a visitar os arredores, mas finalmente descobri os must have que faltavam a consorte para fazer matchy-matchy com essas magnificas meias da Zara! Ora veja se não é coisa para gente cheia de pinta e com imenso estilo:

Gravata 50 manchas, é polivalente, exclusivamente em poliéster, não magoa os pulsos.

 Cueca vou-ti devorrarrrr.












E, de caminho, a minha especial e estilosa oferta para o novo membro da família, as novas peças must have masculinas, são pró natalidade, funcionam melhor que falta de electricidade. Não são um ammmmooooooor?

ah ah ah ah ah ah ah ah ah ah ah ah ah ah ah

Mas vós sois loucos? É que loucura é a única coisa que pode explicar isto.

(Sois grandes, obrigada a todos os que por aqui passam, nem sei que diga)

segunda-feira, 7 de outubro de 2013

Por vezes...

...fico espantada, penso que afinal já não percebo nada disto da natureza humana, como é que é possível que uma simples graça sobre o tempo lá pelas terras das tulipas dê origem a comentários do calibre que deu? Nem vos passa pela cabeça a porcaria que tive de rejeitar, nessas alturas fico a pontos de fechar os comentários a anónimos, por mais que isso me aborreça, sei bem que não são todos iguais, tenho aqui uma série de discussões educadas a prová-lo, sei bem que anda tudo aborrecido com a austeridade, mas caramba... é mesmo necessário trucidar assim desconhecidos?

sexta-feira, 4 de outubro de 2013

Must have para gente literalmente cheia de pinta

 Tank top para correr. Tonifique o corpo enquanto seduz os trolhas, papalvos homens de gosto distinto da margem sul.
 Look correr para apanhar o mercedes que me deixa na Duque de Loulé, para o turno das 23h.
 Look sou cool comó caraças, yeeeeeeé, tenho de correr daqui para fora que o cabeleireiro está cheio de clientes, tanta unha para fazer e tão pouco tempo cum catano, pá!
 Look namorido se chegas outra vez bêbado e a cheirar a perfume barato enfio-te um chute que ficas a falar fininho durante 15 dias.
Calça slim polivalente, serve para o dia, para a noite, fica bem com qualquer coisinha, como é 100% fibra nem precisa de ser engomada.
















(imagens retiradas da net, curiosamente quando as abri eram peças à venda, podeis encontrá-las entre o Seixal e a Amadora, só já não sei quais as peças do Seixal e quais as de Amadora)

O drama, a tragédia, o horror

Subitamente realizo que não tornarei a ser informada acerca das condições climatéricas de Leiden. Estou aqui que não posso.

quinta-feira, 3 de outubro de 2013

Ontem

A culpa é destes destes árbitros, são todos uns aldrabões, então não se estava mesmo a ver que aquele primeiro golo estava em fora de jogo?...

(Paris é a cidade da luz, não é? Faz sentido)

Perfect matches ou pares boho-slam-chic cheios de pinta #2


(fotografias retiradas da net)

terça-feira, 1 de outubro de 2013

Porque leio blogs?

Para testar a minha capacidade de controlo. Por Deus parem de falar da vossa vida sexual, das coisas feias que querem e dos sítios pseudo chiques que frequentam, uma pessoa quase se sente uma criança em plena Disney World, sem bilhete de entrada.

(Claro que, em comprando bilhete, a entrada será garantida...)

Ainda das eleições

Em verdade vos digo que há 3 partidos que estão para o meu boletim de voto tal qual como os raios UV. Sei que existem, não dou por eles, ponho protector solar e é a andar.

OK, o BE quase nem partido é, mas sinto-me benevolente.

segunda-feira, 30 de setembro de 2013

Há uma linha...

Que separa aqueles que ontem estiveram a seguir os resultados eleitorais no cabo, dos outros, os que viram e comentaram aquilo da casa. Estava capaz de apostar, logo eu que nunca aposto, que os que viram aquilo da casa acharam que estava a chover demasiado para se darem ao trabalho de sair e ir votar. Agora aguenta e não chora, sim?

Rescaldo de ontem ou nunca subestimar o poder de síntese

Finalmente o partido comunista ganhou umas eleições, caramba há tantos anos a ver vitórias onde elas não existiam e não morrem sem conhecer essa maravilha que é o sentimento da vitória, o BE assume-se como o não partido, nem sei por que se darão ao trabalho de ir a votos nas autárquicas, da próxima vez Passos Coelho haveria de se calar, Seguro haveria de nunca ter falado, eventualmente Costa há-de calá-lo de vez, os resultados de Rui Moreira provam que ainda há esperança para os Portugueses, O CDS continua igual a si próprio tentando despudoradamente apropriar-se de uma vitória que não é sua (falo do Porto, minhas santinhas), nem sei o que dizer de Oeiras, devem ter todos tirado o curso lá na universidade do Relvas, talvez afinal não haja esperança para Portugal, tampouco sei para que me dei ao trabalho de correr feita doida, de maneira a conseguir chegar às urnas pelas 19.00h, só para ir votar em branco, ainda por cima voto numa freguesia que já não é a minha, resta-me a consolação de que foi das poucas onde o meu partido ganhou.