quarta-feira, 14 de novembro de 2012

Daquilo das dúvidas

Publiquei, afinal eu nunca tenho dúvidas por muito tempo, é por causa destas coisas que eu me recuso a trocar ideias com gente de esquerda, isto em não tendo que o fazer, eles parecem discos formatados, em pequeninos abriram-lhes a cabeça e eles pouco mais enxergam que o monstro do capitalismo ou a exploração do proletariado. Aborrece-me que sejam incapazes de trocar ideias, de discutir até, invariavelmente desatam aos insultos, afinal quando Deus distribuiu a educação eles estavam muito entretidos a fazer greve, não é verdade?

28 comentários:

  1. Por acaso sou de esquerda, e por acaso ver-me metida nesse saco magoa (ou aleija? já que estamos numa de estereotipos) um bocadinho. Conheço gente de direita que nem lhes tocava com uma vara de dez metros, mas hélas, sei que não todos do mesmo molde.

    ResponderEliminar
  2. Izzie, agora quem lhe fala não é a Pipoca mas sim quem lhe dá vida. Afianço-lhe que tenho o maior respeito por si e sempre a vi ser correcta, pelo pouco que isto nos vai dando a conhecer dos alter egos e de quem os constrói.
    Eu tenho grandes amigos de esquerda com quem discuto política sem cair na má educação.
    Se ler dois os posts abaixo e respectivos comentários, facilmente percebe que isto é um recado, dado em moldes irónicos.
    É mais fácil insultar que puxar pelos neurónios e discutir ideias. Os ignorantes facilmente recorrem ao insulto gratuito, assim como os mal educados.
    Não é o seu caso, como não é o caso de milhares de pessoas de esquerda.
    Isto é só a Pipoca a ser irónica e provocadora, ok?

    ResponderEliminar
  3. Pedro Almeida,
    Não o mandei ir em paz? brincar com os dedos dos pés? Veja lá se quer apanhar umas palmadas no rabo.

    De certeza que não levará a mal se não publicar este seu último comentário, acontece que há um nível de má educação que eu não tolero aqui. Passar bem.

    ResponderEliminar
  4. Censura o que quiseres, serás sempre hipócrita, uma hipócrita de merda se preferires.

    E já agora, ainda consegues ser mais oca que os machos pink que (bem) criticas.

    ResponderEliminar
  5. Falta de educação:

    'A Pipoca também tem umas coisas a dizer aos senhores dos sindicatos
    Vão à merda'.

    ResponderEliminar
  6. Pedro Almeida,
    Vamos encerrar este assunto que isto já começa a aborrecer-me e eu acho que isto dos blogs servem para diversão.
    O Pedro, sem qualquer fundamento a não ser o facto de estar em desacordo comigo, chamou-me vários nomes, insultou-me de várias maneiras. Nunca debateu ideias, nunca me tentou convencer dos benefícios desta greve específica, com a qual eu não concordo. Limitou-se a ser extraordinariamente mal educado. Ora eu gosto que as pessoas me tratem com educação, que é dessa maneira que eu trato toda a gente. Apesar de ter sido insultada ei não fiz o mesmo consigo, pois não? Limitei-me a gozá-lo. O Pedro nada mais faz que insultar sem explicar porquê. Se eu não tivesse já lido 3 ou 4 textos do seu blog ficaria a pensar que é um tremendo de um ignorante. Assim, penso apenas que é fanático no que toca a ideologias políticas, e que facilmente se mostra mal educado e desagradável.

    E eu não crítico ninguém, muito menos com base em preferências sexuais. Tenho opiniões a respeito de conteúdos ou afirmações, coisa que é completamente diferente. Acho uma pena que não consiga entender a subtil diferença. Mas lá está, as coisas são como são e nem todos podemos alcançar tudo.

    Se quiser falar comigo educadamente, sinta-se à vontade para o fazer, aqui ou via mail. Mas eu não publicarei mais comentários seus que não visem outra coisa senão insultar-me. Passar bem.

    ResponderEliminar
  7. Esse senhor sofre de um distúrbio qualquer, claramente.

    ResponderEliminar
  8. O que me irrita é sentir-se desprezo por tudo o que seja sindicatos, só porque sim, como escrevi no primeiro comentário quase todos os direitos laborais que temos hoje em dia foram graças aos sindicatos.
    Simplesmente mandar à merda os senhores dos sindicatos, para além da má-educação original sua, revela sim tacanhez de ideias.
    Se quer saber, acho que o excesso de greves gerais levou à quase destruição do efeito da mesma, como li algures, é como os antibióticos, se são usados em excesso perdem o efeito. Mas, acho esta greve justíssima e toda esta indignação crescente é totalmente justificada, porque o nosso país, tal como os outros países periféricos do sul da europa, está a ser destruído por um governo de lacaios dos donos alemães.

    Peço desculpa por a ter ido mandado foder, sendo que sempre é uma coisa mais agradável do que mandar alguém à merda.

    ResponderEliminar
  9. Pedro,
    eu sinto desprezo pelos dirigentes dos sindicatos que pensam no umbigo deles ao invés de pensarem no país. É um bocadinho diferente.
    Não contesto o direito à greve, não contesto que há greves plenamente justificadas, não contesto que graças a greves se avançou brutalmente em termos de direitos humanos.
    Contesto e indigna-me que em Portugal se faça greves para obter votos e por dá cá aquela palha. As greves devem ser a excepção e não a regra. E tanta greve apenas enterra o país e os que cá estão. E isso lixa-me que por enquanto ainda cá estou.
    O Pedro pôs-se a pressupor coisas que pensava que eu pensava, embora eu nunca as tenha afirmado. E isso não é bonito.

    ResponderEliminar
  10. E a culpa de tudo o que se passa em Portugal não é dos "sacanas" dos alemães. É dos nossos governos e das nossas gentes. Todos temos uma imensa responsabilidade pela situação onde chegámos. Os alemães não nos disseram para obstruir a justiça, para fazer arranjinhos, para misturar poderes, para criar institutos, para fazer PPP's, para construir auto estradas desnecessárias, para assinar acordos ruidosos, para desbaratar os subsídios que vieram no tempo da CEE, para viver como ricos quando afinal somos pobres. Fomos nós mesmo que nos enterrámos. E conseguimos fazê-lo brilhantemente.

    ResponderEliminar
  11. Pá, Pipoca, respeitinho à Izzie que ela escrevia num blog maneiro, parecido com o teu, assim tipo blog de ironias.

    (sempre a viste ser correcta? Pois sim)

    ResponderEliminar
  12. A culpa não é dos alemães, é sim do sistema criado pelo governo alemão.

    Porque nos obrigaram a destruir a agricultura e a frota pesqueira para entrarmos para a CEE? Não terá sido em benefício dos agricultores franceses e alemães?
    Porque quase tudo o que é consumido por cá é de origem alemã?

    Uma economia pequena e aberta como a nossa, metida à força dentro de uma moeda demasiado forte para a mesma, a única hipotese que tem de se financiar é emitindo dívida.
    Sabia que os alemães se conseguem endividar a valores muito perto dos 0% e depois nos emprestam a nós, via troika a um valor a rondar os 6%? Não há muitos negócios no mundo com um retorno destes de quase 6% líquidos!
    É caso para perguntar quem anda a sustentar quem.

    E não, nós nunca vivemos acima das nossas possibilidades, muito menos os nossos reformados e a nossa classe média e pobre.
    Inseriram-nos à força foi num sistema que só beneficia os países ricos do norte da europa.
    Sistema esse aliás que prefere salvar os bancos e condenar as nações à pobreza.

    Sócrates pode ter todos os defeitos do mundo e ser corrupto, dou de barato, mas no plano macroeconómico ele esteve sempre do lado certo e muito sinceramente não acredito que ele alguma vez nos vendesse desta maneira ao desbarato.

    ResponderEliminar
  13. Pedro,
    Não vou falar de Sócrates, ele, embora seja um grande vigarista, não é o único culpado. A culpa será de tantos Sócrates que por aqui tivemos a governar, desde 1980.
    A Alemanha representa 13% das nossas exportações e 11.6% das nossas importações, de acordo com o aicep. Parece-me que estamos a ganhar.
    E é claro que a Alemanha defende os seus próprios interesses, estranho seria se fosse ao contrário. Não são nenhuns santos e isto não é nenhuma ajuda, ao contrário do que veicula a comunicação social. Também não nos estamos a financiar a 6%, a 1ª parcela foi a 5%. De todas as formas, a taxa de juro é calculada tendo por base o factor risco de não pagamento. É de convir que não estamos isentos de risco. Mas concordamos, não é nenhuma ajuda.
    Não é só a Alemanha que faz parte da Troika, estamos a falar de 3 entidades distintas.
    Mas pergunto, quem é que asssinou acordos para queimar vinhas e terrenos agrícolas? Quem é que aceitou limitar a actividade piscatória? Não fomos nós? Não sou economista, não consigo fazer uma análise profunda à situação. Mas a matemática é simples, se tiramos de um lado temos de pôr noutro, isto se quisermos obter a mesma soma. Sinceramente andámos a brincar aos ricos durante 40 anos. Desbaratámos os fundos que deviam ter sido investidos em formação e aumento de produtividade noutros sectores. Temos agora o resultado disso.
    E não concordo consigo quando diz que a classe média não se endividou, comprar uma casa que leva metade do ordenado é endividar-se acima das possibilidades de cada um. Comprar um carro que não se sabe se se pode ou não pagar, porque o orçamento familiar está contado ao tostão, é viver acima das possibilidades. A maioria dos Portugueses vivia com o ordenado contado, em que 10€ faziam a diferença no final do mês, sem qualquer poupança para prevenir o futuro.
    A maioria dos Portugueses não se dá ao trabalho de votar em branco e mostrar que quem está no poder é uma cambada de corruptos.
    Acredito piamente que a culpa disto é nossa, não dos alemães. Esses limitam-se a ser sanguessugas, aproveitando-se da situação.
    Mas a minha pergunta é, em quê é que mais uma greve ajuda Portugal, para além de ficarmos uns milhões mais pobres?

    ResponderEliminar
  14. Os fundos europeus não foram mal aproveitados, nada mesmo, temos boas infraestruturas no país, temos pelo menos duas gerações de trabalhadores muito bem formados, temos uma educação pública de nível europeu, temos um bom serviço nacional de saúde, temos um serviço pré-natal e neo-natal dos melhores do mundo.
    Desde o fim da ditadura progredimos muito e rapidamente (os espanhóis também).
    E é isto que vai agora ser destruído por este governo, isso é que me dói.
    Gastámos tanto na boa formação dos nossos jovens para depois os convidarmos a emigrar, ou seja esse custo vai ser em beneficio de terceiros.
    A greve geral serve para mostrar um povo que não se resigna ao triste fim que lhe programaram e serve para derrubar um governo que não defende os nossos interesses.
    É precisamente por cada país defender os seus próprios interesses (menos o nosso governo) que a União Europeia morreu enquanto tal e sendo assim é altura de seguirmos o nosso próprio caminho e sair do euro.

    ResponderEliminar
  15. Anónimo das 21.22h
    E o meu blog não é maneiro? É incorrecto por acaso?
    Acredito que se refira ao Pipi. Tinha por lá posts muito bons, outros não gostei por serem demasiado explícitos. Ao que me lembro, era um blog partilhado.
    Repito, do que conheço da Izzie, é 100% correcta, mas chega de falar de outros bloggers que eu sou um bocado para o egocêntrica.

    ResponderEliminar
  16. Pedro,
    Tudo isso seria muito bonito se nós conseguíssemos andar pelo nosso pé. Mas que vai acontecer se sairmos do euro? Quem é que vai pagar os ordenados e pensões que estão a ser pagos com dinheiro emprestado? A coisa não é assim tão fácil. E efectivamente eu também não tenho a solução ou não estaria aqui.
    O maior problema é que todos têm alguma razão. Eu acredito que a solução Portuguesa passa por atrair o investimento estrangeiro, e para isso há que melhorar a nossa competitividade, flexibilizar despedimentos, pôr a justiça a funcionar.. Enfim, uma série de medidas que até podem ir contra os interesses imediatos dos trabalhadores mas que irão gerar emprego, o qual gerará riqueza.

    (não é muito mais divertido assim? O Pedro não é parvo nenhum que eu sei, mas escusava de lhe saltar a tampa dessa maneira)

    ResponderEliminar
  17. Olha, houve greve e eu não sabia porque, como infelizmente sou dos que neste país primam pelo descanso, nem sabia que estava agendada.
    E como foi? É que como também raramente me dou ao trabalho de ver os noticiários, não sei o que se passou.
    E resultou? Deu para sairmos da crise e já estamos mais ricos, ou como de costume ficaram com menos um dia de vencimento nos salários?
    Bem, agora fiquem todos bem que eu vou voltar para o quentinho da minha sala no aconchego do meu sofá acabar leitura deste dia. Depois logo se vê para onde sopra o vento: ou vejo uns DVDs ou escrevo para aí umas parvoeiras.
    Triste fado de quem não trabalha que é sempre escravo dos caprichos de momento.
    Já agora: parece que a menina acertou: isto, os seus posts últimos, têm dado pano para mangas.
    Há que continuar que enveredou por bom caminho.
    cumprimentos

    ResponderEliminar
  18. Pássaro,
    Já lhe disse que sou sua fã?
    A greve a mim não me deu grande transtorno que trabalhei a partir de casa, adivinho que o resultado seja menos um dia de salário e mais uns milhões de buraco, enfim... o costume.
    Quanto a isso dos posts, basta falar-se de política, que dá nisto. A religião também é um bom tema, assim como a tauromaquia. Se fosse um homem poderia falar de relações, um certo charme cai sempre bem.
    Mas a verdade é que isto dá um bocadinho mais de trabalho que aquelas balelas que costumo deixar por aqui, são muitos comentários, há uns que gosto de responder, infelizmente não tenho tempo, não posso tornar isto um hábito mas de vez em quando apetece-me escrever como escrevia, quando tinha um blog mais sério e desconhecido.

    ResponderEliminar
  19. Não gosto de discutir politica com quem é de ideias fixas e recusa-se a aceitar diversos pontos de vista, e isto funciona para qualquer pessoa de qualquer partido!

    ResponderEliminar
  20. A bem da verdade
    Alguém me explique
    Com ou sem sem veracidade
    O proveito deste circo.

    A greve traz valor acrescentado?... Não!
    Algum beneficio por outro lado?...Não!
    Livra-nos do FMI?...Não!
    Da troika e do mais que vem por aí?...Não!
    Desenvolve a agricultura?...Não!
    E promove a cultura?...Não!
    Aumenta os olivais?...Não!
    Matas e carrapatais?...Não!
    Promove o queijo da serra?...Não!
    Devolve a virgindade à donzela?...Não
    E o bom nome à tia dela?...Não!
    E sim! Diz mais ela?...Não!
    Pasta melhor a ovelhinha?...Não!
    E dá mais leite a vaquinha?...Não!
    Move a roda do moinho?...Não!
    E a que amola o machadinho?...Não!

    Então por que raio se faz greve com este frio?
    Depois queixam-se que os medicamentos para a gripe são caros.

    ResponderEliminar
  21. Em casa onde não há pão...
    todos têm um bocadinho de razão...(digo eu).

    ResponderEliminar
  22. Este blogue já era! Vá à merda você Pipoca Mais Picante!

    ResponderEliminar
  23. Verdade seja dita, ele há pessoal de esquerda que também me dá cabo da paciência e com quem não falo de política. Em suma, quem é extremista e inflexível, é inaturável (sim, invento palavras). E não há nexexidade, como dizia o outro, de andar a insultar. É o recurso de quem não tem argumentos, e com vinagre não se caçam moscas. Já agora, sublinho, a Pipoca sempre foi correctíssma comigo.

    Quanto ao anónimo das 21.22, se tiver algum problema pendente comigo, é favor usar o mail que está no meu perfil. Escusa de fazer é estas figuras, de vir criar arruaça em caixa de comentários alheia.

    ResponderEliminar
  24. Izzie,
    eu gosto de ser correcta com toda a gente, até com quem não faz por o merecer, o que claramente não é o seu caso.

    ResponderEliminar
  25. Sério?

    Eu ia jurar que Jesus Cristo tinha um discurso de esquerda! Viver em comunidade... diz-te alguma coisa? Partir o pão com todos, "o que é meu é teu"... Ora bolas! Os de direita eram aqueles a quem ele derrubava as mesas dentor do templo.

    Que confusão vai nessa cabecinha. Mas não te preocupes, teu é o reino dos céus. Ou não.

    ResponderEliminar
  26. "não faz por o merecer"

    Acho tão giro as pessoas regularem-se pelo "merecer" ou "não merecer".
    Já viu pipoca, que o seu Cristo veio à terra (está aí o natal, não tarda) entregar-se pelos pecadores, por quem não merecia?

    Pense nisso. Pratique mais e fale menos.

    ResponderEliminar
  27. Oh Céus, quase que me esquecia e não comentava estes comentários, juro que estou quase, quase a inaugurar a rúbrica "comentário da semana"

    Primeiro anónimo das 11: que engraçado Jesus Cristo ser comunista (é isso que está a dizer não é?), e no entanto os comunistas serem ateus e chegarem a perseguirem os cristãos. Ironias da vida, não é? Fiquei aqui a pensar se no século 1 já havia isso da esquerda e direita, ou se era mais ricos e pobres, se Cristo pregava aquela coisa que vocês não gostam da caridadezinha...

    Segundo Anónimo das 11: comparar-me a Jesus Cristo? Quanta bondade sua e totalmente imerecida, garanto-lhe. Sabe, é que apesar de eu tentar tratar toda a gente com educação, até aqueles que não são educados para comigo, lá está é aquela coisa de dar a outra face, às vezes resulta, vela lá se não resultou, não consigo deixar de gostar das minhas coisinhas, ele são as minhas idas aos Alpes, ele é o meu James Martin's, ele é o meu automóvel alemão, ele são os meus sapatos Prada, enfim... não conseguiria deixar isso tudo para trás, repartir os meus skis com os pobres... e vendo bem também não há necessidade, afinal ele não sabem skiar, não é verdade?

    ResponderEliminar

Os comentários são da exclusiva responsabilidade dos comentadores.
A autora do blog eliminará qualquer comentário que ofenda terceiros, a pedido dos mesmos.