terça-feira, 29 de Julho de 2014

A vida é como é, mas é o caraças*. A vida é como eu a faço ser.

Recebes um telefonema, é um dos teus novos melhores amigos, um homem de leis, diz-te que finalmente há notícias, que outro homem de leis se decidiu, vês luz, aquilo que te mantinha acordada está a começar a resolver-se, arranjas maneira de marcar uma reunião com um tipo que te pode ajudar, ele ouve-te, outra luz que se acende, arrancas-lhe uma promessa, e mais uma luz... O dia corre bem, hoje vais conseguir comer sem ficar agoniada, começas a deixar de sentir aquele frio do estômago. Tens de ter cuidado, não dês o flanco, não agora, essa tua mania de ver o copo cheio quando ele ainda está a um terço já te trouxe um ou outro dissabor, ainda não ganhaste a guerra mas a batalha... Ah! Essa já ninguém t'a rouba. E mudas-te para Cascais.

*perdoai o uso pouco usual de calão, a alternativa seria manifestamente pior...

Agora pergunto....

Qual é exactamente a diferença entre Obiang e José Eduardo dos Santos? É que daqui, onde me encontro, acho-os bastante parecidos...

(evitai a piada fácil...)

segunda-feira, 28 de Julho de 2014

Olhe que não... Olhe que não...

"A ironia é um instrumento de literatura ou de retórica que consiste em dizer o contrário daquilo que se pensa, deixando entender uma distância intencional entre aquilo que dizemos e aquilo que realmente pensamos. Na Literatura, a ironia é a arte de zombar de alguém ou de alguma coisa, com vista a obter uma reação do leitor, ouvinte ou interlocutor.
Ela pode ser utilizada, entre outras formas, com o objetivo de denunciar, de criticar ou de censurar algo. Para tal, o locutor descreve a realidade com termos aparentemente valorizantes, mas com a finalidade de desvalorizar. A ironia convida o leitor ou o ouvinte, a ser activo durante a leitura, para refletir sobre o tema e escolher uma determinada posição."
 
(In wikipédia)

sexta-feira, 25 de Julho de 2014

As coisas são como são

E agora oferecem-te uma estadia em Mértola e tu ficas muito excitada, é tão bom passar fins de semana fora e pagar com posts, não é verdade? E depois tu enganas-te, nunca ouviste falar das minas de S. Domingos, vai daí que dizes que estás deserta por ir para o novo paraíso Português, que aquilo é uma coisa mesmo em bom, mas dizia eu que te enganas e publicas fotografias da lagoa ácida. E agora eu nasci para espalhar o bem, e aviso-te, talvez seja má ideia ires a banhos, aquilo não é por aí além de saudável, pode provocar escamações de pele ou assim. E depois hás-de voltar, fazer uns relatos maravilhosos, que a lagoa tem uns olhos gregos lembrando esfinges, a praia jaz posta nos cotovelos, que o sol se põe em Mértola como em mais nenhum lugar do mundo e que as estrelas, às centenas, dançam por cima da tua cabeça numa ode ao amor e à vida. E dirás que Mértola é o novo Minho, que as mulheres de lá são mais bonitas, que aquilo é um sítio realmente em bom para passar férias, muito melhor que o Pestana Palace, que isto as coisas são como são.

(aqui entre nós, que ninguém nos ouve, a menina não sabe o que é o Pestana Palace, pois não? É mesmo ursa, caramba...)

E enquanto isso...

Caiu mais um avião, há um país que não fala português, nem tem intenção de o fazer, na CPLP, o Salgado desembolsou três milhões e o Banif está em alta. Nada de novo, portanto, apenas o dinheiro a falar mais alto que tudo e todos. Na vida, como nos blogs.

Porque os blogs também servem para isto...

De entre os variadíssimos mails que recebo, vocês sabem lá o tempo que isto me consome, esta coisa de gostar de responder às pessoas, ele é convites para divulgar projectos de gosto duvidoso a troco de... pois, nada. Ele é gente amorosa e com um extraordinário bom gosto a dizer que sou muito inteligente e que os divirto, ele é convites para cafezinhos... não vale a pena, a sério. Mas dizia eu que, de entre os variadíssimos mails que recebo, por vezes, há uns que me apetece divulgar e este é um deles, não só porque se trata de cultura e eu sou uma pessoa que acha que os Portugueses só teriam a ganhar com um bocadinho mais de cultura, como também por ter um cariz solidário e eu simpatizo com essas coisas (nada temais, não vou desatar a recolher sangue ou a fazer festas...).

Mas isto já vai logo e eu ainda não disse nada, de maneiras que passo a informar que dia 1 de Agosto pelas 21.30h, o teatro Villaret exibirá o espectáculo cómico "Pulgas e Carriços", com a participação especial do próprio do Ricardo Carriço, passando a transcrever parte do mail que me enviaram:

"Durante o ano 2014 o grupo de comédia musical Planeta Fluffen comprometeu-se com o Teatro Villaret em organizar uma série de espectáculos em que a bilheteira reverterá totalmente para diferentes instituições de solidariedade. Neste caso, todos os lucros reverterão para a Associação Confluência, associação que promove a cultura, a arte e todas as formas de expressão da língua portuguesa.

Neste espetáculo teremos alguns convidados especiais, além do Ricardo Carriço, como a Lola (guitarrista das Anarchicks). O espectáculo decorrerá pelas 21:30 no palco principal do Teatro Villaret. Agradecíamos muito que nos ajudassem a divulgar o evento, já que por um lado, vai ser super divertido, e por outro todos os lucros reverterão para uma ótima causa. 

Nós, os Planeta Fluffen, somos um quarteto musical cómico. O nosso espetáculo mistura musicalidade com stand-up comedy. Iniciámos este projeto em 2010, e para a história ficam as participações em televisão no Canal Q e no Cinco Para a Meia-Noite, os vários espetáculos ao Vivo no Teatro S.Luiz em Lisboa, no Casino da Figueira da Foz, no Teatro Municipal da Guarda, no Pavilhão de Macau em Loures, no Armazém 13 em Lisboa, Braga, Peniche, Óbidos, etc., os cerca de 5.000 seguidores na sua página oficial, e os vários videoclips da banda (http://www.youtube.com/user/PlanetaFluffen?feature=watch)."


Os senhores têm ainda a amabilidade, que desde já agradeço, de me oferecer dois bilhetes mas, com muita pena minha, conto não estar em Lisboa, por essa altura. Divirtam-se!

(e não recebi um tostão pela divulgação, nem conheço rigorosamente ninguém da produção, só para que conste, OK? Isto é uma espécie de publicidade nada encapotada)

quinta-feira, 24 de Julho de 2014

Palmas? Eu dava-lhe as palmas...

Uma pessoa tenta. A sério que tenta. Uma pessoa já nem linka aquilo, já não a põe nas musas, afinal uma pessoa quer ter o mínimo de contacto possível com aqueles excrementos em forma de posts.
Eu até já a tinha tirado do feed, que tinha, aquela porra enerva-me. Tudo ali colide com o meu sistema nervoso, logo a mim que nem sou pessoa de me enervar. Mas caramba... o que é demais é demais. Ele é o mal dizer dos sogros, ele é o dizer abertamente que se é a bicicleta da aldeia e mostrar orgulho nisso, ele é o partilhar das inúmeras vezes em que vai à casa de banho, ele é o expor e gozar amigos no blog, ele é ir às termas e fingir que se pagou, ele é as cartas "ai que sou tão sensível" dirigidas a quem não sabe ou já não pode ler, ele é o dar conselhos sobre isto de se ser mãe, num "olhem para mim, tanta experiência que eu tenho, sou mãe de um bebé que nem dois anos fez mas já ensino e dou cartas", ele são as actividades "ai que sou mais solidária que o Papa, ainda que ninguém me tenha encomendado sermão", ele é o tomar das dores dos outros "tu é que perdeste o filho, quem sofre sou eu", ele é o bater palmas à Primark pela sua consciência social, numa ode à estupidez, é que não encontro mesmo outra explicação, qualquer atrasado mental sabe que a Primark é conhecida por respeitar os direitos humanos dos seus trabalhadores... E, quando uma pessoa pensa que já viu tudo, que dali mais nada a surpreenderá eis que aparece a cereja em cima do bolo. Caramba... transcrever assim, uma filha da puta de uma consulta de psicologia, com uma criança e os seus pais, só para fazer bonito no blog,  não será uma tremenda de uma filha da putice? E falta de ética? Eu arriscaria a dizer que é ilegal, mesmo. Mas a verdade é que, se não tenho a certeza que seja ilegal, tenho a certeza absoluta que é de uma falta de profissionalismo brutal.
Desculpai a assertividade. Mas ele há coisas que me tiram do sério. Porque raio não escreverá ela sobre os dedos dos pés? Ou a maravilha que é morar perto de Cascais?