segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

Desenganem-se os que pensam que este é um post fofinho de Feliz Ano Novo

Em verdade vos digo que desejo que 2013 vos traga tudo aquilo que semearam e merecem colher. Quanto a mim? Não se preocupem comigo, os meus desejos são singelos, quero, em 2013, continuar a festejar a passagem do ano a beber disto, estou certa que sim, assim será, Deus Nosso Senhor deu-me uma cabeça que funciona, dois braços para trabalhar, em havendo saúde, os meus desejos realizam-se sempre, a minha vida é estupidamente fácil, praticamente sem contrariedades.
Até para o ano pessoas, que seja um ano bom, repleto de gargalhadas e que, acima de tudo, recebam de volta tudo aquilo que fizerem aos outros.

(agora vou ali encharcar-me em álcool, hoje não conduzo)

sábado, 29 de dezembro de 2012

Este ano tinha sido um bom ano até ter sido parada com 0.52. Ninguém é parado com 0.52, de repente uma pessoa vê-se rodeada de gente que até chora, de gente que vai presa, uma pessoa nem acredita que aquilo está a acontecer, a policia até estava com algum dó de uma pessoa, jantares caros, estes,  que acabam por ficar em 300€, uma pessoa tem agora de falar rapidamente com alguém das leis, que uma pessoa corre o risco de ficar sem carta e uma pessoa não pode, pura e simplesmente ficar sem carta, ou as coisas deixarão de ser como têm de ser.

sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

Este ano (post antecipado de fim de ano)

Tinto Alentejano acompanhado de russos e Bach, tinto do Douro acompanhado de gargalhadas e sorrisos cúmplices, encostas alvas com neves virgens a -20º, demasiadas horas à volta de mesas de madeira. tempo oferecido a quem precisa, banhos de água mais quente, embora não quente o suficiente, rodeada das minhas pessoas, corridas no paredão, cabelos despenteados e lábios salgados, nascimentos e primeiras comunhões, whiskeys velhos e conversas sussuradas, whiskeys mais novos e cantorias gritadas. Sim, as coisas continuam a ser como devem ser, este ano foi um bom ano.

quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

Natal Picanteano

Poderia postar por aqui umas fotografias das prendinhas recebidas, nada da Zara, tudo em bom, claro está, mas isso faria de mim fashionista, poderia tirar fotografias às fatiotas das crianças, usaria os sobrinhos, mas o Pipoca não é um baby blog, poderia dizer que comi como se não houvesse amanhã, mas eu nunca como assim, quando chega a altura de sentar à mesa, já estou farta de comida, poderia dizer que ainda bem que acabou o Natal, mas seria mentira, eu adoro o Natal, e de coração vos digo que tenho pena que passe tão rápido.
O Natal é uma mesa posta a preceito, faqueiro de prata a brilhar, copos de cristal que tilintam, o serviço da avó, travessas em christofle, há bacalhau com natas porque poucos gostam dele cozido, os doces são feitos em casa pelas filhas, tias e primas, a mesa das crianças na cozinha velha, que já não há lugares na da sala, os gritos dos mais novos ao desembrulhar das prendas, uma imensa árvore a cheirar a floresta, cuja estrela chega ao tecto, o comer da última rabanada, enquanto se vestem as raposas e visons (sim, eu sei..) e se sai à pressa para ainda apanhar lugares sentados na missa do Galo, a ceia e as gargalhadas até de madrugada, para recomeçar tudo de novo no dia seguinte. Para mim o Natal é ter a família toda junta, à volta da mesa, enquanto os mais novos correm à nossa volta, até nos porem doidos, é ter o Bing Crosby a tocar em vinil, é a única altura do ano em que estamos todos juntos, não falta ninguém, nem quem já não está por cá.

Futurologia Pipoqueana pós Natal

E pelos blogs das rosinhas polularão fotografias de camisolinhas desengraçadas e de fraca qualidade, compradas na Zara ou na Primark, malinhas cujas fivelas mancharão ao fim de 3 ou 4 meses, sapatinhos que darão calos e dores atrozes ao andar, vindos da Zilian, todas dirão que era mesmo isso que queriam, que adoraram o Natal, as dos baby blogs falarão de como se passou o Natal das suas crias, fotografarão as roupinhas da Gap ou da Nós e Tranças, eventualmente a bicicleta nova ou a Nancy penteados, as gordas falarão dos doces que comeram, ahahah, isso é que foi encher o bandulho, e de como iniciarão a dieta dia 1, de como se inscreverão no ginásio onde passarão a ir 3 vezes por semana, as apaixonadas dirão como foram queridos os seus namorados, que as surpreenderam com mil mimos, as ressabiadas darão graças aos céus por já ter passado o Natal, aquilo é só consumismo e nem se dá valor ao que realmente importa. Sim, o mundo continuará a girar e as coisas serão como sempre foram.

Copiado do mestre Pipoco, sim?

segunda-feira, 24 de dezembro de 2012

Desejos Pipoqueanos

Tudo a postos para a chegada do menino? Já fizeram os doces todos? Demolharam o bacalhau? Temperaram o cabrito? Pois então façam a gentileza de passar um Santo Natal, na companhia dos que vos são queridos.

sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

Ah! A alegria do Natal...

Em verdade vos digo que se passaram na 2ª circular, por alguém extraordinariamente formoso, ao volante de um automóvel alemão, capota para trás, blusão apertado até ao pescoço, com uma enorme bicicleta que quase saltava para a via pública, enquanto deitava olhares, ansiosos, para o céu, na expectativa de que não chovesse, essa pessoa poderia muito bem ser a vossa Pipoca. Acabadinha de sair da Decathlon, com umas "rodas" novinhas em folha para sua sobrinha. E sim, choveu. Mas as coisas são como são e quando caíram os primeiros pingos, estava à porta da garagem.

A wikipedia é que sabe


Macho: Filho de cavalo e jumenta, e ainda o filho de burro e égua, mas, neste caso, os técnicos dizem mula.
Palavras para quê? Está tudo dito.

quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

Conselho Picanteano para poupar no Natal

Este ano, ao contrário de todos os outros anos, entre jantares e almoços de Natal apenas contabilizo três, o almoço com a equipa, dois jantares com as minhas pessoas, afinal eu não quero estar com quem não quero estar, não quero saber de quem há muito não sei. Este ano, ao contrário de todos os outros anos, não me despedirei nos variadíssimos jantares com a frase do costume, temos de combinar isto mais vezes, afinal eu sei que se passarão 365 dias até à próxima vez. Este ano, ao contrário de todos os outros anos, despedir-me-ei com um abraço e um até amanhã, combinaremos as horas do café na tarde de 25, não há ano que por lá não passemos. Este ano, ao contrário de todos os outros anos, decidi racionar o meu bem mais precioso, o tempo, para o dar apenas a quem eu gosto.
Este ano, se fizerdes como eu, pouparão muitos euros e os vossos rabos agradecerão.

Os problemas dos homens #21

Acharem que não sabemos o significado exacto de um "sim querida".

quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

E por falar em sensibilidades

A Pipoca lê o Insensível. E rebola a rir com tudo o que ele apanha, ele diz que só não apanha as doenças mas eu desconfio que chegará o dia em que nem elas lhe escaparão. É de ir às lágrimas senhores e é coisa para uma mulher se perguntar como é que algo tão mau, inspira textos tão hilariantes, razão tinha Voltaire quando dizia que nada se perde.
Insensível, seja bem-vindo ali à direita, ao clube dos ilustres.

Eu podia ser uma Pipoca Insensível

Mas teria de me debruçar, um nadinha demais, sobre hiper sensibilidades e, em verdade vos digo, que seria coisa para me estupidificar, ou induzir um coma, ou um alzheimer, ou as três. E eu prezo muito a minha sanidade mental, de que outro modo é que poderia passar dias a fio a mandar a minha equipa trabalhar em excel? e em mais excel? e novamente no excel?

terça-feira, 18 de dezembro de 2012

O pior do Natal

De todas as coisas ridículas que já vi, e acreditem que já tenho a minha dose de coisas ridículas, a pior de todas será talvez ver um espécime de natureza masculina dentro de umas calças encarnadas, as quais acompanham com uma camisolinha preta enfeitada de um boneco de neve. E as renas, pelo amor da Santa! Nossa Senhora das Dores me acuda, aquilo é sensibilidade a mais e, de coração vos digo que isto há sensibilidades que uma mulher não aguenta, para sensíveis já bastamos nós, tanta bonecada junta tem um piquinho a azedo.

Sábado à noite

(vou omitir ter passado parte do fim de semana em dois centros comerciais, cheios de povo, à procura de uma Nancy nova iorquina, sim, é de pequenino que se torce o pepino)

segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

Há uma linha... ou como a Pipoca acede a pedidos

Que separa os que conduzem automóveis alemães dos outros, que se deslocam em coisas que mais parecem o carro dos Flinstones.

(não tem de quê Pássaro)

sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

A Picante fala de publicidade

Uma vez sem exemplo também falo de publicidade, má publicidade, publicidade que me causa repulsa e indignação. Porque uma coisa, minhas queridas rosinhas, é receber cremes para o rabo e ir ao blog dizer que sim, que são maravilhosos, que até os pelos eles fazem desaparecer. Outra coisa, completamente diferente, é ir a um evento de uma empresa, a pretexto de tomar um pequeno almoço no Ritz e ser vista, que isto quem não é visto é como quem não existe, atrás deste virão outros convites, afinal convém aparecer para que as agências de RP não tirem o nosso nome da lista vip, não é verdade? Mas dizia eu que uma pessoa vai ao Ritz, toma o pequeno almoço, recebe uns chupa chupas, ouve uns senhores, diz que são médicos, debitar umas quantas incorrecções não a troco de viagens mas a troco de qualquer coisa, que isto não há almoços grátis, e que faz essa pessoa? Ora pois bem, vá de ir ao blog fazer publicidade a um medicamento para obesos, o qual inclusivamente já foi retirado do mercado e tem uma imensa contestação à sua volta. Pior... diz que praticamente não tem efeitos secundários e que é uma maravilha para fazer perder peso. E eu, quando leio estas coisas, chego a corar de vergonha e a pensar que "Alli" há alguma falta de ética, que a publicidade encapotada deveria ser controlada. Pelo menos quando danosa para a saúde.

Verdades Picantes #25

Rosinhas vinde a mim, será que poderiam parar de fazer posts com sugestões natalícias? Assim como assim, as sugestões não interessam nem ao menino Jesus e toda a gente já sabe que as marcas vos estão a pagar para isso, ou que vos enviaram amostras à borla, ou que vos enviaram press releases, ou que vos ofereceram o pequeno almoço no Ritz, escolhei a que melhor vos aprouver. O resto do mundo pode ser parvo mas não é assim tão parvo, ok?
Era só isto. Um Santo Natal (cheio de prendinhas dessas que vocês publicitam apesar de afirmarem com indignação que estão apenas a citar ou a mencionar um produto que adoram e que não, claro que não é publicidade).

Qualquer dia...

também pranto por aí uma fotografiazinha com outfits, daqueles em bom, sugestões da Pipoca, dizendo os locais de compra, tudo no estrangeiro pois claro, as marcas da coisa e os preços que paguei. Fotografias de mim própria, para que vejam como sou fina e glamourosa.
Mas hoje não é o dia.

quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

Uma mulher vai para fora por uns dias, praticamente não vai aos blogs, valores mais altos se levantam, quando volta e lê com mais atenção os 3 ou 4 do costume apercebe-se que algo se passou... posts eliminados, gente falsa que teima em perseguir os bonzinhos, uns que se fazem passar por outros, comentários não aprovados, idosos jocosos. Será que alguma alminha me explica o que se passou na minha curta ausência?

De novo a Isabel

Isabel, venha cá querida, chegue-se aqui à minha beira, não... puxe antes essa berger verde, sempre é mais confortável, dá-me licença que lhe chame Belinha? Por falar em Belinhas, vem-me à lembrança que a Isabel está a precisar de umas belinhas, ou de uns açoites, enfim, de algo que a faça calar a boca. Vamos concordar que a Belinha fez uma grande obra, sim? Ajudou a erguer o BA e transformou-o no que ele é hoje, não interessa se o fez para se sentir bem, para ter destaque social, na verdade apenas interessa que o fez, que ajuda a dar de comer a quem tem fome. Mas, minha querida, as pessoas têm de ter a consciência dos seus valores e fraquezas. Isto lá porque nós achamos que somos importantes, que podemos dar entrevistas e dizer o que a nossa cabecinha vai produzindo não é bem assim, pelo menos quando representamos instituições. Sabe minha querida? É que depois há uma série de imbecis que acham que a instituição é tão imbecil quanto a sua líder, e depois os imbecis deixam de contribuir, e depois há menos comida, e depois há mais fome. Está a entender minha querida? Agora, querida, querida Belinha, vá lá entreter-se a recolher alimentos, é uma nobre causa, mas por favor feche a boca, sim? É fácil, a Pipoca ajuda... pedirá a alguém com dois dedos de testa que lhe escreva um discurso, que decorará e repetirá sempre que para tal for solicitada. Assim fala sem abrir a boca. Pode ser? Agora vá, minha querida, vá em paz que Deus a acompanhe.

quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

Que tens à tua frente Picante?

Diz que os carabineiros daqui são uma maravilha. Prosecco para entrada e um tinto maravilhoso que alguém escolheu para o resto.
Temo ter de deixar o blusão ou as calças para pagar a conta, afinal de contas estamos no meio de uma crise.
Temo ainda mais descer as pistas que me levarão de volta ao hotel depois deste álcool todo regado a carabineiros.

terça-feira, 11 de dezembro de 2012

sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

Ainda das dúvidas

As minhas dúvidas matam-me, fiquei para aqui a pensar porque será que os dos blogs me desejam bom dia mas nunca me dizem boa tarde ou boa noite? Contudo acho simpático anunciarem-me que hoje é 6ª feira.

Gracinha

Minha querida não se preocupe se ele não lhe disser que a ama, os homens não são assim, acredite que se ele a amar verdadeiramente a menina vai perceber. Perceberá no seu olhar, nas suas acções, no modo como ele a abraça. Não há palavras tão importantes como o gesto certo.

quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

Por falar em posts de encher chouriços...

Tenho de ver se me lembro de acrescentar um ou dois blogs ali, à coluna da direita.

Diga, senhor?

Agora derivado daquilo dos desempregados que nós, os blogers conhecidos sustentamos, mais por causa dos malucos que não param de tirar fotografias em poses verdadeiramente lamentáveis e nada estilosas, ainda por cima exploram crianças e animais, onde já se viu? a propósito disto e de outras coisas, também, fiquei com uma dúvida, logo eu que raramente tenho dúvidas, já vos tinha dito? Mas dizia eu que fiquei com uma dúvida, quem será que o emprega, senhor? Que critérios terão usado eles, senhor? Eu, quando faço selecting panels e escolho jovens para a minha equipa, repare que tenho uma equipa senhor, tenho sempre o cuidado de me certificar que eles terão bom senso, bom senso acima de tudo. Mas isso sou eu, claro.

Porque leio blogs?

Para ficar a saber que está um frio que não se aguenta, diz que o Inverno chegou, que as meias são um excelente presente de Natal, que os danados dos Reis Magos afinal não vieram de camelo, que o safado do Gaspar nem deveria constar do presépio. E claro, para ler o Mak.

quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

Verdades Picantes #23

Isso de fazer posts a dizer bom dia, ou espetar no blog a música do dia, é coisa de gente a teimar em escrever. Vá-se lá saber porquê, faz-me lembrar aquelas pessoas que nunca têm nada de interessante para dizer, cada vez que abrem a boca debitam uma série de lugares comuns, fartam-se de dizer asneiras. Em verdade vos digo que não passam de uns grandessíssimos chatos.

Chamou, senhor?

Estou triste, muito triste, tão triste que se acontecesse o caso de ser uma pessoa com fraca auto-estima até poderia fechar o blog. Estou em crer que aquilo dos nomes dos bloggers famosos era para mim, que se não fosse o meu nome nunca conseguiria ter visibilidade nenhuma. Minha Nossa Senhora das Dores me acuda, estou de tal maneira desesperada que estaria capaz de mudar o nome do blog para "bardina mas muito fêmea". Vou tomar um xanax a ver se passa.

segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

Quando uma mulher pensa que já sabe umas coisas, que já viu de tudo, aparece sempre alguém que sabe mais, com outro tipo de experiências, que lhe diz, sem falar, que uma mulher não passa de uma anjinha, que as coisas não são necessariamente assim. E uma mulher sorri e pensa que talvez as coisas possam ser diferentes mas que por enquanto ainda são como são, como devem ser, que ele há coisas na vida próprias de verdadeiros animais.

Vai-se um dos bons

Não há mal que nunca acabe, nem bem que sempre dure, era a resposta certa da minha avó cada vez que me queixava da vida, cedo aprendi a deixar de me queixar, a resolver problemas enfim, se eu não fizer por mim, bem posso esperar sentada que alguém faça, a vida, ao contrário do que nos querem fazer acreditar as malvadas das histórias infantis, não é um conto de fadas, eu acredito que tenho a minha quota parte de responsabilidade naquilo que de bom e mau me aconteceu, a culpa não é do destino, muito menos dos outros.
Mas o que eu queria mesmo dizer é que o Patife arrumou a pena. Chega ao fim um blog escrito por alguém inteligente, culto e com um sentido de humor verdadeiramente delicioso. Até sempre grande Patife.