terça-feira, 30 de agosto de 2016

Isto anda tudo ligado

Conheço bastante bem uma muçulmana moderada, vive na Arábia Saudita, não pode conduzir, é obrigada a usar abaya sempre que sai de casa, não viaja sem autorização do marido que teve a sorte de poder conhecer antes do casamento (e a trata como sua igual). O filho, homem feito, trata a mulher do mesmo modo que vê o pai tratar a mãe, estou certa de que criará os filhos que venha a ter exactamente na mesma convicção de que a mulher é um ser humano, com tantos direitos quanto qualquer homem. 
Esta muçulmana moderada, chamemos-lhe Saana, passa grandes temporadas na Europa onde veste roupas quase escandalosamente justas e decotadas, diz-me a rir que tem de aproveitar, que na Europa pode decidir exactamente quantos centímetros de pele pode mostrar.
Os olhos ensombram-se quando conta como viu a sobrinha de quinze anos ser entregue em casamento a um amigo do irmão, um muçulmano mais velho e muito respeitador de Alah, conhecido entre amigos pelos seus excessos em território ocidental. Chora quando diz que a sobrinha é diariamente agredida pelo marido e que não há nada que ela possa fazer para o evitar. Também me contou como as maiores defensoras da excisão genital feminina são as próprias mulheres, mães e avós que sofreram a mutilação em crianças e mutilam agora as suas filhas, convencidas de que assim é que deve ser, que os lábios vaginais são pouco higiénicos e que os seus corpos são impuros.
Torna a sorrir quando diz que conhece vários jovens como o seu próprio filho, que está convencida de que serão homens destes os futuros responsáveis pela melhoria da condição feminina entre o seu povo.
Todos vocês, mesmo os que dizem que as mulheres usam niqabs, burkinis e afins porque querem, são contra a mutilação genital, não são? Mesmo que fosse a própria jovem a pedi-la*, verdade?

*nem sempre é feita à nascença, muitas vezes a excisão é feita por volta dos doze anos, antes da criança ser menstruada.

terça-feira, 23 de agosto de 2016

Um dia haveria de concordar com alguém do BE. Ontem foi o dia.

Não sei é se o partido não lhe vai chamar racista, discriminadora, islamofóbica ou algo do género.
Leitura obrigatória. Aqui

(escusado será dizer que burkas, burkinis e afins são coisas que me incomodam profundamente, a raiz da coisa é toda igual, mas a verdade é que se não tenho qualquer dúvida em advogar a proibição na burka na Europa, o mesmo já não acontece com o burkini ou o véu. Fico para aqui a pensar se a proibição da coisa cá não nos assemelha àqueles que a obrigam lá, afasto nefasto pensamento e racionalizo que não, que isto são símbolos, mas em verdade vos digo que não fico cem por cento confortável, ainda tenho de resolver esta situação, parecendo que não, é desagradável)

quarta-feira, 17 de agosto de 2016

Novo must do da bloga

Prantar a faturinha da refeição com o preço bem visível.
Abaixo de 100€ por pessoa é coisa de pobre, estou já a avisar.

sexta-feira, 12 de agosto de 2016

Na vida real nunca encontro pessoas tão open minded e respeitadoras das liberdades induviduais como as que pululam aqui os blogs

Portanto, querem convencer-me de que quando uma mulher usa um vestido deste género, não quer que lhe olhem para o corpo, apenas usa o vestido porque é muito lindo. É isso? 
Ora ide apanhar sol, sim? Paciência tem limites...






terça-feira, 9 de agosto de 2016

Dupond & Dupont


Fotografias retiradas da net, em perfis públicos. Qualquer inconveniente é enviar mail que eu retiro, não custa nada...

segunda-feira, 8 de agosto de 2016

E agora uma coisa completamente igual: o champagne



Se eu tivesse de eleger o rei das bebidas a vitória era atribuída ao champagne, mas assim a pontos largos do segundo classificado. Ah, e tal, mas então e o vinho tinto? Então e o belo do gin ou mesmo o rum (blhéc)? E a tão-nossa imperial? E a coca cola? E sumo de laranja? E, e, e...? Tudo muito certinho, reconheço a sua existência, em alguns casos reconheço até a sua qualidade, mas o cchampagne está para as bebidas como o Sporting está para o futebol. Não há comparação. Por um champagne já saí de casa (true story), por isso penso que está tudo dito. Aliás, quando dizem que a malta só vai aos eventos por causa do champagne, eu não consigo pensar num motivo melhor. Não vos consigo explicar muito bem o que é que faz de um champagne perfeito. Gosto muito dos franceses, de preferência no próprio dia. E também não gosto muito de champagne quente. E não podem ser enormes nem demasiado pequenos. E reparo agora que sou pessoa bastante criteriosa e opinativa no que toca a champagne, nunca pensei que tivesse tanto aqui guardado para dizer sobre o assunto. Mas, cá por coisas, também quero saber o que vocês pensam sobre o tema "champagne" e suas características. Contem-me tudo, não me escondam nada. Afinal, o que é que faz um bom champagne? Para vocês, qual é o melhor de sempre? Onde é que ele vive? E que características tem? Conto com a vossa ajuda, champagnólicas anónimas. 

(senhores da Krug, Cristal, Veuve, Piper, Moet... vinde aqui à vossa Picante, aceito pagamento em garrafinhas desse néctar maravilhoso...)

Post inspirado aqui.

domingo, 7 de agosto de 2016

Éramos felizes e sabíamos

Não usar chapéu de chuva e saltar nas poças, beber água da chuva e ter de mudar de roupa de tão encharcados que estávamos, verões em Cascais, escaldões todos os anos, fazer a descida do Murtal sem usar travões, poder sair à noite porque éramos alguns vinte, tocar às campainhas e fugir, xadrez ao fim da tarde e conseguir ganhar ao meu pai. Os cinco, os sete e toda a Enid Blyton. Agatha Christie e Eça. Montar a cavalo de sol a sol, descobrir Queen. O primeiro beijo mesmo a sério, borboletas na barriga, saber que aquele era mesmo o único rapaz do mundo que contava e ter a certeza de que seriamos felizes para sempre. Plateau e Kapital no inverno, Summer Time e T-Club no Verão. Pele  a saber a sal, adormecer na praia ao fim da tarde. Ski em Serra Nevada todos os fins de semana. Jantares só de raparigas e cantar José Cid até ficar sem voz.  Rir até doer a barriga, ouvir Sorry seems to be the hardest word e chorar, cafés na Mexicana durante a semana e na Azóia ao fim‑de‑semana. Poder conduzir até ao Green Hill e sorrir enquanto recordávamos os Verões em que era bestial conseguir uma boleia e escapar à Bonie. O bar do Sheraton. Aumentar o volume da aparelhagem até ao limite do suportável porque está a passar o Nowhere fast e cantar a plenos pulmões a letra que levámos três dias a decorar, sabendo que a vida vai ser o que nós quisermos, que nada nos será impossível, que apenas temos de a agarrar. Sem medo.

sexta-feira, 5 de agosto de 2016

Das coisas a que não resisto

Felizmente a inteligência ainda não entrou cá em casa. 
Mas esta semana o assunto veio à baila porque a filha de uma amiga apanhou agora nas férias!
Fiquei logo em alerta e decidi pesquisar sobre o assunto para não me apanharem desprevenida :)
Descobri algumas curiosidades interessantes. Como por exemplo, o cérebro é particularmente complexo e representa apenas 2% da massa do corpo. Usa-se na cabeça e parece o miolo de uma noz. 
Pode ser utilizado em qualquer altura do ano, mas há quem nunca o use!
 Mas o que mais me surpreendeu foi descobrir que o cérebro não salta, não voa, mas é o principal órgão e centro do sistema nervoso! 
Ou seja, mummy bloggers, publicidade… todo o ambiente propício para as pragas da falta de utilização do cérebro. 'Red Alert'!
Também li sobre antigos truques caseiros, como jogar xadrez ou fazer palavras cruzadas, pessoalmente não estou muito segura da eficácia destes truques e prefiro métodos mais pragmáticos! 
Por isso, partilho esta dica que me passaram de um novo produto - a loção Lubrex. 
Simples, super rápido (em 5 minutos), sem cheiro e muito eficaz. 
Pente incluído para os mais empedernidos e para os cabelos. 
(Os cabelos são os pêlos compridos que estão agarrados ao couro cabeludo).
 Procurem usar o vosso cérebro, vão ser que adquirem o gosto. 
A Lubrex tem também um champô que ajuda a exercitar o hemisfério esquerdo e a desenvolver o pensamento lógico.
Não é o tema mais 'cool' e interessante do mundo, eu sei, mas faz parte da vida das pessoas, principalmente de quem é blogger!
Sei que também por aqui haverá uma primeira vez e quando isso acontecer já estou bem informada ;)
 
(post escrito em parceria com a Lubrex)
 
Ai que desatenta sou! Aquilo dos parênteses não era para escrever, acho que já são efeitos do Lubrex! Kiss! Kiss!