sábado, 18 de abril de 2015

Dos risos fáceis

Que diz o tomate à sua mulher?
Tomatasme.

(também sei a do tubarão, caso estejam interessados...)

sexta-feira, 17 de abril de 2015

Um dia...

Apagas todos os posts fofinhos em que gozavas despudoradamente os pais do teu marido, assim como aqueles em que partilhavas proezas a dois, de foro mais intimo, vá...
Ontem foi o dia.

(mas o carácter, esse, não o consegues apagar tu)

#jesuischarlie

A blogoesfera já foi mais digna

Recentemente, houve quem achasse que tinha descoberto a minha verdadeira identidade. Em virtude de essa pessoa ser bem formada, optou por não revelar publicamente essa presumível identidade. Em vez disso parece que resolveu ir, para o facebook, dar pistas sucessivas às suas cegas seguidoras ou, eventualmente, contar em privado a algumas, não sei. Sei que não tardaram em vir aqui depositar comentários onde constavam nomes completos, moradas, nomes de filhos, etc. da pessoa que acreditam estar por trás da Mais Picante, numa clara tentativa de intimidação.

A verdade é que eu sou a Mais Picante. Ainda que se soubesse, que eventualmente se venha a saber, que me chamo Ana Filipa, Susana, Sofia, Graça ou Pureza, aqui, serei sempre a Mais Picante. E continuarei a ser incómoda, se assim me apetecer. Porque vivemos numa sociedade livre. Porque tenho esse direito.

As pessoas em geral, blogoesfera em particular, podem achar que este blog é uma coisa de extremo mau gosto. Têm essa liberdade. O que não têm é a liberdade de ameaçar, intimidar e fazer devassa da vida privada de outrem.

Acho lamentável que as póletes não tenham a noção da gravidade e possíveis consequências judiciais da perseguição que iniciaram a alguém que é real e está para além dos blogs. Pode ser que tenham sorte e que a atingida também não tenha a noção de que pode, e deve, apresentar queixa ao ministério público (não sei se acredito muito nisso...)

Deixo-vos com dois comentários fofinhos, apenas dois, entre vários que recebi:

"Tssshhhh... acho que quando saíres à rua deverias começar a, a cada dois passos, olhar para trás e para os lados, é que agora a tua morada se tornou pública (ilustrada com fotos e tudo no novo grupo do facebook) o que não vão faltar é paparazzi a querer contribuir para o gáudio geral.
What goes around, comes around ;)
Uma velha conhecida do ... " 

 "Olá ...............!
Acabei de ver uma belíssima compilação de fotos (tuas, do teu marido, dos teus filhos, do teu prédio, dos teus irmãos...) e de dados acerca da tua pessoa no facebook. Hahahahaha que máximo, juro que te imaginava mais gira, mais sofisticada... mas não, cara, cabelo e postura tão insossos, credo, estás mais para mosquinha morta do que para piri-piri. E o teu marido, a sério que não arranjavas coisinha melhor? (Pergunta retórica, evidentemente) Sim, o senhor até tem um bom currículo e um bom cargo.....  mas, convenhamos, as habilidades dele não devem passar daí... .................
Sabes, bem vistas as coisas até se compreende que sejas assim, a falta de umas (boas) quecas deve provocar meeeeesmo uma amargura terrível. E faz rugas, ainda por cima! Não é à toa que estás carregadinha delas..."

E é isto, a internet.

Tenham um bom fim de semana. Se conseguirem.

(Estou a guardar e reencaminhar, a quem de direito, todos os comentários anónimos, que têm tido a amabilidade de vir aqui depositar, assim como a fazer print screen de todas as provas do, digamos... crime)

(Não deixa de ser engraçado, e simultaneamente muito revelador, que a autora da descoberta da minha presumível identidade, depois de ter dado todas as pistas que permitissem chegar aos dados privados da alegada Picante e, por consequência, respectiva família, filhos incluídos, se encontre agora a apagar comentários que revelam o seu envolvimento na coisa. Ela deve saber bem que fez asneira e que, caso a coisa corra mal, terá que responder legalmente)

quinta-feira, 16 de abril de 2015

Da nobreza

É tão conveniente fazer parecer que se é Nobre, quando afinal não se passa de um simples plebeu...
Ah! A magia do teatro!...

Os problemas dos homens

Achar que falar sobre sentimentos é coisa de meio homem.

quarta-feira, 15 de abril de 2015

A dúvida que realmente me aflige, me deixa para aqui ansiosa e expectante...

É se vai tornar a haver mudança de blogs ali, na coluna da direita.

(olha... afinal acabou antes de ter começado... logo agora que já tinha aqui as pipocas e tudo)

terça-feira, 14 de abril de 2015

Somos todos Charlie, é claro que somos todos Charlie, nem sei qual é a dúvida

Se me apetecer tecer comentários sobre o carácter das pessoas, ainda que de forma irónica, não me posso admirar que as pessoas não se riam, por mais engraçada que eu seja. Ou que me respondam igual. No fundo, serão apenas as pessoas a dar largas ao Charlie que há nelas.

(e como saímos todos vivos, uns arranhões ao ego na pior das hipóteses, nem sei qual é a dúvida, é claro que somos todos Charlie)

Tenho uma coisa mesmo, mesmo fantástica para partilhar!

Só que não posso contar quase nada. Quer dizer... não posso contar mesmo nada. Mas ainda assim fixem-se neste post de altíssimo gabarito que me apeteceu fazer só porque me apeteceu fazer. 

(pronto... ok... só para não ficarem tristes deixo-vos um maravilhoso hashtag: #embraceyoureccentricity)

segunda-feira, 13 de abril de 2015

O meu fim de semana que mais pareceu uma maratona

Friday (6ª feira) tive um jantar com friends (amigas). Foi muito fixe, se fosse da nova geração arriscar-me-ia a dizer que foi top, mas não sou, como tal foi fixe. Já não estávamos todas juntas há long time (muito tempo), vai daí que para além da coisa durar até late (tarde) ainda surgiram várias combinações, a primeira das quais já para next saturday (próximo sábado). Por falar em sábado, quando o despertador rang (tocou) achei que ia morrer. Lá me levantei a custo para despejar uma criança no polo aquático e outra na ginástica. Antes de ir fazer o meu walking (tenho um knee (joelho) injured (magoado)), ainda fiquei um bocadinho a assistir ao novo esquema de solo de mini Picante. Pride (orgulho) pah! A professora aproveitou para me informar onde é que eu iria passar o vinte e cinco de Abril, parace que são as qualificativas para os nationals (nacionais) e eu fiquei muito satisfeita, é claro que fiquei, assim como assim já não vou ao Porto com time (tempo) vai para uns três quinze dias.
Mas dizia eu que ia para o meu walking quando uma friend (amiga) me telefonou, ai e tal, estou por aqui, vamos beber um café. E eu fui, claro que fui, um café numa esplanada é bastante mais prazeroso que uma hora de walking. Findo o walking substituído por café lá fui buscar minis Picantes, cada qual a seu place (sítio) e fomos lunch (almoçar) a casa de senhora minha mãe, onde Argos, o cão preto, nos fez tamanha festa que praticamente me deitou ao floor (chão).

To be continued (continua)...