terça-feira, 6 de dezembro de 2016

Do fim de semana

Chuva a cântaros de tal maneira que achei ir ficar com o automóvel empanado, acabámos por não ir à missa.
Casa pronta para o Natal, com direito a árvore, presépio e calendário do advento. Este ano resolvemos construir o nosso próprio calendário, cada dia até ao Natal tem uma boa acção a cumprir. Certifiquei-me que Dezembro será um Santo mês, tem lá muitos dias em que pequenos Picantes não podem discutir e têm de obedecer aos pais logo à primeira, vou parar ao inferno, eu sei, subornei-os com uma caixa de Godiva.
O primeiro jantar de Natal com muita gente a rir à volta da mesa.
Scones e bolachas de manteiga daquelas feitas em casa. Bolo de chocolate daqueles que engorda só de olhar, tudo isto acompanhado de chá e chocolate quente, a substituir o jantar de Domingo.
Bolo alimentar, quimo, quilo, coroa, raiz, tubo digestivo, democracia ateniense,  Egípcios e Fenícios.
Filmes, mantas e chuva a cair lá fora. Flics e mortais à retaguarda. 

(quase que punha aqui um bom dia Dezembro. Quase...)

sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

Podemos sempre contar com quem podemos contar

Ele são os grunhos do BE que revelam sempre o quão mal educados são. É isso e a falta de coluna vertebral que faz com que não hesitem em aplaudir um ditador assassino mas se abstenham de levantar os pandeiros das cadeiras face à presença do mais alto representante do nosso parceiro mais importante. Ele é o casaquinho da primeira-ministra por casamento, nas costas da cadeira, a revelar a total falta de noção de saber estar, que isto realmente quem nasceu para cavador só devia é lidar com batatas.


quarta-feira, 30 de novembro de 2016

Que estás a fazer Picante?

Então... Estou à espera que mini Picante fique com dores no peito e dificuldade em respirar, que é para poder ir às urgências e ignorar a prescrição do médico que isto toda a gente sabe que a medicina é coisa de autodidata.



segunda-feira, 28 de novembro de 2016

Das coisas serem como são

Primeiro foi a pequena Mada, era intolerante à lactose e falaram-nos de um leite não sei quê da Mimosa, e nós lamentámos que pequena Mada fosse intolerante à lactose, é sempre um aborrecimento ter restrições de dietas, mas depois começaram a aparecer irmãs e primas das Rosinhas, todas intolerantes à lactose e afinal era só uma mentirinha.
Depois foram os iogurtes que regulam o trânsito intestinal, de repente nenhuma delas conseguia ir à casa de banho sem a ajuda destes iogurtes, um aborrecimento. Seguiu-se aquilo do aquecedor da Galp, era tão útil e fantástico que até no-lo apresentaram como mesa de apoio para bolos, uma coisa nunca antes vista.
A Ana Lemos tinha uma amiga que andava maluca à procura de casa, só a conseguiu arranjar não me lembra onde, só que afinal não, mas isso também não interessava nada porque toda a gente tem uma amiga à procura de casa.
Depois foi a baby, agora child, C, que nos apareceu ora cheia de vontade de brincar com os detergentes para a máquina, ora a lambuzar-se de Planta com sabor a manteiga, desconfio que as pastilhas para a máquina são os novos legos lá de casa.
Agora dizem-nos que não sei quem é racista, nós vamos ver e afinal não sei quem não tem sequer idade para ser nada dessas coisas, foi só uma maneira gira de mostrar a boneca do novo filme da Disney, quanta imaginação.
E a pessoa vai vendo isto, vai abanando a cabeça enquanto pensa que não há qualquer limite para quem nos tenta enfiar umas patranhas das antigas, isto é o vale tudo, mais mentira menos mentira, é como diz o nosso menino d'ouro, escreve para aí e que se foda (ele é que disse, não fui eu), e depois a pessoa solta uma gargalhada enquanto pensa que um dia a Durex também há-de querer ter publicidade nos blogs, vai ser esse o dia em que elas nos irão participar que os filhos contraíram uma DST.

sexta-feira, 25 de novembro de 2016

O Blogger e o Zuckerberg devem ter feito uma combinação lá deles, cada vez mais estão empenhados em dar cabo da vida às pobres pessoas, cada vez que mexem é sempre para pior, tal e qual como aquilo do pão com manteiga que cai sempre do lado da manteiga, senhores. E estarem quietinhos, não?

quarta-feira, 23 de novembro de 2016

O verdadeiro espírito de Natal

Receber uma daquelas coisas lá da swarovski e fazer um largo sorriso, agradecendo com voz doce e dizendo "era mesmo isto que queria"

segunda-feira, 21 de novembro de 2016

Às vezes apetecia-me recorrer à violência e resolver a coisa na base da bofetada

Gente que acha normal bater em automóvel alheio, deixando marcas evidentes da colisão e ir à sua vidinha, assobiando para o lado, ai que a marca já ali estava, não tenho nada que ver com o assunto.
É isso e tiazorras, colete de cavaleira vestido, que negam ter batido porque, e cito, não deram por nada, não ouviram nada, não sentiram nada. A pessoa enche-se de paciência perante o rol de alarvidades proferidas pela tia loura de colete de cavaleira, que por acaso até tem seguro e que podia muito bem não ter, que a carta verde é o papel da inspecção, que preenche a declaração mas afinal não, que berra enquanto exige que eu chame a policia e me acusa de desonestidade porque ela nem estava a fazer marcha atrás, eu não estava parada, não buzinei e claro, ela não bateu, só ficou muito próximo.
Não lhe dei uma bofetada mas tenho pena, o máximo que consegui fazer foi dar-lhe um berro enquanto lhe chamava muitos nomes feios mentalmente. Respirei fundo e baixei imediatamente o tom de voz enquanto lhe dizia que chamasse a policia se lhe aprouvesse mas que me dissesse de uma vez, que a porra da declaração amigável ainda dava trabalho a preencher e eu queria saber em que ficávamos.
(e a tipa lá me disse para preencher, passados 2 minutos já berrava que não, que queria era a policia, estivemos quase uma hora nisto...)
Boa semana, pessoas!