terça-feira, 4 de setembro de 2012

Curtas de Ibiza #3

Uma mulher não gosta de techno, uma mulher descobre que ao pé de Ibiza centro, mesmo ali em San Antonio, existe uma série de bares com música ao vivo, com música pop, mas, em compensação, estão repletos de nórdicos. Já os Italianos e os Espanhóis vão para Ibiza. É oficial, a perfeição não existe. E aí, uma mulher dá graças a Deus por os bares empregarem porteiros e barmen.

12 comentários:

  1. existem uma série?!!!!!!!!!!!!!!

    ResponderEliminar
  2. Ó menina Pipoca. Por acaso o seu anónimo de estimação tem razão, só que, penso, a menina não lhe paga para ele/a corrigir os seus textos e portanto não devia meter o bedelho, mas, enfim; sabe-se como estas coisas são.
    É só "existe uma série de bares"
    Concorda o sujeito com o predicado em género e número.
    outro exemplo: "A equipa de jogadores ficou alojada no hotel"
    "Os jogadores da equipa ficaram alojados no hotel."
    Mas não deve incomodar-se com tão pouco porque escreve muito bem e com grande sentido de humor.

    ResponderEliminar
  3. Pois e não é que é verdade? Enfim consola-me o saber que devo estar no bom caminho pois que até tenho um anónimo de estimação. Ou pode até ser que sejam variados em numero, sabe-se lá. A minha única desculpa é que a resposta veio em função de um outro comentário, num outro post o qual, ainda vai dar azo a alguns posts, bem hajam os anónimos de estimação.
    (Vou corrigir, obrigada, aos dois, pelo reparo).

    ResponderEliminar
  4. Tanta coisa com o OMG e os estrangeirismos...e depois faz disto! No pior pano também cai a nódoa.Ahah

    Pássaro, gosto muito de si, tem piada!

    ResponderEliminar
  5. No melhor pano, ó alma iluminada, no melhor pano. O pior deve estar cheio de nódoas, verdadeiramente sujo e imundo.

    ResponderEliminar
  6. Ó menina Pipoca. Também escusava de publicar o meu comentário. Viu o que tinha a ver e nem sequer o publicava. Assim é que era.
    E não é que o seu anónimo de estimação, continua com a razão no outro lado? Isso do verbo Haver é uma empreitada de todo o tamanho conjugá-lo comme il faut.
    Dá ele sozinho mais trabalho que todos os outros juntos.
    Não dá para explicar, mas substitua o “não haverão de gostar” por “não irão gostar” e já está tudo bem.
    Continua a ser “ão”, mas vá-se lá saber porquê, já não irrita o anónimo gramaticista que agora deu em andar por aqui vagueando como uma alma penada. :)

    ResponderEliminar
  7. Ora... eu publico todos os comentários, excepto os que agridem directamente outros comentadores ou blogs.
    E o verbo haver poderá ser usado no plural enquanto verbo auxiliar, como é o caso.

    (ganhou uma admiradora, ainda que anónima, já não vai daqui sem nada)

    ResponderEliminar
  8. Vá, zanga não!
    Um pouco mais e aí está a Pipoca condenada à lapidação; é!?
    Durante esta correria ninguém se magoou nem feriu, o Ronaldo continua zangado, mas vai passar.
    Só um patinho que passava por ali alheado da problemática tropeçou e ficou a mancar um pouco, mas nada de relevante e vai passar também.

    ResponderEliminar
  9. Não quando ele designa alguma coisa ou existem coisas, como está inserido no seu texto, pois passa num ápice a impessoal e só pode ser usado na terceira pessoa do singular.
    Eu aqui a querer livrá-la do mal e a menina a afundar-se cada vez mais.
    não tarda e é condenada a um auto-de-fé.

    ResponderEliminar
  10. Não está a designar nada, aqui não existe nem ocorre. Continuo convencida de que é um auxiliar mas farei questão de validar isto com alguém bem mais iluminado que eu.
    (teimosa que nem uma mula, nada a fazer mas entretanto estão uns escritos no forno, agora sairão ou hão-de sair)

    (E não me zango ou entristeço, aliás estou convencida que o CR7 também não está nada triste, ele quis foi dar assunto aos dos blogs)

    ResponderEliminar

Os comentários são da exclusiva responsabilidade dos comentadores.
A autora do blog eliminará qualquer comentário que ofenda terceiros, a pedido dos mesmos.