quarta-feira, 14 de novembro de 2012

A Pipoca também tem umas coisas a dizer aos senhores dos sindicatos

Vão à merda.

15 comentários:

  1. Eu não sou sindicalista nem sindicalizado, mas como sei que foi graças à luta de tantos e tantos anos e em tanto países dos sindicatos, que hoje temos um horário semanal de 40 horas e não de 60, que hoje temos direito a férias pagas, que temos direito a não ser despedidos sem justa causa, que as mulheres têm direito ao subsidio de maternidade, enfim tantas causas ganhas, como sei isto tudo só te digo o seguinte:
    Vai-te foder sua idiota ignorante!

    ResponderEliminar
  2. E ... antes de obedecer à Pipoca, digam onde gastam todo o dinheiro das quotas dos sindicalizados.
    É..porque há sindicatos por esse mundo fora que, quando mandam os seus filiados para a greve, pagam-lhes o dia.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim mas o que descontam para o sindicato é muito muito mais...

      Eliminar
  3. Ohh e conseguiste expressar exactamente a minha opinião em tão poucas palavras :)

    ResponderEliminar
  4. Ai Pedrinho, Pedrinho! O menino que ficou com a mioleira congelada na história sindical dos anos 70. Tantas vitórias! Tão bonitas! Até parece que falamos de certos clubes de futebol...

    ResponderEliminar
  5. É de facto um post extremamente enriquecedor, este.

    ResponderEliminar
  6. É só irónico. Convém saber interpretá-lo.

    ResponderEliminar
  7. @Pedro Almeida
    A Lulu só conheceu o Pai em Maio de 1974. A lulu pensava que não tinha pai. Lá em casa não se falava nisso. Durante 6 anos a minha mãe e o meu irmão mais velho só viam o meu Pai de vez em quando. O Pai da Lulu teve que viver na clandestinidade até Abril de 1974. A minha família é tendencialmente de esquerda mas em verdade lhe digo Pedro: Se o meu Pai fosse vivo hoje envergonhar-se-ia com a "greve" de ontem. Não me venha falar de lutas pelos direitos. Os dirigentes dos sindicatos são um bando de oportunistas à procura de protagonismo. Até hoje ainda nunca conheci um honesto ou acima de suspeita. Mas um grande bem haja para si Pedro pela sua ingenuidade.

    ResponderEliminar
  8. @Pedro Almeida
    A Lulu só conheceu o Pai em Maio de 1974. A lulu pensava que não tinha pai. Lá em casa não se falava nisso. Durante 6 anos a minha mãe e o meu irmão mais velho só viam o meu Pai de vez em quando. O Pai da Lulu teve que viver na clandestinidade até Abril de 1974. A minha família é tendencialmente de esquerda mas em verdade lhe digo Pedro: Se o meu Pai fosse vivo hoje envergonhar-se-ia com a "greve" de ontem. Não me venha falar de lutas pelos direitos. Os dirigentes dos sindicatos são um bando de oportunistas à procura de protagonismo. Até hoje ainda nunca conheci um honesto ou acima de suspeita. Mas um grande bem haja para si Pedro pela sua ingenuidade.

    ResponderEliminar
  9. @Pedro Almeida
    A Lulu só conheceu o Pai em Maio de 1974. A lulu pensava que não tinha pai. Lá em casa não se falava nisso. Durante 6 anos a minha mãe e o meu irmão mais velho só viam o meu Pai de vez em quando. O Pai da Lulu teve que viver na clandestinidade até Abril de 1974. A minha família é tendencialmente de esquerda mas em verdade lhe digo Pedro: Se o meu Pai fosse vivo hoje envergonhar-se-ia com a "greve" de ontem. Não me venha falar de lutas pelos direitos. Os dirigentes dos sindicatos são um bando de oportunistas à procura de protagonismo. Até hoje ainda nunca conheci um honesto ou acima de suspeita. Mas um grande bem haja para si Pedro pela sua ingenuidade.

    ResponderEliminar

Os comentários são da exclusiva responsabilidade dos comentadores.
A autora do blog eliminará qualquer comentário que ofenda terceiros, a pedido dos mesmos.