sexta-feira, 6 de julho de 2012

Hoje foi o dia

Ainda mal amanheceu quando te levantas, levantas-te sempre cedo, sais para correr, corres sempre pela manhã, o paredão está deserto, quando entras a Leonor já lá está, que seria de ti sem a Leonor? Dá-te a papelada juntamente com o café, cheio e sem açúcar, uma rápida vista de olhos deixa-te inquieta, encolhes os ombros, já não há nada a fazer, é um mero pormenor, sentas-te à mesa de madeira, são sempre em madeira as mesas onde te sentas, a proposta do teu adversário não é brilhante mas tu deixaste passar aquele pormenor, logo tu que gostas de pormenores, são três da tarde, o almoço prolongou-se, raramente bebes ao almoço mas hoje teve de ser, quando se fecha uma porta abre-se uma janela, só tens de a procurar, esta era grande, jantas no Olivier, elas já te esperam, acenam enquanto apontam para o Veuve fresco, pensas que não tens grandes motivos para festejar afinal perdeste a proposta, foi só um pormenor, encolhes novamente os ombros, que se foda, é só dinheiro, amanhã é outro dia.

2 comentários:

  1. Mais vale encarar as coisas assim, com leveza e desportivismo. :)

    ResponderEliminar
  2. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar

Os comentários são da exclusiva responsabilidade dos comentadores.
A autora do blog eliminará qualquer comentário que ofenda terceiros, a pedido dos mesmos.